Apoie o Blog!

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

An essay on Biu Do [標刀] Vs Biu Gwan[標棍]

[Prática de Biu Gwan 標棍]
[Biu Gwan 標棍 practice]
 

Muita gente pode se perguntar, a razão de se praticar usando armas nos dias de hoje. Bem, a ideia nunca foi usá-las em qualquer outra situação que não durante a prática. Com o tempo, percebi que isso não é de hoje. Mesmo na época do Patriarca Ip Man em Hong Kong, a simples prática de uma arte marcial usando uma arma era proibida. Nem mesmo associações eram permitidas. Daí, veio a proposta de chamar a primeira associação de Ving Tsun naquele local de 'Athletic Association'. Uma maneira inteligente encontrada pelo Patriarca, para fundar a primeira associação de artes marciais do século 20 em Hong Kong. 
Mas, se as armas não são para nos ajudar a nos defendermos, para que servem então? Eu acredito que como qualquer outro elemento presente num Sistema de artes marciais, sirva para nos ajudar a ressignificar nossa jornada nesse mundo como seres humanos que vivem em sociedade, e refinar nossas ações trazendo assim benefícios para nós e aqueles ao nosso redor. 

A lot of people may wonder, the reason to practice using weapons these days. Well, the idea was never to use them in any situation other than during practice. Over time, I realized that this is not just for nowadays. Even in the days of Patriarch Ip Man in Hong Kong, the simple practice of a martial art using a weapon was prohibited. Even associations were not allowed. Hence, the proposal came to call Ving Tsun's first association at that location as 'Athletic Association'. A clever way found by the Patriarch, to found the first martial arts association of the 20th century in Hong Kong.
But if the weapons are not to help us defend ourselves, what are they for? I believe that like any other element present in a Martial Arts System, it serves to help us to reframe our journey in this world as human beings living in society, and to refine our actions thus bringing benefits to us and those around us.
[Em 1991 aos sete anos de idade]
[In 1991 at the age of seven]

Apesar de ter uma irmã mais nova, oito anos de diferença nos separam. Por conta disso, pude viver como um filho único por muitos anos. Talvez você se pergunte: “Ei! E qual o problema disso?“ - Bem, talvez eu tenha recebido tanta atenção, que tenha acreditado de verdade que eu era a peça central dos acontecimentos. Uma espécie de personagem principal de uma série, com todos ao meu redor, sendo figurantes, antagonistas ou elenco de apoio. Não estamos conscientes desse nosso comportamento, percebemos ele com muito custo, quando por exemplo perdemos alguma coisa ou alguém. Não podemos acreditar em algo assim quando acontece. Afinal, sempre que pedíamos desculpas, tudo se resolvia. Talvez fossemos repreendidos, mas no fundo, sabíamos que tudo já estava bem. Mas o mundo não é a nossa casa. 
E então, Biu Gwan[標棍] é um disparo único. Você usa toda a sua precisão, fator tão importante para um artista marcial, para um único movimento. Você percebe que se errar a pontaria, não haverá segunda chance. Voce não dispara na hora que quer, você dispara na hora em que o outro oferece a abertura. E para perceber isso, você precisa estar conectado ao outro e ao mesmo tempo, pronto para o disparo. E nesses singelos segundos que separam a posição de guarda e o disparo. Não existe “Eu“ ou “você“. Existe apenas, o resultado da nossa relação. E essa terceira coisa, a nossa relação, é impessoal. 
Bom, se eu tivesse percebido isso antes, teria sido mais atento e não teria perdido tantas boas oportunidades que a vida me deu, por achar que sempre teria outra chance...

Despite having a younger sister, eight years apart separates us. Because of that, I was able to live as an only child for many years. You may ask yourself, “Hey! And what's the problem with that? ”- Well, maybe I got so much attention that I really believed that I was the centerpiece of events. A kind of main character in a series, with everyone around me, being extras, antagonists or supporting cast. We are not aware of our behavior, we perceive it with great cost, when for example we lose something or someone. We can't believe something like that when it happens. After all, whenever we apologized, everything was resolved. Perhaps we were scolded, but deep down, we knew that everything was already fine. But the world is not our home.
And then, Biu Gwan [標 棍] is a single shot. You use all your precision, a factor so important for a martial artist, for a single movement. You realize that if you miss, there will be no second chance. You don't shoot when you want, you shoot when the other person offers the opening. And to realize this, you need to be connected to the other and at the same time, ready to fire. And in those simple seconds that separate the guard position and the shot. There is no "me" or "you". There is only the result of our relationship. And this third thing, our relationship, is impersonal.
Well, if I had realized this before, I would have been more attentive and would not have missed so many good opportunities that life has given me, because I used to think I would always have another chance ...
[Prática de Biu Do 標刀]
[Biu Do 標 刀 practice]

O Biu Do [標刀]faz uso de uma ferramenta que é como se fosse uma única faca dividida em duas. Portanto, não fazemos movimentos separados. Elas atuam como algo único- “São duas facas que fazem um gesto único“. - Diria meu Si Fu. E como são duas facas, enquanto uma avança a outra retorna. Só que para quem as está segurando, a ideia é que uma avance com potencial de perfurar ou cortar[simbolicamente] e a outra retorne “cheia“[ou “viva“ se preferir]. É como se você estivesse presente no momento, mas ao mesmo tempo, preparando o próximo ciclo num nível de refinamento que parece impossível num relance.
As vezes escuto “Purple Rain“ do Prince, e lembro do que já passou, do que perdi e do que deixei ir... Coisas de outros ciclos da minha vida. Esse é um lado cruel da vida do artista marcial: Nós praticamos incansavelmente viver no momento presente e sempre perceber o próximo ciclo. Por isso, as músicas românticas trazem um afago momentâneo, mas no fundo sabemos que somos responsáveis por nossas escolhas. Afinal, um sinal de maturidade, é se enxergar como responsável pelo que nos acontece. 
Por isso, o Biu Do [標刀], deixa a dura lição através das palavras de meu Si Fu: “Para quem 'vai com tudo', não sobra nada“. 
Bom, parece que o Prince não escreveu nada sobre isso afinal...

