Apoie o Blog!

terça-feira, 15 de junho de 2021

Study of the different hand distances using the Ving Tsun Gwan [詠春棍]

 


Existe uma prática pouco falada chamada Cheung Kiu Sau[長橋手] que nos auxilia a trabalhar a longa distancia ao invés da média. Acontece que o Sistema Ving Tsun nos proporciona algo muito especial que é a possibilidade de interagir com elementos externos ao nosso corpo, começando pelo Muk Yan Jong [Boneco de madeira]. Com isso, ao executarmos a lista de movimentos do Domínio Mui Fa Jong, pela primeira vez é possível fazer isso com uma referencia clara, nos favorecendo a trabalhar fatores de monitoramento como: Posicionamento, Timing, Energia e ... Distancia. 
O que pouca gente talvez saiba, é a possibilidade de trabalhar esse conceito utilizando o  Ving Tsun Gwan [詠春棍]. Comecei a pensar nisso em 2009...Eu já tinha acesso ao Domínio Luk Dim Bun Gwan desde 2007, mas foi somente naquele ano durante um Encontro sobre esse Domínio, que meu Si Baak Nataniel Rosa ao me ver segurar o bastão, disse: “Estica os braços.”- Ele se referia a uma postura como a que meu Si Fu segura o Ving Tsun Gwan [詠春棍] na imagem acima. 

People does not talk to much about a practice called Cheung Kiu Sau[長橋手] that helps us to work long distance instead of average. It turns out that the Ving Tsun System gives us something very special, which is the possibility of interacting with elements external to our body, starting with Muk Yan Jong [Wooden Dummy]. Thus, when executing the list of movements of the Mui Fa Jong Domain, for the first time it is possible to do this with a clear reference, favoring us to work on monitoring factors such as: Positioning, Timing, Energy and... Distance.
What few people perhaps know is the possibility of working this concept using the Ving Tsun Gwan [詠春棍]. I started thinking about it in 2009...I had access to the Luk Dim Bun Gwan Domain since 2007, but it was only that year during a Meeting on this Domain that my Si Baak Nataniel Rosa, seeing me hold the Gwan, said: “ Stretch your arms.”- He was referring to a posture like my Si Fu holds the Ving Tsun Gwan [詠春棍] in the image above.
[Eu e Si Fu, 2004]
[Me and Si Fu, 2004]

Sabe, dizem que se você for muito inteligente, não pode aprender Ving Tsun. Pois você questionaria tudo ou sempre teria uma ideia melhor... O que lhe impossibilitaria de ouvir o outro. Porém, também é dito que se você for muito burro, tão pouco poderá praticar. Afinal, você não entenderia o que lhe estava sendo entregue.
Eu tinha apenas dezessete anos quando acessei o Biu Ji, eu não tinha maturidade para apreciar o que estava me sendo entregue... Felizmente, permaneci tempo suficiente para tal. Pois foi somente dez anos depois desse acesso já em 2012, que ao assistir um irmão Kung Fu mais novo fazendo o Siu Nim Tau, que pude perceber a relação de um dispositivo da segunda parte dessa sequencia com o  Cheung Kiu Sau[長橋手]... Então eu comecei a refletir sobre como ele aparecia em outros momentos da Trilogia Fundamental e eu nunca tinha reparado... Você pode dizer que eu sou um “Slow Learner”. Mas isso prova algumas coisas também: A paciência do Si Fu comigo e a minha persistência.

You know, they say if you're too smart, you can't learn Ving Tsun. Because you would question everything or always have a better idea... Which would make it impossible for you to hear the other. However, it is also said that if you are too dumb, you will not be able to practice either. After all, you wouldn't understand what was being handed to you.
I was only seventeen years old when I accessed Biu Ji, I didn't have the maturity to appreciate what was being handed to me... Fortunately, I stayed long enough to do so. Because it was only ten years after this access, in 2012, when watching a younger Kung Fu brother doing Siu Nim Tau, that I could see the relationship of a move in the second part of this sequence with Cheung Kiu Sau[長橋手]. .. So I started to reflect on how it appeared in other moments of the Fundamental Trilogy and I had never noticed... You can say that I am a “Slow Learner”. But that proves some things too: Si Fu's patience with me and my persistence.
[Si Fu durante Seminário de Luk Dim Bun Gwan em 2003]
[Si Fu during a seminar of Luk Dim Bun Gwan in 2003]

