Apoie o Blog!

quarta-feira, 27 de maio de 2020

WHAT IS A "SI HING"(師兄)? AN ESSAY ON A SUCH COMPLEX TERM FROM "MO LAM".



(Entre 2007 e 2015, representei meu Si Fu no bairro do Méier. Durante esse período, muitos dos meus irmãos Kung Fu começaram sob minha tutela. Após ser titulado Mestre e inaugurar minha Família Kung Fu, aos poucos eles foram buscar seu contato direto com nosso Si Fu. Essa foto foi tirada no dia em que parte desse grupo acessou o Nível Superior Final "Baat Jaam Do". A foto com Si Fu é emblemática por si só, pois simboliza uma jornada "lado-a-lado" que necessitava se renovar.)

(Between 2007 and 2015, I represented my Si Fu in the Méier neighborhood. During that period, many of my Kung Fu brothers started under my tutelage. After being titled Master and inaugurating my Kung Fu Family, they gradually sought their direct contact with our Si Fu. This photo was taken on the day that part of this group accessed the Final Top Level "Baat Jaam Do". The photo with Si Fu is emblematic in itself, as it symbolizes a "side-by-side" journey that needed renew.)

Numa Família Kung Fu, temos duas figuras muito conhecidas: O Si Hing(師兄) e o Si Dai(師弟). 
Quando falamos do círculo marcial que chamamos "Mo Lam"(武林), estamos nos referindo à um mundo imanente dentro da própria sociedade cotidiana. E como tal, possui suas próprias regras. Uma de suas características mais marcantes, é o uso do ideograma Si (師) presente nos termos usados para que possamos nos referir à um membro de nosso Si Mun (師門) que entendemos como "Família Kung Fu". Então, mesmo para um nativo do idioma geral e dos dialetos presentes na China, não existem traduções para termos como Si Hing(師兄) e Si Dai(師弟), eles apenas "são". E por termos no Ocidente idiomas que não compreendem toda a riqueza de desdobramentos do idioma chinês, tendemos a adaptar para "irmão mais velho"(Hing 師兄) e "irmão mais novo"( Dai師弟). Mas observe, que esta tradução não contempla o Si(師). Por isso, adaptamos mais uma vez e passamos a usar "Irmão Kung fu mais velho"(Si Hing 師兄) e "Irmão Kung Fu mais novo"(Si Dai師弟).
Observe que agora temos mesmo em português, uma tradução que contempla a função relacional("Irmão mais velho ou mais novo") e a natureza ("Kung Fu").

In a Kung Fu Family, we have two very well-known figures: Si Hing (師兄) and Si Dai (師弟).
When we speak of the martial arts circles that we call "Mo Lam" (武林), we are referring to an immanent world within everyday society itself. And as such, it has its own rules. One of its most striking features is the use of the Si (師) ideogram present in the terms used so that we can refer to a member of our Si Mun (師 門) that we understand as "Kung Fu Family". So, even for a native of the general language and dialects present in China, there are no translations for terms like Si Hing (師兄) and Si Dai (師弟), they just "are". And because we have languages ​​in the West that do not understand the full range of developments in the Chinese language, we tend to adapt to "older brother" (Hing 師兄) and "younger brother" (Dai 師弟). But note, that this translation does not include Si (師). Therefore, we adapted again and started to use "Elder Kung Fu Brother " (Si Hing 師兄) and "Younger Kung Fu Brother  " (Si Dai 師弟).
Note that we now have a english translation, which includes the relational function ("Elder or younger brother") and nature ("Kung Fu").
(A foto acima, mostra minha Si Mo e Si Fu me observando enquanto realizo o "Siu Nim Do", Uma sequência de movimentos presente do Programa Experiencial de nosso Clã. Eu não sabia que o executaria, mas como membro da Família Kung Fu mais antigo presente, talvez Si Fu tenha achado interessante me pedir que demonstrasse para os novatos. Por natureza sou muito tímido, mas ao longo de mais de vinte anos, entendi a importância de honrar a minha "função social" dentro do "Mo Lam". Isso não significa que eu não siga tímido ou não possa errar. Significa apenas, que o entendimento da minha função de "Si Hing", me ajuda a administrar melhor essas emoções e inseguranças.)