Biu Do [標 刀] makes use of a tool that is like a single knife divided into two. Therefore, we do not make separate movements. They act as something unique- "They are two knives that make a unique gesture". - My Si Fu would say. And as they are two knives, while one advances the other returns. But for those who are holding them, the idea is that one advances with the potential to pierce or to cut [symbolically] and the other returns "full" [or "alive" if you prefer]. It is as if you are present at the moment, but at the same time, preparing yourself for the next cycle at a level of refinement that seems impossible at a glance.
Sometimes I hear Prince's “Purple Rain”, and I remember what has passed, what I lost and what I let go ... Things from other cycles of my life. This is a cruel side of the martial artist's life: We tirelessly practice living in the present moment and always perceiving the next cycle. Therefore, romantic songs bring a momentary cuddle, but deep down we know that we are responsible for our choices. After all, a sign of maturity is to see yourself as responsible for what happens to us.
For this reason, Biu Do [標 刀], leaves the hard lesson through the words of my Si Fu: “For those who 'go with everything', there is nothing left”.
Well, it looks like Prince didn't write anything about it after all ...



The disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira “Moy Fat Lei“
moyfatlei.myvt@gmail.com

domingo, 13 de setembro de 2020

MY STORY WITH THE "VING TSUN GEUK JONG"

 

(Com meus Dai Ji Vitor Sá e Keith Markus,durante café da 
manhã que precedeu sua primeira prática com o "Geuk Jong")

(With my Dai Ji Vitor Sá and Keith Markus, during breakfast
morning that preceded his first practice with "Geuk Jong")

Ainda em 2003, tivemos um almoço na antiga casa da Si Suk Ines Braconnot, numa manhã de Domingo. Ao chegar lá, percebi que havia um "Geuk Jong" em um ponto reservado de seu quintal. Enquanto o almoço era preparado e as pessoas confraternizavam, Si Fu me chamou, e perguntou-me se eu já havia trabalhado no "Geuk Jong". Respondi que já havia visto o que existia no antigo Núcleo Central em São Paulo, mas que nunca havia trabalhado nele.
Si Fu passou-me algumas poucas diretrizes sobre como realizar o trabalho. Eu fiquei parado esperando que ele me mostrasse a sequência de movimentos que deveria tentar executar a seguir. Afinal, tinha sido assim durante toda a jornada até ali. Então Si Fu disse-me, que não existia uma sequencia, mas que havia apenas um jeito "certo" de fazer.

 Still in 2003, we had lunch at Si Suk Ines Braconnot's former house, on a Sunday morning. Upon arriving there, I realized that there was a "Geuk Jong" in a reserved spot in her yard. While lunch was being prepared and people were socializing, Si Fu called me, and asked me if I had ever worked at "Geuk Jong". I replied that I had already seen one  in São Paulo, but that I had never worked on it.
Si Fu gave me a few guidelines on how to do the work. I stood waiting for him to show me the sequence of movements I should try to perform next. After all, it had been that way throughout the journey there. Then Si Fu told me, that there was no sequence, but that there was only one "right" way to do it.

(Os participantes do evento de integração do Núcleo Jacarepaguá,
sentam-se em mesas num ambiente agradabilíssimo proporcionado pela Si Suk Ines.
Enquanto isso, eu estava praticando no "Geuk Jong")

Participants at the Jacarepaguá School integration event,
they sit at tables in a very pleasant environment provided by Si Suk Ines. Meanwhile,
 I was practicing at "Geuk Jong")


Fiquei lá sozinho tentando entender o que deveria ser feito enquanto todos confraternizavam. Existia um sentimento de vazio muito grande, que me fazia olhar de soslaio para a área da varanda onde estavam as mesas vez ou outra. Queria saber se Si Fu ao menos checava de vez em quando. Porém, ele ria e conversava como todos os demais.

Não havia experimentado um sentimento como aquele até então: Uma espécie de solidão e de dúvida muito grandes. Não sabia se o que estava fazendo era o que deveria ser feito. Em outros momentos pensava em parar, mas aí considerava que isso era uma espécie de desistência e eu não queria desistir ali naquele momento.
Em determinado momento acabei parando porque já não sabia mais o que fazer, Si Fu pareceu finalmente me notar e perguntou em tom provocador: "Cansou?" – Respondi que "Não" com veemência, e voltei a praticar seja lá o que estivesse praticando.
Muitos minutos se passaram até que Si Fu finalmente disse: "Chega... Já deu já".

