Apoie o Blog!

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

An essay on pain during the practice of Yi Ji Kim Yeung Ma [二字鉗羊馬]


 Quando tomei contato pela primeira vez com a estrutura de base chamada Yi Ji Kim Yeung Ma [二字鉗羊馬], não consegui entende-la. Eu era pregresso de outra arte marcial, e das demais que eu havia tido contato, nunca tinha visto nada parecido. Porém, antes de mais nada, eu era um grande aficionado pelas produções cinematográficas chinesas. Então, apesar de não entender aquela postura, eu imaginava que poderia ser algum tipo de postura especial que teria seu segredo revelado mais adiante. 
De fato, esse “mais adiante“, levou alguns anos...Mas essa é outra história. Pois algo que me chamou a atenção desde e o primeiro momento, era a dor causada nas pernas ao tentar permanecer nessa estrutura por muito tempo.
As vezes a dor era nas coxas, então eu tentava me organizar e a dor passava para os joelhos na semana seguinte. Depois, tornozelos e assim por diante... Foi então que eu afastei mais os pés um do outro, o que me deu um conforto maior. Mas foi em 2001, um ano depois destes primeiros acontecimentos, que ouvi de Si Fu que a pessoa que afasta os pés um do outro para fugir do desconforto, terá problemas quando chegar ao Domínio Cham Kiu, pois o espaço entre os passos terá a tendência a ser grande. O que levaria você a demorar mais a colocar o pé no chão, e isso te deixaria mais exposto.
Ele falava isso para outro praticante, e eu ouvi mesmo assim. 

When I first came into contact with the stance structure called Yi Ji Kim Yeung Ma [二字 鉗 羊馬], I couldn't understand it. I was a practitioner of another martial art before Ving Tsun, and of the others I had had contact with, I had never seen anything like it. However, first of all, I was a big fan of Chinese film productions. So, although I didn't understand that posture, I imagined it could be some kind of special posture that would have its secret revealed later.
In fact, this "later" took a few years ... But that is another story. Because something that caught my attention since the first moment, was the pain caused in the legs when trying to stay in this structure for a long time.
Sometimes the pain was in my thighs, so I tried to organize myself and the pain passed to my knees the following week. Then, ankles and so on ... It was then that I moved my feet further apart, which gave me greater comfort. But it was in 2001, a year after these first events, that I heard from Si Fu that the person who moves their feet apart to escape the discomfort, will have problems when start at the Domain Cham Kiu, because the space between the feet will have the tendency to be large. Which would take you longer to put your foot on the ground, and that would leave you more exposed.
He said this to another practitioner, and I heard it anyway.

Ei, as vezes a vida fica difícil, não é mesmo? Ao lidarmos com situações que vão além da nossa capacidade de compreensão naquele momento, tendemos a fugir delas...negá-las... E assim também acontece com o Yi Ji Kim Yeung Ma [二字鉗羊馬]. Afinal, por ser uma configuração corporal exótica ao nosso dia a dia, nosso corpo nos primeiros momentos parece não conseguir entender o que deve fazer. Com isso, ele deposita energia em excesso em pontos desnecessários, o que causa a dor. E nós, acabamos por cair no enfrentamento desta dor. 
Uma possibilidade a qual tive acesso com meu Si Fu, é a de que não devemos recusar esse momento da dor. Pois segundo ele, demoramos muito para chegar nesse ponto. Por que então não curtir o momento? Pois a maioria dos praticantes, quando começam a sentir dor ou desconforto, resolvem parar. 
As vezes eu gosto de dizer que nunca desisti. Isso não é completamente verdade. Desistimos de coisas importantes diariamente, das menores as maiores. Geralmente por conta da dor ou da frustração que nos causam. E eu tenho algumas destas desistências em minha trajetória de vida. A diferença, é que com relação ao Yi Ji Kim Yeung Ma [二字鉗羊馬], eu posso tentar mais uma vez agora mesmo. Outras desistências, nunca mais terei outra chance de voltar e tentar novamente.
Por isso acredito, na importância da prática das artes marciais. Tendo Kung Fu, você até pode fazer uma parada estratégica, mas você segue em frente e ainda curte a dor e o desconforto.

Hey, sometimes life gets tough, doesn't it? When dealing with situations that go beyond our ability to understand at that moment, we tend to run away from them ... to deny them ... And so it is with Yi Ji Kim Yeung Ma [二字 鉗 羊馬]. After all, because it is an exotic body configuration to our daily lives, our body at first seems to be unable to understand what it should do. With this, it deposits excess energy in unnecessary points, which causes the pain. And we ended up falling for this pain.
One possibility that I had access to with my Si Fu is that we must not refuse this moment of pain. According to him, it took us a long time to reach that point. So why not enjoy the moment? Because most practitioners, when they start to feel pain or discomfort, decide to stop.
Sometimes I like to say that I never gave up. This is not completely true. We give up important things daily, from the smallest to the largest. Usually because of the pain or frustration they cause us. And I have some of these dropouts in my life. The difference is that with Yi Ji Kim Yeung Ma [二字 鉗 羊馬], I can try it again right now. Other withdrawals, I will never have another chance to go back and try again.
That is why I believe in the importance of practicing martial arts. When you have Kung Fu, you can even make a strategic stop, but you move on and still enjoy the pain and discomfort.

THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira “Moy Fat Lei“
moyfatlei.myvt@gmail.com