(The photo above shows my Si Mo and Si Fu watching me while I perform "Siu Nim Do", a sequence of movements present in the Experience Program of our Clan. I didn't know that I would do it, but as a the oldest member of the Kung Fu Family present , maybe Si Fu found it interesting to ask me to show it to the rookies. By nature I’m very shy, but for more than twenty years, I understood the importance of honoring my "social role" within "Mo Lam". it does not mean that I don't stay shy or can't make mistakes. It just means that understanding my function as "Si Hing" helps me better manage those emotions and insecurities.)


Segundo a Professora Karen L. Lai, em sua obra "A introduction to chinese philosophy"(2008): ..."Na filosofia chinesa, um indivíduo é em essência um 'Eu' constituído e situado relacionalmente. Isso significa que há muitos fatores que moldam o 'Eu', inclusive suas relacções com pessoas significativas e suas experiências dentro de seus contextos históricos, culturais, sociais e políticos..."

Em seu livro, a Professora Karen L. Lai, divide a doutrina Confuciana entre "Ritos" e "Humanidade". E dentro desse viés ritual/formal/protocolar, ela dizia que este mapeia diferentes padrões para o comportamento apropriado de acordo com o lugar de alguém em uma determinada relação. Desta forma, indivíduos são familiarizados com as diferentes obrigações e emoções que são apropriadas nas relações específicas. Segundo ela, a contínua prática deste viés protocolar da lógica Confuciana, fomenta uma apreciação mais profunda das relações humanas.

According to Professor Karen L. Lai, in her work "A introduction to chinese philosophy" (2008): ... "In Chinese philosophy, an individual is in essence a 'oneself' constituted and relationally situated. This means that there are many factors that shape the 'oneself', including its relationships with significant people and its experiences within its historical, cultural, social and political contexts ... "

In her book, Professor Karen L. Lai, divides the Confucian doctrine between "Rites" and "Humanity". And within that ritual / formal / protocol bias, she said that it maps different patterns to appropriate behavior according to someone's place in a given relationship. In this way, individuals are familiar with the different obligations and emotions that are appropriate in specific relationships. According to her, the continuous practice of this protocol bias of Confucian logic, fosters a deeper appreciation of human relations.



(Eu e meu irmão Kung Fu Mais novo Vladimir Anchieta. Independente de nossa diferença de idade de quatorze anos, eu fui admitido antes na Família Kung Fu. Isso fez de mim o irmão Kung Fu mais velho, ou "Si Hing")

(Me and my younger brother Kung Fu Vladimir Anchieta. Regardless of our age difference of fourteen years , I was admitted to the Kung Fu Family before. That made me the oldest Kung Fu brother, or "Si Hing")

Como a cultura clássica chinesa é exótica à nossa e toda a sua estrutura interna. Uma pessoa só poderá entender e vivenciar o que é a "Vida Kung Fu", se estiver sob a tutela de alguém que também a vivenciou. O "mais antigo" ou Si Hing(師兄), é um pessoa nessa jornada que tem uma responsabilidade com a função a qual ocupa dentro de uma estrutura de Família Kung Fu em relação à alguém que ocupa a função do "mais novo" chamado Si Dai(師弟). Mas observe, que uma coisa é a "função" ou "situação" e outra coisa bem diferente é o "papel". É como uma mãe, ela tem a função social de mãe, mas é algo bem diferente, de como ela vai desempenhar essa função.
Em alguns casos as relações dentro da Família Kung Fu serão tão próximas, que haverá uma tendência em se confundir a pessoa e a função que esta ocupa.
Meu Si Fu teria dito certa vez, que poderíamos preservar a Família Kung Fu para esse outro tipo de relação, e deixar a amizade por si mesma , para relações fora da Família.
No meu caso e de Vladimir(FOTO), temos um carinho muito grande um pelo outro, porém sempre existiu um respeito muito claro em nosso tratamento, que norteou nossas interações ao longo das décadas. Depois de vinte anos, podemos falar com orgulho, que nunca nos desentendemos. E ao praticarmos, não seguramos as mãos tão pouco quando era para golpear.