I stood there alone trying to understand what should be done while everyone was fraternizing. There was a feeling of emptiness that made me look sideways at the porch area where the tables were at times. I was wondering if Si Fu payed some attention on me. However, he  was just laughing and talking like everyone else, in some fun conversation.
I had not experienced a feeling like that until then: A kind of loneliness and very great doubt. I didn't know if what I was doing was what should be done. At other times I thought about stopping, but then I considered that this would be giving up, and I didn't want to give up there at that moment.
At a certain point I ended up stopping because I no longer knew what to do, Si Fu finally seemed to notice me and asked in a provocative tone: "Already Tired?"- I replied  'No' vehemently, and went back to practicing whatever I was practicing.
Many minutes passed before Si Fu finally said: 'That´s enough ... It's done already'.
( O "Rei do Bastão" da Família Moy Jo Lei Ou Carlos Antunes. Usa suas habilidades com o Ving Tsun Gwan, para que o Daai Si Hing da Família, Leonardo Reis, pudesse trabalhar o "Baat Jaam Do". 
Em primeiro plano, é possível observar os "Geuk Jong")

(The "King of the Gwan" of the Moy Jo Lei Ou Family Carlos Antunes. He uses his skills with the Ving Tsun Gwan, so that the Family's Daai Si Hing, Leonardo Reis, could work the "Baat Jaam Do".
In the foreground, it is possible to observe the "Geuk Jong")

Passaram-se nove anos até que pudesse ter uma nova oportunidade no ‘Geuk Jong’. Desta vez, estávamos no Mo Gun que ficava no Condomínio Interlagos de Itaúna. Era o ano de 2012, e um ‘Geuk Jong’ fora montado. Já não me incomodava mais em praticar sozinho. Como numa estranha coincidência, sempre que Si Fu dedicava tempo a sentar-se na escadaria para conduzir uma prática de ‘Geuk Jong’, era justamente um dia em que eu não estaria no Mo Gun.
Às vezes, eu propunha desafios a mim mesmo: "O quão rápido consigo chutar os postes sem repeti-los, dentro e fora e sem parar para pensar? ", "Será que consigo fazer a mesma coisa usando ‘Jiu Sik’ em que os pés não saiam do chão?" , "Será que posso imaginar que estou lutando com vários adversários?" .... Porém, teve um dia em que algo especial aconteceu: Apesar de óbvio, eu me perguntei se os postes não poderiam representar apenas uma pessoa, e que seus pés estaria em movimento[três postes]. Naquele dia, comecei a perceber os troncos se movendo no chão. Mesmo sem saber o que fazer nove anos depois, comecei a perceber o que não deveria fazer.
Então finalmente numa manhã de Sábado, Si Fu pediu que Si Hing Leo trabalhasse o ‘Geuk Jong’ comigo. Não lembro de nada desse trabalho, a não ser uma pergunta do Si Hing que me marcaria para sempre: "...Deixa eu fazer uma pergunta pra você: Você... Consegue ver esses caras mexendo no chão?..."- Respondi energeticamente que sim. Ele riu, e começamos a compartilhar sobre essa estranha sensação de ver os troncos trocando de lugar no solo. Acho que foi um daqueles momentos mágicos da minha jornada. Afinal, mesmo praticando ‘no escuro’ e sem nunca termos conversado sobre, chegamos a uma conclusão parecida.

Nine years passed before I could have a new opportunity on "Geuk Jong". This time, we were at Mo Gun, which was at  Interlagos de Itaúna. It was 2012, and a ‘Geuk Jong’ was set up. I no longer bothered to practice alone. As if in a strange coincidence, whenever Si Fu spent time sitting on the steps to conduct a 'Geuk Jong' practice, it was just a day when I wouldn't be at Mo Gun.
Sometimes, I proposed challenges to myself: "How fast can I kick the posts without repeating them, in and out and without stopping to think? ","Can I do the same thing using some 'Geuk Faat' in which the feet do not leave the ground?","Can I imagine that I am fighting with several opponents?".... However, there was a day when something special happened: Although obvious, I wondered if the posts could not represent just one person, and that his feet would be moving [ three posts]. That day, I started to notice the trunks moving on the ground. Even without knowing what to do nine years later, I started to realize what I shouldn't do.
So finally on a Saturday morning, Si Fu asked Si Hing Leo Reis to work ‘Geuk Jong’ with me. I don't remember anything about this work, except a question from Si Hing that would mark me forever: "...  Can I ask you a question ... Can you see these guys moving on the floor? ..."- I replied energetically that yea. He laughed, and we started to share about this strange feeling of seeing the pillars changing places on the ground. I think it was one of those magical moments of my journey. After all, even practicing ‘in the dark’ and having never talked about it, we came to a similar conclusion.
(Na noite antes da inauguração do primeiro endereço do Núcleo Méier. 
Tivemos um Seminário de Titulação Tutorial do Domínio "Mui Fa Jong". Na foto, acabávamos de jantar com Si Gung e Si Fu antes do início do Seminário. Era 2012, 
mas Si Hing Leonardo ainda usava pochete)

(The night before the opening of the first address of  Méier School. We had a  Seminar of the Domain "Mui Fa Jong". In the photo, we had just had dinner with
 Si Gung and Si Fu before the Seminar started.)
(Depois de muito insistir, descemos pouco depois das 1h da manhã, para trabalhar o Componente Associado "Geuk Jong". Na foto, executo os movimentos observado por Si Gung e meus Si Suk)

(After much insistence, we went down shortly after 1 am to work on the Associated Component "Geuk Jong". In the photo, I perform the movements observed by Si Gung and my Si Suk)


Alguns meses depois, teríamos a inauguração do Núcleo Méier. Para aproveitar a vinda de Si Gung, que participaria do evento. Si Fu me deu a oportunidade de escolher qual instrumento trabalhar na noite da véspera. Escolhi o ‘Seminário de Titulação Tutorial do Domínio Mui Fa Jong’. Pois apesar de já te-lo feito em 2007 e 2009, nunca havia dado tempo de chegar no ‘Geuk Jong’.
A noite ia avançando, e quando estávamos próximos a 1 hora da manhã, Si Gung perguntou se poderíamos parar por ali. Eu perguntei: "Mas e o Geuk Jong?" – Todos os presentes riram e Si Gung resolveu descer as escadas e começamos a trabalhar esse componente associado. Ele pediu que eu fizesse, fez algumas observações e era isso. Uns dez minutos e acabou.

