Apoie o Blog!

domingo, 26 de julho de 2020

An essay on the latest "Remote Distance Meetings" : "HOW ARE YOU, SI FU?"

Si Fu tem a estranha mania de desconstruir os pensamentos de seus To Dai. Não porque ele quer, mas porque assim como numa prática de "Chi Sau", um braço tensionado é um "prato cheio" para o adversário atento. Si Fu gosta de trazer aos seus To Dai, novas perspectivas que os ajudem a ressignificar o seu pensamento "fixo", "automático" ou "cartesiano"- "É importante se deixar atravessar pelo pensamento do outro..." - Diz ele. Ao longo dos anos, não faltaram oportunidades nas quais Si Fu perguntava a algum novato: "Você já reparou que quando você passa por alguém e pergunta 'Tudo bem?' , a outra pessoa não responde e você não se incomoda dela não ter respondido..."- Aí ele costuma dar uma risada como se fosse a primeira vez que isso lhe ocorresse e completa: "...E o pior: Ela te pergunta 'Tudo bem?', você também não responde, ela não se incomoda de você não ter respondido, os dois vão embora e é isso..." - Nessa altura a audiência já está rindo e Si Fu geralmente conta depois a história do Si Suk Diego no elevador com uma senhora que perguntou a ele: "Tudo bem?" - Logo depois dele ter escutado essa história.
E por falar em perguntar se alguém está bem, como será que anda o Si Fu? Qual foi a última vez entramos em contato para lhe perguntar: "Oi, Si Fu. Tudo bem?" - Não para iniciar o assunto principal(Como qualquer pessoa faria), mas para honestamente saber se ele esta bem?
Recentemente, já foram umas três vezes em que entro "on line" com Si Fu já com a energia voltada para o tema que vamos tratar e ele com muita calma diz: "Oi Thiago, tudo bem com você?". Às vezes, mesmo assim eu não entendo o que está acontecendo e Si Fu diz: "Como estão as coisas?". Quando nem assim, eu noto, ele finalmente diz: "Então vamos lá! Qual o tema de hoje?".
Nos "Encontros Remotos à Distância", desde que a quarentena começou, vi Si Fu mudar seu estilo por diversas vezes na condução desse processo. Porém ele tem feito algo curioso: Geralmente quando entramos "on line" mais cedo ou estamos esperando mais alguém se conectar. Ele vai perguntando para cada um: "Tudo bem?"ou "Como você está?". Dependendo do que a pessoa responde, ele faz algum comentário divertido, sorri e todos sorriem com ele. Às vezes parece que Si Fu mora dentro do "Google Meeting", pois nenhum dos presentes pergunta de volta: "E o senhor, Si Fu? Tudo bem com o senhor?"- E isso me inclui. Eu ainda preciso trabalhar mais minha sensibilidade para estas coisas.
Si Fu às vezes aparece tomando sopa, comendo alguma coisa, ou bebendo alguma coisa. Não existe falta de respeito aos presentes quando ele faz isso. Ele sinaliza que vai comer e brinca: "Hoje eu 'tô comendo camarão! Alguém está servido?" ou ainda "Vai falando que enquanto isso eu vou tomar minha 'sopinha'." - Todos riem, mas me pergunto como está o tempo do Si Fu, como está a agenda dele. Pois como sua energia é muito grande, ele sempre parece estar pleno e cheio de vitalidade. às vezes reclamo com ele: "Si Fu, se o senhor parecer que está bem, as pessoas não vão entender a situação..." - Ele responde com um "sarcasmo educativo": "Desculpe se não sou dramático, Thiago, Vou me esforçar."
Em nosso último "Encontro Remoto" na noite de Quarta-feira, tivemos a presença de nossa Si Suk Inês Braconnot. Si Fu dedicou um tempo para acolhe-la, não só apresentando ela para os que não a conheciam, e passando a palavra para que ela própria se apresentasse, mas criando um ambiente tão agradável, que ela naturalmente poderia se sentir bem-vinda para retornar. Essa interminável disposição de Si Fu para fazer seu melhor para a Família, pode fazer os mais incautos esquecerem de uma coisa básica que fazemos até mesmo com estranhos em nosso dia a dia: Que é o simples ato de perguntar: "Oi, Si Fu. Tudo bem com o senhor?"


Si Fu has the strange habit of deconstructing the thoughts of his To Dai. Not because he wants to, but because as in a "Chi Sau" practice, a tense arm is a "full plate" for the attentive opponent. Si Fu likes to bring to his To Dai, new perspectives that help them to reframe their "fixed", "automatic" or "Cartesian" thinking - "It is important to let yourself be crossed by the thought of the other ..." - He says. Over the years, there was no shortage of opportunities in which Si Fu asked a newcomer, a curiosity about the brazilian protguese language: "Have you noticed that when you pass by someone and ask 'How are you?' , the other person does not respond, you do not mind that he did not respond ... "- Then Si Fu usually laughs as if it were the first time this has occurred to him and adds:" ... And the worst thing: The same person asks you 'How are you?', You don't answer either, the person doesn't mind that you didn't answer, and you both leave and that's it ... "- At that time the audience is already laughing and Si Fu usually tells the story of Si Suk Diego in the elevator with a lady who asked him: "How are you?" - Right after he heard that story.

And speaking of asking if someone is okay, how is Si Fu doing? When was the last time we contacted him just to ask, "Hi, Si Fu. How are you?" - Not to start the main subject (as anyone would do), but to honestly know if he is okay?

Recently, it has been about three times that I go on line with Si Fu already with the energy focused on the topic we are going to deal with and he very calmly says:" Hi Thiago, how are you? ". Sometimes, even then, I don't understand what's going on and Si Fu says, "How are you doin'?" When I don't even notice it, he finally says, "So come on! What's today's topic?"