As the classical Chinese culture is exotic to ours and all of its internal structure. A person can only understand and experience what "Kung Fu Life" is, if he is under the tutelage of someone who has also experienced it. The "oldest" or Si Hing (師兄), is a person on this journey who has a responsibility with the function he occupy within a Kung Fu Family structure in relation to someone who occupies the function of the "youngest" called Si Dai (師弟). But note, that one thing is "function" or "situation" and quite another thing is "play a role". It is like a mother, she has the social function of a mother, but it is something quite different, of how she will perform this function.
In some cases the relationships within the Kung Fu Family will be so close, that there will be a tendency to confuse the person and the function that he occupies.
My Si Fu would have said once, that we could preserve the Kung Fu Family for this other type of relationship, and leave the friendship for itself, for relationships outside the Family.

In my case and that of Vladimir (PHOTO above), we are very like each other very much. But there has always been a very clear respect in our treatment, which has guided our interactions over the decades. After twenty years, we can speak with pride, which we never have been disrespectful with eah other. And when we practice, we don't hold hands either when it comes to striking.

(Eu e meu irmão Kung Fu mais novo Rodrigo Moreira. Conheci Rodrigo na faculdade, e mais de dez anos depois ele foi admitido na Família Kung Fu. Apesar de termos o mesmo Si Fu, ele praticava sob minha tutela no bairro do Méier, por ser mais próximo. Isso nos gerou algumas confusões).

(Me and my younger Kung Fu brother Rodrigo Moreira. I met Rodrigo at college, and more than ten years later he was admitted to the Kung Fu Family. Although we had the same Si Fu, he practiced under my tutelage in the Méier neighborhood, for to be closer to his house. This caused us some confusion).

Quando confundimos "função" com "papel", acabamos deixar de lado quem nós somos, para vivermos uma personagem dentro de uma relação. Além disso, esperamos o mesmo comportamento de nosso par. Foi um caso de sorte, quando meu irmão Kung Fu mais novo Rodrigo, foi admitido na Família Kung Fu. Imediatamente minha postura mudou e me percebi "atuando no papel" de Si Hing(師兄). Com isso, nossa relação se tornou extremamente mecânica e por muitas vezes abusei da mesma, fazendo as vezes de um "quase Si Fu (師父). Com o tempo, Rodrigo passou a relacionar-se com nosso Si Fu diretamente, e assim entendemos os dois, nossas posições dentro da Família Kung Fu. Não era o caso mais de eu orientar e Rodrigo seguir, mas agora, discutimos e nos questionamos. Nossa relação voltou a ficar leve, e hoje nos vejo muito mais entendedores da mesma do que antes de sua admissão na Família. Então eu diria que não existe um "papel de Si Hing(師兄)" mas uma "função".

When we confuse "function" with "playing a role", we end up putting aside who we are, to live a character within a relationship. In addition, we expect the same behavior from our peer. It was a case of luck, when my younger Kung Fu brother  Rodrigo, was admitted to the Kung Fu Family. Immediately my posture changed and I did not find myself playing the function of Si Hing (師兄) but just playing a role. As a result, our relationship became extremely mechanical and I often abused it, making myself  almost a Si Fu (師父) for him. Over time, Rodrigo started to relate to our Si Fu directly, and so we two understand , our positions within the Kung Fu Family. It was no longer the case that I mentored and Rodrigo followed, but now, we argue and question ourselves. Our relationship has become light again, and today I see ourselves much more understanding of it than before. his admission to the Family. So I would say that there is no "Si Hing (師兄) role" but a "function".
(Com Si Fu e meus irmãos Kung Fu Claudio e Carlos num restaurante da Zona Oeste do Rio)
(With Si Fu and my Kung Fu brothers  Claudio and Carlos in a restaurant in the West Zone of Rio)

]
Quando falamos em Si Fu (師父) e seu To Dai(徒弟), estamos falando de um "seguidor"(To Dai 徒弟). Cabendo a um "seguidor" desenvolver a arte de "seguir". É diferente das relações entre  Si Hing(師兄) e Si Dai(師弟). Não existe um "seguidor" na relação Si Hing-Dai(師兄弟). Existem pessoas em posições diferentes dentro de uma organização familiar, com funções diferentes. A arte está em entender como elas se dão. Já que segundo Karen L. Lai, nos "Analectos" de Confúcius (15:24) existe o conceito de "shu", que pode ser traduzido como "reciprocidade" ou "mutualidade", que captura a essência de que há uma troca nas relações.
Então, quando um Si Hing(師兄) se depara com um Si Dai(師弟) que acabou de chegar, fica fácil depositar nele uma série de orientações e demandas, pois este último não terá condições de questionar o Si Hing(師兄). Com o amadurecimento, pode ocorrer do  Si Dai(師弟) entender melhor sua função na Família, e o Si Hing(師兄) ainda não. Portanto, por vezes o Si Hing(師兄) vai se frustrar aguardando que o Si Dai(師弟) "cumpra um papel", que antes ele cumpriu, ainda que sem saber.