A few months later, we would have the inauguration of Meier School. To take advantage of the arrival of Si Gung, who would participate in the event. Si Fu gave me the opportunity to choose which instrument to work on the night before. I chose the ‘Mui Fa Jong Domain  Seminar’. Because despite having already done it in 2007 and 2009, we had never had time to reach ‘Geuk Jong’.
The night was progressing, and when we were close to 1 am, Si Gung asked if we could stop there. I asked: "But what about Geuk Jong?" - Everyone present laughed and Si Gung decided to go down the stairs and we started working on this associated component. He asked me to do it, made some observations and that was it. About ten minutes and it's over.

Oito anos mais tarde...
Eight years later ...

Com o tempo, passei a acreditar que quando alguém elogia seu "Kung Fu", na verdade é um elogio ao trabalho que seu Si Fu fez com você. E sentado numa cadeira observando Vitor e Keith, dois de meus discípulos, enroscarem o fabuloso "Geuk Jong" do Núcleo Ipanema para iniciarem sua primeira prática neste aparelho. Me perguntei que tipo de artistas marciais estava ajudando a formar. 
Era uma manhã agradável de Sábado, e usávamos o Núcleo Ipanema, dirigido pelo meu irmão Kung Fu Cláudio Teixeira. Ele gentilmente cedeu as chaves para que eu pudesse fazer esse trabalho com minha Família. 

Over time, I came to believe that when someone praises your "Kung Fu", it is actually a compliment to the work that your Si Fu did with you. And sitting in a chair watching Vitor and Keith, two of my disciples, preapring the fabulous "Geuk Jong" of the Ipanema School to start their first practice on this device. I wondered what kind of martial artists I was helping to form.
It was a pleasant Saturday morning, and we used the Ipanema School, run by my brother Kung Fu Cláudio Teixeira. He kindly handed over the keys so that I could do this practice with my Family.
Você pode não acreditar, mas foi um daqueles dias em que a conexão acontece. Eu realmente me concentrei muito em trazer a presença de meu Si Fu em minha mente. Eu estava fazendo isso, porque a experiência dele é muito mais vasta do que a minha como Si Fu. Então, é como usar um segundo cérebro a seu favor. Não me perguntei "O que o Si Fu faria?" - Eu simplesmente trouxe a presença dele. Às vezes eu tinha algo que pensava ser interessante de se dizer, mas pensava comigo, se era uma necessidade minha ou algo que o cenário pedia. Então ficava em silêncio. E ficava em mais silêncio. 
Misteriosamente, meus discípulos praticavam de forma concentrada sem esperar que eu intercedesse. Naquele momento, entendi o "silêncio" do Si Fu em 2003 na casa da Si Suk Inês. E pude perceber também, a vantagem que a maturidade traz no aprendizado do Ving Tsun. Pois naquele ano de 2003, eu ainda era muito imaturo. 

You may not believe it, but it was one of those days when the connection takes place. I really focused a lot on bringing the presence of my Si Fu to my mind. I was doing this, because his experience is much wider than mine as Si Fu. So, it's like using a second brain to your advantage. I didn't ask myself "What would Si Fu do?" - I just brought his presence. sometimes I had something that I thought was interesting to say, but I thought to myself, if it was my need or something that the scenario asked for. So I was silent. And it was more silent.
Mysteriously, my disciples practiced in a concentrated way without waiting for me to intercede. At that moment, I understood Si Fu's "silence" in 2003 at Si Suk Inês' house. And I could also see, the advantage that maturity brings in learning Ving Tsun. In that year 2003, I was still very immature.
Ficamos ali duas horas sem descanso. Não porque decidimos, mas porque o fluxo nos levou até o momento em que me veio a clara voz de Si Fu daquele mesmo Domingo de 2003 dizendo: "Chega! Já deu já!". Era como se uma espécie de "Tetris" infernal tivesse sido montado por duas horas. Cada palavra, cada nova abordagem a ser trabalhada, tudo pareceu se encaixar. Foi uma manhã e tanto. 
Então, acho que meu papel na maioria dos casos, deve ser só não manipular a experiência do meu descendente. Por mais que seja com uma boa intenção. Saber ficar em silêncio, parece-me agora ser também  uma arte. 

We stayed there for two hours without rest. Not because we decided, but because the flow took us to the moment when Si Fu's clear voice came to me on that same Sunday in 2003 saying: "That´s enough! It's done!" It was as if a kind of hellish "Tetris" had been put together for two hours. Each word, each new approach to be worked on, everything seemed to fit together. It was quite a morning.
So, I think my role in most cases should be just not to manipulate my descendant's experience. As much as it is with a good intention. Knowing how to be silent now seems to me to be an art as well.



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com



 

 

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Ving Tsun Experience 'Level 4' in the Moy Fat Lei Family.

O físico Leonardo Queiroz pratica a sequencia do Nível 4 no boneco de madeira, 
observado pelo Capitão dos Bombeiros Ghabriel Beliago.

Physicist Leonardo Queiroz practices the sequence of the Leve 4 of the Ving Tsun Experience 
on the wooden dummy, observed by Fire departament Captain Ghabriel Beliago.
 