In the "Remote Distance Meetings", since the quarantine began, I saw Si Fu change his style several times in the conduct of this process. However, he has done something curious: Usually when we go online sooner or we are waiting for someone else to connect. He asks each one, "How are you?" . Depending on what the person responds to, he makes some amusing comment, smiles and everyone smiles with him. Sometimes it seems that Si Fu lives inside the "Google Meeting", because none of those present asks back: "What about you, Si Fu? How are you" - And that includes me. I still need to work on my sensitivity to these things.
Si Fu sometimes shows up eating soup, eating something, or drinking something. There is no lack of respect for those present when he does this. He signals that he is going to eat and jokes: "Today I'm eating shrimp! Is anyone served?" or "Go ahead and talk. In the meantime I'm going to have my soup." - Everyone laughs, but I wonder how Si Fu is doing, what his schedule is like. Because his energy is so great, he always seems to be full and full of vitality. sometimes I complain to him: "Si Fu, if you seem to be doing well, people will not understand the situation ..." - He replies with an "educational sarcasm": "Sorry if I'm not dramatic, Thiago, I'm going strive about this topic. "
In our last "Remote Meeting" on Wednesday night, we had the presence of our Si Suk Inês Braconnot. Si Fu took the time to welcome her, not only introducing her to those who did not know her, and giving the floor to her to introduce herself, but creating an atmosphere so pleasant that she could naturally feel welcome to return . This endless willingness of Si Fu to do his best for the Family, can make the most unwary forget about a basic thing that we do even with strangers in our daily lives: That is the simple act of asking: "Hi, Si Fu. How are you? "


The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvT@gmail.com

The new curse of "Gwan":How "Jing Choei"(戰捶) improved my health.

Recentemente tive uma ótima notícia com relação à minha saúde. Não tinha nada a ver com "COVID-19", mas foi uma excelente notícia. Nos meses que antecederam esses resultados a incerteza era muito grande, e por conta disso, minha mente era tomada de assalto para este problema. Então cabia à mim trazê-la de volta. Eu poderia simplesmente voltar ao trabalho do "Siu Nim Tau de 1 hora" que fiz por seis meses em 2002, pois já havia dado certo em outra questão de saúde. Mas dessa vez tive outra ideia: Fazer uma prática selvagem de  "Jing Choei"(戰捶). Então eu pensava: "Ei cara! isso vai doer!". 
Em 2007, escrevi o primeiro artigo para esta página chamado "A maldição do Gwan". Nele, relatava a experiência da minha tão sonhada primeira sessão no Domínio "Luk Dim Bun Gwaan". E algo que Si Fu disse à mim e ao Vladimir Anchieta naquela oportunidade foi: "Treinem em casa!".

I recently had great news regarding my health. It had nothing to do with "COVID-19", but it was excellent news. In the months leading up to these results, the uncertainty was very big, and because of that, sometimes my mind was assaulted by this problem. So it was up to me to bring my mind back. I could just go back to the "1 hour of Siu Nim Tau" work that I did for six months in 2002, as it had already worked on another health issue. But this time I had another idea: A savage practice of "Jing Choei" (戰 捶). So I thought: "Hey man! This is gonna hurt!"
In 2007, I wrote the first article for this page called "The Curse of Gwan". In it, I related the experience of my long-dreamed first session at the Domain "Luk Dim Bun Gwaan". And something that Si Fu said to Vladimir Anchieta and me on that occasion was: "Practice at home!".
"...Porém, tanto eu como Vlad, machucamos feio os nossos joelhos! Mal começamos e machucamos!!!(pelo menos o meu foi jogando bola na semana seguinte). E a isto, o Si fu chamou de : 'A maldição do Gwan' em tom de muita brincadeira! Pois por pura ironia do acaso, foi acontecer logo nesta nova etapa! Mas tudo bem! Acho que depois de tanto escrever, passa longe de mim a idéia de que eu ou o Vlad, viéssemos a ser derrotados por nossos joelhos..." ("A maldição do Gwan"- Abril de 2007- Insidevingtsun.com)
Se meus joelhos doíam em 2007, você pode imaginar agora. O interessante, é que quando temos vigorosidade e um físico pleno, não é incomum usarmos força bruta “Bak Lik”(暴力). Então quando fazemos o "Jing Choei"(戰捶), a intensidade de nossos golpes geram a tendência adequada para nos movermos. "Avançar por sua própria experiência" - Disse-me Si Fu recentemente. E como meus joelhos doem tanto, eu não tenho muito tempo a perder. Então preciso estar presente no que estou fazendo, para ter a chance de melhorar. "...É preciso estar presente. É preciso ter uma percepção do cenário...".  - Disse-me Si Fu na mesma ocasião.
Então você podia me ver nesses meses praticando o "Jing Choei"(戰捶) com muita intensidade. O desconforto extremo causado por essa prática, impedia que minha mente flutuasse para os problemas. Eu sabia que se fizesse isso por tempo suficiente, quem sabe, não poderia invocar essa mesma sensação quando estivesse sentado no metrô em direção ao meu outro trabalho.