Eu lembro bem desse dia... Eu era o Si Hing responsável pelo Núcleo Méier, não era um Si Fu ainda, mas quase pulei na cadeira em que estava. Esse momento da “tomada de consciência” é sempre algo único...E quando a euforia havia tomado conta de mim e eu esquecera completamente que estava ali para cuidar do Kung Fu do praticante que estava a minha frente... Lembrei do posicionamento necessário para portar o Ving Tsun Gwan [詠春棍].... - “Será?“ - Perguntei a mim mesmo.

I remember that day well... I was the Si Hing responsible for the MYVT Meier School, I wasn't a Si Fu yet, but I almost jumped in the chair I was on. This moment of "awareness" is always something unique... And when the euphoria had taken hold of me and I had completely forgotten that I was there to take care of the Kung Fu of the practitioner who was in front of me... I remembered the necessary positioning to carry the Ving Tsun Gwan [詠春棍].... - “Maybe..” - I told myself.
[Si Fu durante Seminário de Luk Dim Bun Gwan em 2003]
[Si Fu during a seminar of Luk Dim Bun Gwan in 2003]

Após um período de alguns anos estudando a Trilogia Fundamental apenas na “Distancia Média“, tendemos a desconsiderar outras possibilidades para soltar o golpe. Portanto, mesmo quando estamos a a trabalhar o Cheung Kiu Sau[長橋手] já no Domínio Mui Fa Jong, desconsideramos sua particularidade e vamos para a distancia média a fim de fazer “Alguma Técnica de média distancia”. Um lugar comum, onde o cotovelo baixo nos favorece e já temos certa familiaridade com o que pode ser feito. Abrimos mão de explorar a possibilidade de disparar de longa distancia... Então, é como se nunca tivéssemos tido acesso ao Biu Ji. E isso acaba se refletindo no dia a dia: Pois ao nos depararmos com uma situação de emergência circunstancial, temos tanto medo da incerteza que ela promove, que desconectamos dela e tentamos resolver “sozinhos”...

After a period of a few years studying the Fundamental Trilogy only in the “Middle Distance”, we tend to disregard other possibilities to deliver the blow. Therefore, even when we are working on Cheung Kiu Sau[長橋手] already in the Mui Fa Jong Domain, we disregard its particularity and go to the middle distance in order to do “Some Medium Distance Technique”. A common place, where the low elbow favors us and we are already familiar with what can be done. We gave up exploring the possibility of long-distance strikes... So, it's as if we never had access to Biu Ji. And this ends up being reflected in everyday life: Because when we are faced with a circumstantial emergency situation, we are so afraid of the uncertainty it promotes, that we disconnect from it and try to solve it "alone"...

[Meu Si Fu Julio Camacho]
[My Si Fu Julio Camacho]

Quando usamos o bastão com os braços flexionados, abrimos mão dos potenciais que essa ferramenta oferece para usarmos nossa própria força. Meu Si Fu disse certa vez, que o  Ving Tsun Gwan [詠春棍] é uma “arma para velhos”. Segundo ele, o vigor do mais jovem, faz com que ele não se aproveite das tendências e dos pontos de apoio que a postura para portar o bastão parece favorecer. 
Portanto, acredito fortemente  que o Cheung Kiu Sau[長橋手]  nos ajuda a nos tornarmos mais corajosos. Afinal, a distancia longa nem sempre é confortável. Queremos sempre a segurança de estar perto, seja na prática do Ving Tsun ou na vida. 

When we use the Ving Tsun Gwan [詠春棍] with our arms bent, we let go of the potentials that this tool offers to use our own strength. My Si Fu once said that the Ving Tsun Gwan [詠春棍] is a “weapon for old people”. According to him, the youth's vigor means that he does not take advantage of trends and support points that the posture to carry the Ving Tsun Gwan [詠春棍]seems to favor.
Therefore, I strongly believe that Cheung Kiu Sau[長橋手] helps us to become more courageous. After all, the long distance isn't always comfortable. We always want the security of being close, whether in Ving Tsun practice or in life.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira “Moy Fat Lei”
moyfatlei.myvt@gmail.com