Eu tive contato pela primeira vez com um Seminário do Nível 4 do Programa Ving Tsun Experience no ano de 2015. Era o dia seguinte a Cerimonia de Titulação de Mestre que me qualificava junto de meu Si Hing Leonardo Reis. E talvez pelo cansaço acumulado ou por ter que dar atenção ao pedido do almoço e outros pormenores, foi como se eu não tivesse estado lá. Pouco tempo depois, uma praticante do Núcleo Méier na época alcançou este Nível dentro do Ving Tsun Experience. E a experiência que eu promovi foi bem abaixo de qualquer medida mínima. 
A cada semana, um sentimento de incompetência me incomodava mais. Infelizmente, esta praticante se afastou. E foi só em 2017, no Núcleo Copacabana, que pude revisar com mais atenção o que havia visto em vídeo graças ao Si Suk Felipe em 2013 e mais tarde ao vivo no Seminário em 2015. Naquela oportunidade, já estava com a sequencia de movimentos chamada ‘Siu Nim Do’ na modalidade ‘Jong Faat’, bem gravada em minha memória, por isso participei da demonstração. 
Recentemente, três praticantes do Núcleo Méier começaram novamente a praticar neste Nível. E graças a dedicação dos últimos anos, diferente da primeira oportunidade, temos conseguido avançar de forma muito especial com este trabalho. Nestes momentos o que me resta é torcer, para que aquela primeira praticante retorne um dia, de maneira com que eu possa ter uma segunda oportunidade fazer esse trabalho com ela. 
Quando falamos no ideograma ‘Faat 法’ dentro de uma perspectiva gramatical do círculo marcial chinês, é difícil alcançarmos uma tradução. Dependendo do contexto, uma das minhas preferidas é ‘Via’. Porem, quando falamos em um Sistema de Variação como o Sistema Ving Tsun, intuímos que este seja composto por diferentes fases, naturezas e modalidades. E quando falamos em ‘modalidade’, estamos nos referindo ao que estamos lidando. Se o trabalho envolve apenas o uso do próprio corpo e nenhum instrumento externo a esse, chamamos de ‘Kuen Faat 拳法’. ‘Kuen 拳’, ainda que signifique ‘punho’, neste caso é um jargão para se referir ao uso do próprio corpo. E ‘Faat 法’ seria ‘modalidade’.  De todo modo, esta tradução é irrelevante. Afinal, podemos considerar ‘Kuen Faat 拳法’ como ‘Mãos Livres’ neste contexto.  E por conseguinte, quando usamos as ferramentas do Domínio Mui Fa Jong, a modalidade a ser trabalhada será ‘Jong Faat 樁法’. 

I had contact for the first time with a Level 4 Seminar of the Ving Tsun Experience Program in 2015. It was the day after the Master's Degree Ceremony that qualified me and my Si Hing Leonardo Reis. And maybe due to accumulated tiredness or having to pay attention to the lunch order and other details, it was as if I hadn't been there. Shortly thereafter, a practitioner from the Méier School wich I run, at the time reached this Level within the Ving Tsun Experience. And the experience that I promoted was well below any minimum measure.
Each week, a feeling of incompetence bothered me more. Unfortunately, this practitioner has went away. And it was only in 2017, at Copacabana School, that I was able to review more carefully what I had seen on video thanks to Si Suk Felipe in 2013 and later live at the Seminar in 2015. At that time, I already had the sequence of movements called 'Siu Nim Do' in the 'Jong Faat' mode, well recorded in my memory, so I participated in the demonstration.
Recently, three practitioners from the Méier School began to practice at this Level again. And thanks to the dedication of the last few years, unlike the first opportunity, we have been able to advance in a very special way with this work. In these moments, what I have left is to hope that that first practitioner will return one day, so that I can have a second chance to do this work with her.
When we speak of the ‘Faat 法’ ideogram within a grammatical perspective of the Chinese martial circle, it is difficult to achieve a translation. Depending on the context, one of my favorites is ‘Way’. However, when we talk about a Variation System like the Ving Tsun System, we intuit that it is composed of different phases, natures and modalities. And when we talk about ‘modality’, we’re referring to what we’re dealing with. If the work involves only the use of the body itself and no instrument external to it, we call it ‘Kuen Faat 拳法’. ‘Kuen 拳’, even though it means ‘fist’, in this case it is jargon to refer to the use of the body itself. And ‘Faat 法’ would be ‘modality’. In any case, this translation is irrelevant. After all, we can consider ‘Kuen Faat 拳法’ as ‘Free Hands’ in this context. And therefore, when we use the tools of the Mui Fa Jong Domain, the modality to be worked on will be ‘Jong Faat 樁 法’.

Rodrigo Caputo observa Leonardo executar a sequencia. 
Ao mobilizar Leonardo nesta prática sob minha supervisão. 
Rodrigo que está no Domínio 'Biu Ji', terá mais possibilidades
 de apreciar o Domínio 'Mui Fa Jong' quando acessá-lo.

Rodrigo Caputo watches Leonardo execute the sequence.
made by Leonardo. In this practice under my supervision.
Rodrigo who is in the Domain 'Biu Ji', will have more possibilities
  to enjoy the 'Mui Fa Jong' Domain when he access it.

O trabalho do ‘Jong Faat 樁法’ no Sistema Ving Tsun, apesar de despertar fantasias nos mais diversos entusiastas, tem uma compreensão desafiadora. Por isso, mesmo dezoito anos após ter tido acesso ao Domínio ‘Mui Fa Jong’, tem sido através da transmissão do Nível 4 do Ving Tsun Experience que alguns ‘insights’ tem me ocorrido. Consigo perceber através de meus alunos, nuances que até este momento seguiam escondidas para mim. Então, é como se essa sequência de movimentos do Nível 4, me permitisse uma ressignificação da minha própria percepção do Domínio Mui Fa Jong. 
Si Gung ajustou o ‘Siu Nim Do’ criado por Si Taai Gung Moy Yat para uso no ‘boneco de madeira’. Foram necessários sete anos desde meu primeiro contato com esse ajuste, para que eu pudesse passar a apreciar a inteligência com a qual o mesmo foi desenvolvido. Desta maneira assim como quando pisei pela primeira vez num Mo Gun em Abril de 1999, e vi um ‘Boneco de madeira’ ao vivo pela primeira vez, fazendo meu coração pular. Vinte e um anos depois, tenho tido a mesma sensação a cada nova descoberta. Sem dúvidas, a maior recompensa é o sentimento de estar promovendo um trabalho digno. Você sente que o praticante está curtindo, está apreciando o desafio. A frustração está lá, mas ela passa a ser percebida como uma pista, uma espécie de indício... E o final da prática, passa ser como o final de um episódio de alguma série semanal. Você quer voltar na próxima semana, para descobrir o que vem depois. É bem legal. Tem sido uma ótima experiência como profissional.