"However, both me and Vlad, we hurt our knees badly! We barely started and hurt our knees!!! (at least mine was playing soccer the following week). And this, Si fu called:" The curse of Kwan "in tone of a lot of joke! Because by pure irony of chance, it happened right away in this new domain! But that's okay! I think that after so much writing, the idea that Vlad or I would be defeated on our knees is out of question... " ("The curse of Gwan" - April 2007- Insidevingtsun.com)

If my knees were hurt in 2007, you can imagine now. The interesting thing is that when we have vigor and a full physique, it is not uncommon to use brute force “Bak Lik” (暴力). So when we do "Jing Choei" (戰 捶), the intensity of our punches  generates the proper tendency to move. "Advance by your own experience" - Si Fu told me recently. And since my knees hurt so much, I don't have much time to waste. So I need to be present in what I'm doing, to have a chance to improve. "... It is necessary to be present. It is necessary to have a perception of the scenario ..."- Said me Si Fu in the same occasion.
(Ilustração do genial Takehiko Inoue que eu usei no segundo artigo desta página: "JING CHOEI ,
 "soco de guerra". Queria ilustrar a dor e o cansaço que sentia depois das práticas)

(Illustration by the brilliant Takehiko Inoue. I used it in the second article of this page: "JING CHOEI, war punch ". I wanted to illustrate the pain and tiredness I felt after the practices)

"...Meu corpo extremamente dolorido, (principalmente nas costas e nas pernas), faz do Jing Choei meu companheiro 24 horas por dia. Mesmo quando deito pra dormir e não consigo me sentir bem numa determinada posição, sei que foi por causa dele. E ainda assim, tenho a consciência de que três sessões não são absolutamente nada comparadas com o que ainda está por vir. E que sem um esforço além dos treinos, poderá ser mais 'pesado' ainda.
Estes são os meus sentimentos pessoais com relação ao Jing Choei. Para mim ele é magnificamente exigente. E só de pensar que todos os grandes mestres passaram por ele,e ainda, tentar imaginar o que eles sentiam ao treiná-lo, e observar onde chegaram. Torna tudo ainda mais motivador.Realmente, a espera valeu a pena.. "("JING CHOEI, SOCO DE GUERRA", Abril de 2007- Insidevingtsun.com)

"... My extremely sore body, (mainly in the back and legs), makes Jing Choei my companion 24 hours a day. Even when I lie down to sleep and I can't feel well in a certain position, I know it was because of it And yet, I am aware that three sessions are absolutely nothing compared to what is yet to come, and that without an effort beyond training, it could be even more 'heavy'.

These are my personal feelings about Jing Choei. For me it is magnificently demanding. And just to think that all the great masters went through it, and yet, to try to imagine what they felt when training it, and to observe where they arrived. It makes everything even more motivating.Really, the wait was worth it .. "(" JING CHOEI, SOCO DE GUERRA ", April 2007- Insidevingtsun.com)

Então quando você se posiciona para começar o "Jing Choei"(戰捶), é como decidir singrar um mar que você sabe que é agitado. Você não entra na posição por acidente, você decide estar nela. E qual o sentido em, numa situação desconfortável como a que vivi nos últimos meses, você buscar ainda mais desconforto para amenizar?
Uma pessoa próxima certa vez me disse que eu era muito sonhador e que me escondia atrás do Ving Tsun. Essas foram palavras duras de serem ouvidas, mas que nunca mais as esqueci. Porém, em cada momento que entrava na posição de preparo(foto), e elas me ocorriam. Imediatamente as palavras de meu Si Fu vinham até mim com muito mais força: "...Você nunca vai saber porque dedicou tanto de sua vida à um sonho, até o dia em que esse sonho salvar a sua vida..."

So when you position yourself to start "Jing Choei" (戰 捶), it's like deciding to sail into a sea that you know is rough. You don't accidentally enter the position, you decide to be in it. And what is the point in, in an uncomfortable situation like the one I experienced in the last few months, that you seek even more discomfort to ease?
A person close by me once told me that I was a dreamer and that I was hiding behind the Ving Tsun. Those were harsh words to hear, but I never forgot them. However, every time I entered the stance position (photo), and they occurred to me. Immediately the words of my Si Fu came to me with much more force: "... You will never know why you dedicated so much  time of your life to a dream, until the day that dream saved your life ..."


"...Um sonho que pode ser realizado facilmente,não é um sonho de verdade..." (Última linha do primeiro artigo desta página: "A maldição do Gwan" - Abril de 2007)

"... A dream that can be easily accomplished, is not a real dream ..." (Last line of the first article on this page: "The curse of Gwan" - April 2007)


The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

sábado, 25 de julho de 2020

Tourists can now fly like in the Wuxia movies in China.

("O Tigre e o Dragão", duas décadas atrás, apresentou pela
 primeira vez no mainstream o gênero "Wuxia" 武俠)

by
Thiago Pereira

Ao que parece, os dias em que alguém fazia piada com o fato das personagens de filmes do gênero "Wuxia"(武俠) voarem, estão cada vez mais distantes. Pois com o crescimento vertiginoso da China nas últimas duas décadas, muito de sua exótica cultura está se tornando mais próximo do público ocidental. Inclusive, os filmes que se baseiam nesse gênero chamado "Wuxia"(武俠). 
"Wuxia"(武俠), fala de um mundo imanente chamado "Jiang Hu"(江湖). Nesse mundo, os heróis que nele habitam, possuem uma conduta própria que vai variar em cada obra. Porém, independente das variações que se apresentem, os artistas marciais do mundo real conseguem se identificar com essas personagens que são considerados "Mou Hap"(武俠).

It seems, the days when someone made fun of the fact that characters from films of the genre "Wuxia" (武俠) fly, are increasingly far far away. Because of China's rapid growth in the past two decades, its exotic culture is becoming closer to the Western public. Even films that are based on this genre called "Wuxia" (武俠).

"Wuxia" (武俠), speaks of an immanent world called "Jiang Hu" (江湖). In this world, the heroes who live in it have their own moral codes that varies in each book or work. However, regardless of the changes they present, real-world martial artists will be able to identify with these characters considered "Mou Hap" (武俠).
(Jet Li interpreta o "Guerreiro sem nome" no filme "Hero" de Zhang YiMou)

Nossa ideia de "Herói", se baseia em figuras como "Hércules" ou "Aquiles", e por isso é difícil entendermos o conceito de "Mou Hap"(武俠). Resumidamente, são artistas marciais que encarnam uma conduta baseada nos valores do estilo de arte marcial (Mun Phai"門派) que representa antes dos seus próprios valores. E aqueles que se destacam dentre os que vivem nesse mundo chamado  "Jiang Hu"(江湖) podem até mesmo voar!