When we talk about Si Fu (師父) and his To Dai (徒弟), we are talking about a "follower" (To Dai 徒弟). It is up to a "follower" to develop the art of "following". It is different from the relations between Si Hing (師兄) and Si Dai (師弟). There is no "follower" in the Si Hing-Dai (師 兄弟) relationship. There are people in different positions within a family organization, with different functions. The art is in understanding how they get along. Since according to Karen L. Lai, in the "Analects" of Confucius (15:24) there is the concept of "shu", which can be translated as "reciprocity" or "mutuality", which captures the essence that there is an exchange in relations.

So, when a Si Hing (師兄) comes across a Si Dai (師弟) that has just arrived, it is easy to deposit a series of guidelines and demands on him, since the Si Dai (師弟) will not be able to question the Si Hing (師兄). With maturity, the Si Dai (師弟) can better understand his position and function in the Family, and the Si Hing (師兄) still does not. Therefore, sometimes the Si Hing (師兄) will be frustrated waiting for Si Dai (師弟) to "play a role", which he played before, although without knowing it.

Esse ensaio surgiu de uma cena que muito me marcou na excelente série documental "The Last Dance"(Disponível na NETFLIX). Nela, Michael é confrontado por depoimentos de ex-companheiros de time dizendo o quão difícil era a convivência com ele. Sua sede por vitória, levava seus companheiros ao limite nos treinos e no dia a dia. Diz Michael Jordan visivelmente emocionado: "...Eu não tenho que fazer isso dessa forma. A única razão de eu agir assim, é porque esse sou eu, é assim que eu jogo o jogo...É assim minha mentalidade. Se você não quer jogar dessa forma...Não jogue dessa forma..."

This essay emerged from a scene that marked me a lot in the excellent documentary series "The Last Dance" (Available on NETFLIX). In it, Michael is confronted by testimonies from former teammates saying how difficult it was to live with him. His thirst for victory, pushed his teammates to the limit in training and day to day. Says Michael Jordan visibly moved: "... I don't have to do it that way. The only reason I act like this, is because this is me, this is how I play the game ... This is my mentality. If you don't want to play that way ... Don't play that way ... "
(Momento divertido com meus irmãos kung fu 
Thiago Silva e Carlos Antunes no casamento do Si Fu e Si Mo.)

(Fun time with my kung fu brothers
Thiago Silva and Carlos Antunes at the wedding of Si Fu and Si Mo.)

Portanto, às vezes nos aproximamos tanto dos nosso irmãos Kung Fu no campo pessoal, que quando a hora chega, não nos dispomos mais na condição de Si Hing(師兄) de mostrar o furo. É como numa prática de "Chi Sau", você não deve recusar um convite para se fazer "Chi Sau" e se abrir você deve golpear. E se não conseguirmos agir de acordo com nossa função de Si Hing(師兄). Acredito estarmos fazendo o que Si Fu orientou que não fosse feito: Colocar a amizade antes da função. Então, é como se houvesse um desequilíbrio entre o processo de humanidade e formalidade.
E quem sabe no final do dia, percebamos que o golpe que não quisemos disparar num irmão Kung Fu querido. Tenha mais a ver com nosso compromisso em despenharmos o papel de um cara legal, do que não fazer cerimônia para golpear.


Therefore, sometimes we get so close to our Kung Fu brothers in the personal field, that when the time comes, we no longer have the condition of Si Hing (師兄) to show the hole. It is like a "Chi Sau" practice, you should not refuse an invitation to do "Chi Sau" and if the other person opens the center line you should go foward it. And if we are unable to act according to our Si Hing (師兄) function. I believe we are doing what Si Fu told us not to do: Put friendship before function. So, it is as if there is an imbalance between the process of humanity and formality.
And who knows, at the end of the day, we realize that the blow we didn't want to shoot at a dear Kung Fu brother. It has more to do with our commitment to play the role of a nice guy, than not having a ceremony to strike.



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com