The work of ‘Jong Faat 樁 法’ in the Ving Tsun System, despite arousing fantasies among the most diverse enthusiasts, has a challenging understanding. So, even eighteen years after I had access to the ‘Mui Fa Jong’ Domain, it has been through the transmission of Level 4 of the Ving Tsun Experience that some ‘insights’ have occurred to me. I can see through my students, nuances that until now have been hidden from me. So, it is as if this sequence of movements of Level 4, allowed me to refram my own perception of the Mui Fa Jong Domain.
Si Gung adjusted the ‘Siu Nim Do’ created by Si Taai Gung Moy Yat for use on the ‘wooden dummy’. It took seven years since my first contact with this adjustment, so that I could start to appreciate the intelligence with which it was developed. This way, just like when I first stepped on a Mo Gun in April 1999, and saw a ‘Wooden Dummy’ live for the first time, making my heart jump. Twenty-one years later, I have had the same feeling with each new discovery. Without a doubt, the biggest reward is the feeling of promoting a decent work. You feel that the practitioner is enjoying, is enjoying the challenge. The frustration is there, but it starts to be perceived as a clue, a kind of indication ... And the end of the practice, it becomes like the end of an episode of a weekly series. You want to come back next week, to find out what's next. It's pretty cool. It has been a great experience as a professional.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira 'Moy Fat Lei'
moyfatlei.myvt@gmail.com

terça-feira, 25 de agosto de 2020

The end of a cycle in the Moy Fat Lei Family

 

( Caroline exibe a sequencia do Domínio Mui Fa Jong
 para os praticantes em suas casas)
(Caroline displays the sequence of the Mui Fa Jong Domain
  for practitioners in their homes via ZOOM)


Passou bem rápido, mas nós já sabíamos que seria assim. Quando a quarentena começou no Rio no final de Março, minha discípula Caroline Archanjo ( Que reside no Mo Gun da Família Moy Fat Lei), tornou-se uma das figuras mais emblemáticas da Família durante o período. Isso ocorreu, porque ela dedicava cerca de 21 horas semanais para estar comigo preparando e executando as transmissões via ZOOM que nos disponibilizamos a fazer.
Era muito comum observar a Caroline ao meu lado na câmera durante as transmissões, mas acontece que começávamos bem antes com a preparação do aparato técnico, e permanecíamos em sintonia após. Quando geralmente almoçávamos ou jantávamos juntos, fazendo o 'pós-evento'.

It passed very quickly, but we already knew it would be like that. When the quarantine began in Rio at the end of March, my disciple Caroline Archanjo (who resides in the Mo Gun of the Moy Fat Lei Family), became one of the most emblematic figures of the Family during the period. This happened, because she dedicated about 21 hours a week to be with me preparing and executing the transmissions via ZOOM that we made ourselves available to do.
It was very common to watch Caroline beside me on the camera during the broadcasts, but it turns out that we started well before with the preparation of the technical apparatus, and remained in tune afterwards. When we usually had lunch or dinner together, doing the 'post-event'.
Si Gung teria dito certa vez, que o processo de 'Vida-Kung Fu' não pode ser imposto. O praticante vai vivenciá-lo na medida em que estiver disposto a faze-lo. Então, muitas dessas experiencias também puderam ser vivenciadas, pois Caroline se disponibilizou de coração aberto para vive-las. 
Então, certa vez perguntei ao Si Gung o que ele achava do fato de um 'Si Fu' ter outra carreira além desta. Ele teria dito - “ ...A questão não é se o Si Fu tem ou não outra carreira. É se ele vai ter condições de estar disponível para o discípulo...  “ - Então como vemos na foto, Caroline inclusive me acompanhou em minha outra profissão em alguns momentos. Fosse me ajudando com impressões, ou literalmente saindo comigo para a rua nessa outra carreira. Sobre essa experiencia ela escreveu no instagram de nossa Família Kung Fu(@familia_moyfatlei  ): “ ...Equilíbrio foi um dos temas sobre os quais mais falamos ao longo da manhã, e pude refletir sobre até que onde estou disposta a me manter equilibrada ou equilibrar as circunstancias,relações e momentos...  “ 