Our idea of "Hero" is based on figures like "Hercules" or "Achilles", and for this reason it is difficult to understand the concept of "Mou Hap" (武俠). In short, they are martial artists who embody a conduct based on the values of the martial art style (Mun Phai "門派) that they represent before their own values. And those who stand out among those who live in this world called" Jiang Hu "(江湖) they can even fly!


O gênero "Wuxia"(武俠), também tem sido introduzido no Ocidente, através dos jogos de celular(Mobile Games). Pois muitos dos jovens da China continental na atualidade, estão com suas cabeças completamente voltadas para os negócios e também para como abrir seu primeiro negócio ou ampliá-lo. E num mundo cada vez mais dinâmico, os consoles vem sendo substituídos cada vez mais por aparelhos de celular. E nesse mercado que já está dominado pelos chineses, o gênero "Wuxia"(武俠) tem se destacado entre estes games.
Uma empresa porém decidiu ir além....


The genre "Wuxia" (武俠), has also been introduced in the West, through  games for cell phones (Mobile Games). For many of the young people in mainland China today, their heads are completely focused on business and also on how to open their first business or expand it. And in an increasingly dynamic world, consoles are being replaced more and more by cell phones. And in this market that is already dominated by the Chinese companies, the genre "Wuxia" (武俠) has stood out among these games.

One company however decided to go further ....
Localizado em Fujian,na China continental. O ponto turístico é cercado por cachoeiras, montanhas e estruturas antigas para ajudar a criar uma experiência imersiva. Este local é conhecido pelo público ocidental como "Xiatianxia Scenic Area" em Fujian.

Located in Fujian, mainland China. The tourist spot is surrounded by waterfalls, mountains and ancient structures to help create an immersive experience. This place is known to the western public as "Xiatianxia Scenic Area" in Fujian.
Para quem for se hospedar na região onde está localizado o complexo turístico, existe a fabulosa opção de ficar no "Xiatianxia Jianghu Inn", que como o próprio nome já diz. É um hotel inspirado nas construções presentes no mundo fictício de  "Jiang Hu"(江湖).

For those who are staying in the region where the tourist complex is located, there is the fabulous option of staying at the "Xiatianxia Jianghu Inn", which as the name says. It is a hotel inspired by the constructions present in the fictional world of "Jiang Hu" (江湖).
De todas as atrações do complexo, a que está ganhando o mundo, é a que coloca o turista dentro da pele de um personagem de "Wuxia" 武俠 com trajes típicos e a possibilidade de voar! Acompanhe o vídeo abaixo e comece a juntar seu dinheiro para quando a pandemia acabar!

Of all the attractions in the complex, the one that is winning the world, is the one that puts the tourist inside the skin of a character from "Wuxia" 武俠 with typical costumes and the possibility of flying! Follow the video below and start collecting your money for when the pandemic is over!

Font: South China Morning Post

sexta-feira, 17 de julho de 2020

What if we aim to hit the target? Another essay on "Gwan" (棍) (PART 2)

... "E se mirássemos para acertar?"- Com esta questão inicio este ensaio. Afinal, quando você inicia alguma coisa em sua vida cotidiana, ainda que seja uma simples fala. O quanto você usa de assertividade? É possível desenvolver isso com o "Gwan Faat"(棍法)? Eu diria que sim...
Recentemente em conversa com meu Si Fu, relembrávamos os tempos em que dentro do Grande Clã Moy Yat Sang, era possível acessar até o Domínio "Mui Fa Jong", sem ter feito o "Baai Si". Porém, não era permitido acessar os Domínios que faziam uso de armas, sem ter realizado essa Cerimônia.- "Pensando bem Pereira, faz todo o sentido..."- Disse Si Fu. Segundo ele, a maneira pela qual você porta o "Gwan" (棍), diz muito sobre a natureza deste Domínio- "Já reparou que depois que você segura o bastão, você não solta mais?"- Indagou-me Si Fu. Ele comentou que de fato, é um Domínio que exige um nível maior de "solidez" para explorá-lo, ao fazer alusão ao fato de que mantemos nossas mãos firmes segurando o bastão durante todo o tempo.- "Por isso fazia sentido ser um nível restrito à discípulos. É preciso um nível maior de solidez e comprometimento"- Completou ele.


... "What if we aim to get it right?" - With this question I start this essay. After all, when you start something in your daily life, even if it is a simple speech. How much do you use assertiveness? Is it possible to develop this with "Gwan Faat" (棍法)? I would say "yes" ...
Recently in conversation with my Si Fu, we recalled the times when within the Grand Clan Moy Yat Sang, it was possible to access the Domain "Mui Fa Jong", without having performed "Baai Si". However, it was not allowed to access the Domains that used weapons, without having performed this Ceremony. - "On second thought, Pereira, it makes perfect sense ..." - Said Si Fu. According to him, the way in which you carry the "Gwan" (棍), says a lot about the nature of this Domain- "Have you noticed that after you hold the staff, you don't  loose it?" - Si Fu asked me. He commented that, in fact, it is a Domain that requires a greater level of "solidity" to exploit it, alluding to the fact that we keep our hands steady holding the staff at all the time. - "So it made sense to be a level restricted to disciples. A higher level of solidity and commitment is needed "- He completed.
Perguntei então à Si Fu sobre o "Gwan Faat"(棍法).- "Por que ele está lá?"- Dentre tudo que foi falado, Si Fu chamou a atenção para o fato deste ser um nível medial. Ele faz a ponte entre um Domínio em que usamos as mãos e com alta capacidade de ajuste("Mui Fa Jong) para um Domínio com capacidade de ajuste, mas com consequências mais claras("Baat Jaam Do").
Si Fu me levou a perceber o total sentido de termos o "Gwan Faat"(棍法) entre estes dois momentos. Exatamente para nos educar, a sermos mais firmes em nossas decisões. Ou seja, portarmos uma ferramenta como o "Gwan"(棍), que nos educa naturalmente não só a mirarmos para acertarmos de primeira, como também nos torna mais responsáveis pelas decisões que tomamos.

I then asked Si Fu about "Gwan Faat" (棍法) .- "Why is it there?" - Among all that was said, Si Fu drew attention to the fact that this is a medial level. It bridges the gap between a Domain where we use hands and with a high adjustment capacity ("Mui Fa Jong) to a Domain with adjustment capacity, but with clearer consequences (" Baat Jaam Do ").
Si Fu led me to realize the total sense of having "Gwan Faat" (棍法) between these two moments. Exactly to educate ourselves, to be more firm in our decisions. That is, we carry a tool like "Gwan" (棍), which naturally educates us not only to aim to get it right the first time, but also makes us more responsible for the decisions we make.
Por fim, por ser um elemento externo ao nosso corpo, é fundamental se deixar portar pelo peso do bastão. Não basta só conseguir disparar, você precisa projetar toda a energia naquele único ponto, sem deixar o bastão "dançar" em sua extremidade. Confesso que não é fácil... É desafiador identificar o alvo, o momento certo para disparar, e por fim: Se deixar levar pelo potencial do movimento, e não tentar usurpar a ação para si. Um dia...Quem sabe... Apenas eu dispare e o alvo seja acertado. Não por um desejo, mas por consequência...

Finally, as it is an element external to our body, it is essential to let ourselves be carried by the weight of the staff. It is not enough to just be able to shoot, you need to project all the energy in that single point, without letting the staff "dance" at its end. I confess that it is not easy ... It is challenging to identify the target, the right moment to shoot, and finally: Get carried away by the movement's potential, and not try to usurp the action for yourself. One day ... Who knows ... I´ll just shoot and the target will be hit. Not out of desire, but as a consequence ...



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com

sábado, 11 de julho de 2020

Si Suk Ursula´s Kung Fu Family Tenth Year

Quando Si Suk Ursula recebeu a Titulação de Mestre pela Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence. Si Gung disse algo muito importante em seu discurso: Teria dito ele, que ela já iniciava essa nova fase de sua trajetória, com um desafio que nenhum outro dos Mestres até então havia tido: O de que além de Mestra, era mãe e esposa.Si Gung pontuou a limitada percepção social que diferencia a maneira que encaramos a dedicação de um homem ao seu trabalho, em comparação a de uma mulher.  E esse foi um fator que me voltou à cabeça anos depois, quando numa Cerimônia da Família Moy Fei Lap, Si Suk Ursula saiu literalmente correndo(ou andando rápido) ao final da mesma. Pois na sequência teria alguma apresentação da Rebeka em sua escolinha. Veja: Era um Sábado à tarde, e mesmo depois de uma longa e estenuante semana desempenhando as várias funções acumulativas que sua carreira exige, compareceu àquela Cerimônia tanto para prestigiar seu irmão Kung Fu quanto para fazer sua Família presente. E isso, claro, se deu em tantos outros eventos, viagens e noites dormindo no Mo Gun.
A Si Suk Ursula vive com sua família na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro e seus Mo Gun geralmente localizam-se ao longo da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, que fica na Zona Sul. Para quem não conhece a cidade, é uma distância bem considerável, mesmo de carro. Soma-se à isso, a dificuldade em encontrar uma vaga para estacionar quando se chega em Copacabana- "Eu conhecia um rapaz aqui que guardava minha vaga, mas ele não está aqui hoje". - Disse ela a mim enquanto procurava uma vaga para seu carro. Em outra ocasião, acompanhei ela até onde seu carro estava por uma rua um tanto quanto deserta num horário não tão bom para se perambular pelas redondezas. Essas são pequenas passagens, que mostram o desafio de um Si Fu, para poder prover o melhor aos seus To Dai. Momentos como esses são tão singelos, que muitas vezes passam despercebidos pela maioria. Então você vê aquele aluno mandar uma mensagem descompromissada em cima da hora dizendo: "Si Fu, hoje não poderei ir".
Si Suk Ursula começou o trabalho na região da Zona Sul em Ipanema num espaço com outras atividades. Certo dia, a dona decidiu se desfazer do local, e a partir dali começou uma contagem regressiva: Si Suk Ursula teve pouco tempo para decidir o que fazer e para onde ir.- "Será que os alunos acompanhariam?" - Si Suk Ursula aceitou o desafio e alugou uma sala muito bem dividida em Copacabana. Seus primeiros alunos e alguns outros da própria Família Moy Jo Lei Ou, ajudaram na montagem daquele local. Eu adorava frequentar aquele Mo Gun. Achava ele muito aprazível e estar com a Si Suk Ursula sempre era muito bom. Por isso, quando um dia cheguei lá e a acompanhei com alguns de seus alunos, até um imóvel no mesmo bairro. Descobri que ela pretendia se mudar e não entendi. Si Suk Ursula parecia ter desenvolvido àquela altura, uma habilidade pontuada por Si Gung em alguma de suas visitas: A de que um líder deve sentir as coisas no ar.
Quando a Família Moy Lin Mah mudou-se para o novo endereço, a Rebeka já estava mais velha, e vez ou outra ela aparecia num evento. Fossem nesses momentos ou em outros em que pude presenciar a relação das duas. Sempre vi uma filha muito apaixonada pela mãe. Às vezes morro de rir quando vejo alguma brincadeira em vídeo das duas  em alguma rede social da Rebeka. A Si Suk Ursula do círculo marcial tem um olhar muito penetrante, e então nesses vídeos o olhar ainda está lá, mas ela está brincando. São cenas engraçadas de mãe e filha.
Em outra oportunidade, descia de carro com ela uma rua de Copacabana em direção ao seu Mo Gun. Comentei com ela a sorte que ela tinha de ter encontrado um companheiro que entendia tão bem sua profissão. Ela respondeu rindo: "Sorte nada! Teve muito trabalho dos dois." - E esse trabalho dela e de seu esposo Ricardo Lopes, criou uma parceria muito especial na condução da Família Moy Lin Mah. Digo isso, porque os alunos são super apaixonados pelo Ricardo e se entusiasmam a cada vez que ele está com eles.
Meu Si Fu diz que o dia da celebração "não vale". O que "vale" é o que acontece entre esse dia e o do próximo ano. E pensando em tudo que ocorreu nos bastidores de cada desafio vivido pela jovem Mestra(a primeira da América Latina desta arte marcial). Acredito que ela tenha sido muito bem sucedida. Afinal, ela vem conseguindo de forma brilhante honrar o desafio pontuado por seu Si Fu no dia de sua Titulação. Pois não se passa um "Dia dos Namorados" ou de "Aniversário de Casamento", que seu esposo não lhe faça uma declaração pública como se estivessem ainda iniciando seu namoro em 1995. Como também, apenas pelo tom de voz e sorriso de sua filha ao se dirigir à ela, podemos ver quanto amor existe ali. E isso, com todos os aparentemente infindáveis compromissos que envolveram e envolvem sua carreira nesses dez anos.
Parabéns para a minha Si Suk Ursula, por sua coragem diária, em seguir transformando vidas. Inclusive a minha.