Si Gung would have said once, that the 'Kung Fu-Life' process cannot be imposed. The practitioner will experience it to the extent that he is willing to do so. So, many of these experiences could only be experienced, because Caroline made herself available with an open heart to live them.
Then, I once asked Si Gung what he thought of the fact that a 'Si Fu' had another career besides this one. He would have said - “... The question is not whether Si Fu has another career or not. It is if he will be able to be available to the disciple ... “- So as we can see in the photo, Caroline even accompanied me in my other profession at times. Whether it was helping me with prints, or literally following me out on the street in this other career. About this experience she wrote on the Instagram of our Kung Fu Family (@familia_moyfatlei): “... Balance was one of the topics we talked about most during the morning, and I was able to reflect on how far I am willing to stay balanced or balance the circumstances, relationships and moments ... "
Caroline acabou sendo aprovada em uma concorrida faculdade, e com isso, não tinha mais o tempo livre durante a semana. Pois precisava dividi-lo entre o trabalho e as aulas no turno da noite. Nos restaram os Sábados, mas nestes ela também terá o tempo restrito por conta das aulas. E assim, coube a Caroline, entender como se reajustar novamente. Para que não só pudesse ter um Momento de Acesso ao Sistema Ving Tsun comigo e outro para Vida-Kung Fu. Como também, pudesse ser decisiva no processo de seus irmãos Kung Fu mais novos e dos aspirantes a membro da Família. 
Foi um processo de desenvolvimento muito especial. Enquanto vivíamos um momento em que grande parte das pessoas se despedaçava emocionalmente por motivos diversos. Caroline conseguiu fazer a diferença para membros e aspirantes a membros da Família Kung Fu, mas principalmente, para si própria. 
Encerramos esse ciclo com um almoço bem especial. Por conta de todos os membros terem ido embora mais cedo, acabou que apenas nós dois almoçamos no último Sábado juntos( FOTO). Com isso, foi possível dentre tantos assuntos, fazer uma reflexão sobre o fim de um ciclo e o que se iniciou.

Caroline eventually wa approved to a well-attended college, and as a result, she no longer had free time during the week. Because She needs to divide it between work and classes on the night shift. We had Saturdays left, but on these days she will also have limited time due to classes. And so, it was up to Caroline to understand how to readjust again. So that she could not only have a Moment of Access to the Ving Tsun System with me and another for Kung Fu-Life. As well, she could be decisive in the process of her younger Kung Fu brothers and aspiring Family members.
It was a very special development process. While we were living in a time when most people were emotionally shattered for different reasons. Caroline managed to make a difference for members and aspiring members of the Kung Fu Family, but mostly, for herself.
We ended this cycle with a very special lunch. Because all the members left earlier, it turned out that just the two of us had lunch last Saturday together (PHOTO). With that, it was possible among many subjects, to reflect on the end of a cycle and what started.

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira 'Moy Fat Lei'
moyfatlei.myvt@gmail.com 

sábado, 22 de agosto de 2020

THE NEW 'WOODEN DUMMY' OF THE MOY FAT LEI FAMILY: The romantics of Kung Fu

 Esta semana, tivemos a chegada do novo 'Muk Yan Jong' da Família Moy Fat Lei. Ele ficará disposto na casa do Discípulo José Carlos, e é fruto de uma interação muito especial entre eu e alguns de meus discípulos, conforme falei em um artigo recente( CLIQUE AQUI). E como tudo o que fazemos, buscamos a excelência, alguns ajustes nas medidas precisam ser feitos. Bem poucos até, mas sempre dá para melhorar. 

This week, we had the arrival of the new 'Muk Yan Jong' of the Moy Fat Lei Family. It will be available at the home of the Disciple José Carlos, and is the result of a very special interaction between me and some of my disciples, as I said in an article recent (CLICK HERE). And like everything we do, we strive for excellence, some adjustments in measures need to be made. Very few, but it always improves.
Para o discípulo Keith Markus, que participou deste grupo de estudos batizado carinhosamente de 'Muk Yan Jong Club'. Lhe foi possível assumir um certo protagonismo durante todo o processo. O romantismo com o qual buscou o Ving Tsun inicialmente, e que claro, envolvia o Muk Yan Jong. Manifestou-se num trabalho muito comprometido, para que em pouquíssimo tempo, a ideia se transformasse em projeto e este se transformasse no primeiro Muk Yan Jong pensado pela nossa Família Kung Fu. Essa atitude voltada para a realização, acabou por inspirar seus outros irmãos Kung Fu que estavam participando do projeto. Este tipo de pessoa numa Família Kung Fu, meu Si Fu chamou recentemente ( Fazendo alusão a um texto de Si Taai Gung Moy Yat sobre 'Siu Nim Tau' onde o mesmo aparece) de: 'Kai Dik Ji Yan (啟迪之⼈)

For the disciple Keith Markus, who participated in this study group, affectionately called 'Muk Yan Jong Club'. It was possible for him to assume a certain leading role during the entire process. The romanticism with which he sought Ving Tsun initially, and of course, involved Muk Yan Jong. He manifested himself in a very committed work, so that in a very short time, the idea would become a project and this would become the first Muk Yan Jong designed by our Kung Fu Family. This attitude towards realization, ended up inspiring his other Kung Fu brothers who were participating in the project. This type of person in a Kung Fu Family, my Si Fu recently called (Alluding to a text by Si Taai Gung Moy Yat on 'Siu Nim Tau' where it appears): 'Kai Dik Ji Yan' (啟迪 之 ⼈)
Às vezes quando estava com meu pai no carro, ele ligava o rádio no último volume tocando alguma música da banda 'Creedance Clearwater Revival'. Ele realmente se empolgava e fazia até alguns movimentos de dança enquanto dirigia. - "Isso era muito bom, Thiago!' - dizia ele gritando para ser escutado enquanto pessoas passavam estupefatas nos carros ao lado do nosso. E apesar de não me conectar muito com a animação dele, minha música preferida dessa banda sempre foi "Fortunate Son". Depois que ele faleceu, passei a escutar de vez em quando. 
Com meu discípulo Vitor Sá(FOTO), quando se trata de "Muk Yan Jong", me sinto como meu pai falando do "Creedance" no carro(risos). Existe um certo nível de romantismo na maneira com que lido com o boneco, que o Vitor(Um de meus discípulos mais antigos) não compartilha(Risos)E nem precisa(É importante deixar isso claro). 
Ele participou ativamente de todo o processo com muito empenho e atenção. Ao final desta jornada e com o "Muk Yan Jong" já pronto. Dei a ele de presente, uma das matérias mais famosas de todos os tempos da Revista Inside Kung Fu: Ela indagava, se no Templo Shaolin(SIU LAM) teria havido uma viela pela qual os monges deveriam passar, e que nela seriam atacados por bonecos de madeira. 
A matéria fica no plano do fantástico com tamanha intensidade, que é reservada apenas para os românticos do Kung Fu. Na foto acima, entrego ela ao Vitor, como uma lembrança desta nossa jornada de três meses no "Muk Yan Jong Club".  Hoje as músicas do "Creedance" me lembram dos meus momentos no carro do meu pai com ele, morrendo de vergonha de sua cantoria e de suas coreografias. Mas são lembranças que me trazem um sorriso. "Creedance" virou a "banda do carro do meu pai". No futuro, essa matéria recebida pelo Vitor, será minimamente uma boa recordação. 