When Si Suk Ursula received her Master's Degree from Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence . Si Gung said something very important in his speech: He would have said, that she has already started this new phase of her trajectory, with a challenge that no other Master  has yet had: Besides being a Master, she was also a mother and wife. Si Gung pointed out a limited social perception that differentiates a way of looking at a man's dedication to his work, compared to a woman. And that was a factor that left me thinking years later, when during some Moy Fei Lap Family's Ceremony, Si Suk Ursula literally ran (or walked fast) in the end of it. Because right after that, she had to attend some presentation of her daughter Rebeka in her school. See: It was a Saturday afternoon, and even after a long and challeging week, performing as several cumulative functions that her career requires, she attended that Ceremony to prestigious her  Kung Fu brother and to make her family present. And that, of course, happened in so many other events, trips and nights spent at her Mo Gun.
Si Suk Ursula lives with her family in the West Zone of the city of Rio de Janeiro and her Mo Gun(Schools) are usually located along  Nossa Senhora de Copacabana Avenue, which is in the South Zone. For those who do not know the city, it is quite distant,even by car. Beside that, there is the difficulty of finding a parking space when arriving in Copacabana- "I know a boy here who keeps a parking space for me, but he is not here today". - She said to me while looking for a parking lot for her car. On another occasion, I accompanied her to where her car was on the street  at a time that is not so good for wandering around. These are small passages, which show the challenges of a Si Fu, to prove the best to his/her To Dai. Moments like these are so simple, that they often go unnoticed by the majority. So you see that student send an uncompromised message at the last minute saying: "Si Fu, today I can't go".
Si Suk Ursula started working in the South Zone region in Ipanema in a space with other activities. One day, when the owner would sell the place, and from there a countdown begins: Si Suk Ursula had little time to decide what to do and where to go.- "Would the students follow her?" - Si Suk Ursula accepted the challenge and found a very well divided room in Copacabana. Her first students and some others from the Moy Jo Lei Ou Family helped to set up this place. I loved attending that Mo Gun. I thought it was a very pleasant place and being with Si Suk Ursula was always very good. So when one day I arrived and accompanied her and some of her students, to a property in the same neighborhood. I found out that she wants to move and I didn't understand. Si Suk Ursula seems to have developed at that moment, a skill punctuated by Si Gung on some of his visits: A leader that should feel the things in the air.
When the Moy Lin Mah Family moved to the new address, Rebeka was already older, and used to show up at some events. Whether at these times or at other times when I could see the relationship of Si Suk and her daughter. I have always seen a daughter very much in love with her mother. Sometimes I die laughing when I see a video of the two on some Rebeka´s social network playing around. Si Suk Ursula from the martial arts circles has a  very penetrating eyes, and so in the videos her strong eyes are still there, but she is playing with her daughter. So there are some funny scenes of mother and daughter out there.
On another occasion, I was with Si Suk in her car  driving down some Copacabana street towards her Mo Gun. I told her how lucky she was to find a partner who understood her profession so well. She replied laughing, "There was nothing about lucky! There was a lot of work for both of us." - Her husband Ricardo Lopes, created a very special partnership in the management of the Moy Lin Mah Family with her. I say that, because the students are super in love with Ricardo and get excited every time they are with him.
My Si Fu says that the celebration day "Does not count". What "counts" is what happens between that day and the next year. And thinking about everything that happened behind the scenes of each challenge experienced by the young Master (the first in Latin America in this martial art). I believe it has been very successful. After all, she has brilliantly managed to honor the challenge punctuated by her Si Fu on the day of her Master´s Degree Qualification. Because there is no "Valentine's Day" or "Wedding Anniversary", that her husband does not make a public statement to her as if they were still starting their relationship in 1995. As well, just by the tone of her daughter's voice and smile by addressing it to her, we can see how much love there is. And that, with all the seemingly endless commitments that have involved and involve her career in these ten years.

Congratulations to my Si Suk Ursula, for her daily courage, in continuing to transform lives. Including mine.


The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quarta-feira, 8 de julho de 2020

How much does the weight of "Gwan"(棍) matter? - PART 1

Um dia quando ganhamos alguma coisa de alguém e não agradecemos, nossa mãe ou nosso pai, nos perguntam: "O que se diz quando alguém dá alguma coisa pra gente?". Porém, em outra oportunidade que você não vai lembrar, você fez alguma malcriação com um adulto de sua família ou não, e seu pai ou sua mãe provavelmente deu o seguinte comando: "Vai lá e pede 'desculpa' pro tio!"...  - Nesse dia, e pior: Sem saber. Você aprenderia uma coisa que mudaria sua vida para sempre: Tudo pode se resolver se você se desculpar.
Acontece que anos depois, você se deparou com uma situação e mesmo se desculpando, não ficou tudo bem. - "Ué?"- Pergunta aquele seu "eu" ainda infantilizado em seu inconsciente- "Mas a mamãe disse que se pedir desculpas tudo se resolve".  - Pronto! Agora você descobriu que esse pedido de desculpas pode ser mais elaborado para ser mais eficaz... Afinal, se ele for muito direto, pode ser que ele não seja aceito. E mais: Caso você perceba que seu pedido de desculpas, ainda que elaborado, não surtirá efeito. Você pode simplesmente sumir! Mas essa também é uma parte sua, que ainda acredita mesmo na casa dos vinte ou trinta. Que se taparmos nossos olhos com as mãos, podemos sumir como quando tínhamos dois ou três aninhos.
Quando falamos de "Kuen Faat"(拳法), tratamos de um termo tão abrangente, que prefiro me reservar à não tentar traduzi-lo , para que não limite seu escopo. Porém, posso dizer que ele também se refere à uma fase de um Sistema de Variação como o Ving Tsun, que se relaciona com o que chamamos de "mãos livres". Mais precisamente o "Siu Nim Tau", "Cham Kiu" e o "Biu Ji".
Acontece que com o passar do tempo e com nossa experiência. Percebemos em nós, uma capacidade muito grande de fazermos reposições com as mãos, caso o primeiro movimento tenha sido infrutífero. Com o tempo, os mais incautos podem até mesmo abrir mão de serem precisos ou assertivos em suas ações. Afinal, caso não tenhamos conseguido de primeira, repomos o movimento com a mão da retaguarda e assim vamos...

One day when we get something from someone and we don't thank them, our mom or dad asks us: "What does we say when someone gives something to us?". However, on another occasion that you will not remember, you did some mischief with an adult in your family or not, and your father or mother probably gave the following command: "Go there and say 'sorry' to your uncle!" .. - That day, and worse: Without knowing. You would learn one thing that would change your life forever: "Everything can be solved if you apologize."
It turns out that years later, you came across a situation and even apologizing, it was not all right. - "Huh?" - Ask that "self" still childish in your unconscious- "But mom said that if you apologize everything will be resolved". - Thats it! Now you have found that this apology can be more elaborated to be more effective ... After all, if it is too direct, it may not be accepted. And more: If you realize that your apology, even if it is elaborate, will not be effective. You can just disappear! But this is also a part of you, who still believe in yours twenties or thirties. That if we cover our eyes with our hands, we can disappear as when we were two or three years old.

When we speak of "Kuen Faat" (拳法), we are dealing with a term so broad that I prefer to reserve myself rather than trying to translate it, so that it does not limit its scope. However, I can say that it also refers to a phase of a System of Variation like Ving Tsun, which relates to what we call "free hands". More precisely "Siu Nim Tau", "Cham Kiu" and "Biu Ji".

It happens that over time and with our experience. We perceive in us a very large capacity to make replacements with our hands, in case the first movement was unsuccessful. Over time, the most unwary may even give up being accurate or assertive in their actions. After all, if we didn’t get it at first, we could corrrect the next movement with the other hand and so on…
Conversando recentemente com meu Si Fu sobre o tema(FOTO), disse ele que o peso do bastão tem um papel fundamental num processo educativo do artista marcial. Segundo ele, o "Kuen Faat"(拳法) permite uma "correção fácil", já o "Gwan Faat"(棍法) não permite uma "correção fácil". - "... Com o 'Gwan(棍)' Thiago.Não é tão fácil mudar de ideia...." - Si Fu completou dizendo que este Domínio exige um alto nível de acurácia. - "Você percebe o quanto valorizamos a 'leveza'?" - Me indagou Si Fu.
Quando não temos um sentimento de "precisão" em nossas ações, talvez façamos coisas das quais nos arrependamos ou que machuquem outras pessoas ou que causem um prejuízo à outrem. Acreditamos que poderemos corrigir facilmente nos desculpando. Mas, e se ao invés disso, mirássemos para acertar?

Talking recently with my Si Fu on the subject (PHOTO), he said that the weight of the staff plays a fundamental role in the educational process of the martial artist. According to him, "Kuen Faat" (拳法) allows to do an "easy correction", while "Gwan Faat" (棍法) does not allow us to perform an "easy correction". - "... With 'Gwan (棍)' Thiago. It is not so easy to change your mind ...." - Si Fu added saying that this Domain requires a high level of accuracy. - "Do you realize how much we value 'lightness'?" - Si Fu asked me.

When we do not have a sense of "precision" in our actions, we may do things that we regret or that hurt other people or that cause harm to others. We believe that we can easily correct it by apologizing. But what if, instead, we aim to get it right?

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quinta-feira, 2 de julho de 2020

An essay on the art of following your "Si Fu" (師父).

(Meu Si Fu sempre chama a minha atenção para não tirar "selfies". Segundo ele, são fotos muito solitárias. Nessa ocasião, ele tenta atrapalhar minha foto mostrando o tamanho da minha testa. risos)

My Si Fu always calls my attention to stop taking "selfies". According to him, those kind of photos, are very lonely ones. On this occasion, he tries to muddle my photo by showing the size of my forehead. Laughs)


Uma vez o Renato Russo disse, que casais brigam porque quando um amigo te chama para ir num casamento em Niterói numa tarde de Sábado e você não quer, seu amigo entende. Porém, quando sua esposa te diz que haverá esse mesmo casamento e você diz que não quer ir... Provavelmente haverá uma discussão. Mas nada disse o vocalista da banda Legião Urbana, sobre a relação "Si-To"(師徒).
"Seguidor" é chamado de "To Dai"(徒弟), então "Si-To"(師徒) é como uma abreviação de "Si Fu" (師父) e "To Dai"(徒弟). Eu me considero um "To Dai"(徒弟) leal, mas o ato de seguir o "Si Fu" (師父), nem sempre será uma tarefa simples. Si Fu diz: "Gostar eu gosto de sorvete, Pereira". - Ele dizia isso apesar de só tê-lo visto tomando sorvete duas vezes: Na primeira, ele ensinava a Jade ainda criança a passar a batata frita do McDonald´s no sorvete. Na segunda oportunidade, tomamos sorvete juntos no Shopping Tijuca. 
Na primeira oportunidade, estava sentado ao lado de Si Fu e Jade, e mal conseguia olhar ele passando a batata-frita no sorvete e comendo- "Você não gosta? É bom!" - Disse ele rindo com uma batata coberta de sorvete de creme enquanto Jade comia outra. Ele me ofereceu, mas eu não consegui nem provar. Anos mais tarde, comentava com Si Fu que havia reencontrado uma antiga namorada e de como ela havia mudado. Disse Si Fu: "Você sempre foi muito 'quadrado', né Pereira?"- Comentou ele que completando depois: "Foi bom ela ter terminado com você. Ela não conseguiria descobrir quem era ela, você era muito chato. Melhorou bastante, mas ainda é bem chato". - Ouvi aquele áudio de whatsapp meio consternado, mas fazia sentido, eu era o mesmo cara que com dezesseis anos de idade, era "certinho" demais para passar a batata-frita no sorvete de creme. 
Mais de uma década depois, havia tido um desentendimento com Si Fu. Observando que a "energia" ainda estava carregada mesmo ao final, Si Fu me convidou para almoçar. Eu disse que ele se atrasaria para seu compromisso com o Fabiano Silva, ele apenas disse: "Eu sei". 
Quando o almoço acabou, acompanhei Si Fu a pé até o consultório de Fabiano. Antes porém, passamos por um quiosque do MacDonald´s que vendia sorvete.- "Vem! Vamos tomar um sorvete!" - Lembrei Si Fu que tenho alergia a lactose.- "Pode tomar, confia em mim". - E quando já estávamos na rua, Si Fu disse: "Esse sorvete não vai te fazer mal. Pode lembrar desse dia. Esse sorvete é especial". 
Naquele dia, eu teria uma série de compromissos, mas de fato não passei mal. Nem no dia seguinte. Seguir um "Si Fu" (師父) não é fácil. E me pergunto agora, o que poderia ter sido diferente em minha vida, se tivesse aceitado também, a batata-frita com sorvete em 2001...

The legendary brazilian singer Renato Russo once said that couples fight because when a friend asks you to go to a wedding in another city on a Saturday afternoon and you don't want to, your friend understands. However, when your wife tells you that there will be this same wedding and you say you don't want to go ... There will probably be an argument. But the vocalist of the rock band Legião Urbana said nothing about the "Si-To" (師徒) relationship.
A "Follower" is called "To Dai" (徒弟), so "Si-To" (師徒) is an abbreviation of "Si Fu" (師父) and "To Dai" (徒弟). I consider myself a loyal "To Dai" (徒弟), but the act of following "Si Fu" (師父) will not always be a simple task. Si Fu says: "I like ice cream, Pereira". - He said that even though I only saw him eating ice cream twice: In the first, he taught his daughter Jade as a child to pass McDonald's fries on ice cream. At the second opportunity, we had ice cream together at Tijuca Mall.
At the first opportunity, I was sitting next to Si Fu and Jade, and I could barely look at him passing the french fries on the ice cream and eating- "Don't you like it? It's tasty!" - He said laughing with a potato covered in ice cream while Jade ate another one. He offered it to me, but I couldn't even taste that. Years later, I commented to Si Fu that I had met an former girlfriend and how she had changed. Si Fu said: "You were always a very 'narrow-minded', right Pereira?" - He commented that after completing: "It was good that she broke up with you. She couldn't find out who she was staying by your side. You were a very boring person. You improved a lot, but you are still pretty boring ". - I heard that WhatsApp audio a little dismayed, but it made sense, I was the same guy who when I was sixteen years old, I was too "narrow-minded" to pass the french fries on the ice cream.
More than a decade later, I had a disagreement with Si Fu. Noting that the "energy" was still charged even at the end, Si Fu invited me to lunch. I said he would be late for his appointment with Fabiano Silva, he just said: "I know".
When lunch was over, I accompanied Si Fu on foot to Fabiano's office. Before, however, we passed a MacDonald´s kiosk that sold ice cream.- "Come on! Let's have some ice cream!" - I reminded Si Fu that I am allergic to lactose.- "Take it, trust me". - And when we were already on the street, Si Fu said: "This ice cream will not make you sick. You will remember this very day. This ice cream is special".
On that day, I would have a series of commitments, but in fact I was not sick. Not the next day either. Following a "Si Fu" (師父) is not easy. And I wonder now, what could have been different in my life, if I had also accepted the french fries with ice cream in 2001 ...



The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatççei.myvt@gmail.com