Sometimes when I was with my dad(RIP 1954-2018) in the car, he turned on the radio on the last volume playing some music of the band 'Creedance Clearwater Revival'. He really got excited and even did some dance moves while driving. - "This band was geart, Thiago! ' - He used to say, shouting to be heard over the music,while people passed by in astonishment in the cars next to ours. And although I didn't connect much with his animation, my favorite song of this band was always "Fortunate Son". After he passed away, I started to listen to it.
With my disciple Vitor Sá (PHOTO), when it comes to "Muk Yan Jong", I feel like my father talking about "Creedance" in the car (laughs) to me. There is a certain level of romanticism in the way I deal with the dummy, which Vitor (One of my oldest disciples) does not share (Laughter) And does not even need (It is important to make this clear).
He actively participated in the whole process with great commitment and attention. At the end of this journey and with "Muk Yan Jong" already ready. I gave him as a gift, one of the most famous articles of all time from Inside Kung Fu Magazine: The author of the article asked if in the Shaolin Temple (SIU LAM) there had been an alley through which monks should pass, and which would be attacked by wooden men
The article is on the level of the fantastic with such intensity, that it is reserved only for Kung Fu romantics. In the photo above, I give it to Vitor, as a reminder of our three-month journey at the "Muk Yan Jong Club". Today "Creedance" songs remind me of my moments in my father's car with him, ashamed of his singing and choreography. But they are memories that bring me a smile. "Creedance" became "my dad's car band". In the future, this article received by Vitor will be a good memory at least.


E me peguei pensando ao final de tudo, que foi exatamente o "Muk Yan Jong", a primeira coisa que vi dentro do Mo Gun, quando Si fu abriu a porta para mim pela primeira vez em Abril de 1999. Nunca conseguirei compreender, a razão do fascínio que o "Muk Yan Jong" causa nos românticos do Kung Fu, como eu.

And I found myself thinking at the end of it, which was exactly "Muk Yan Jong", the first thing I saw inside Mo Gun, when Si fu opened the door for me for the first time in April 1999. I will never be able to understand, the reason of the fascination that "Muk Yan Jong" causes in Kung Fu romantics, like me.

The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

  


sexta-feira, 21 de agosto de 2020

JIN CHOEI 箭捶 OR JIN CHOEI 戰捶 : An essay on “Structure“ x “Function”

A trilha sonora deste artigo é: 
(This article´s soundtrack is):
 'Le Onde' - By Ludovic Einaud

 Era uma tarde nublada de um dia nublado. Um clima bucólico, um dia cinza, do jeito que gosto. Depois de dois anos morando no Mo Gun, estava de volta a minha velha casa. De fato, era a casa onde morei com meus pais por muitos anos. Depois do falecimento do meu pai, ela permaneceu fechada e eu estava de volta. Resolvi fazer JIN CHOEI 戰捶 no terraço. 
É verdade que nos dias que se seguiriam a partir deste, teria uma agenda bem cheia. Porém veja, eu preferi dedicar mais este momento ao JIN CHOEI 戰捶, do que simplesmente 'descansar'. Afinal, devido a experiencias recentes, passei a valorizar ainda mais o tempo e o que faço com ele. 
Trabalhar o 'Ma' 馬 do 'Jin Ma" 戰馬, não parece tarefa das mais fáceis. Pois é uma base diferenciada das que um praticante de Ving Tsun trabalhou até então. E é através do JIN CHOEI戰捶 ("Soco de Batalha") que o "JIN MA"戰馬 é trabalhado. Então é como se toda esta base fosse construída através do JIN CHOEI戰捶. 
Apesar de saber que os joelhos abrem mais do que o pé de forma a segurá-los no chão, é o soco que puxa a base. Isso por si só, cria um cenário desafiador, no qual você não pode: Deixar de dar tudo de si no soco(Afinal, quando falamos de um "soco de batalha", a ideia de "um soco, uma morte" deveria estar presente). Porém, é fundamental que os pés não saiam do chão ao socar. 

It was a cloudy afternoon on a cloudy day. A bucolic atmosphere, a gray day, the way I like it. After two years living at Mo Gun, I was back in my old home. In fact, it was the home where I lived with my parents for many years. After my father passed away, it remained closed and I was back. I decided to do JIN CHOEI 戰 捶 on the terrace.
It is true that in the days that would follow from this, I would have a very busy schedule. But look, I preferred to dedicate this moment to JIN CHOEI 戰 捶, rather than simply 'resting'. After all, due to recent health experiences(nothing to do with Covid-19), I started to value time and what I do with it even more.
Working the 'Ma' 馬 of the 'Jin Ma "戰馬, does not seem the easiest task. It is a different basis from those that a practitioner of Ving Tsun worked until then. And it is through JIN CHOEI 戰 捶 (" Battle Punch ") that "JIN MA" 戰馬 is developed. So it's as if this whole stance was built through JIN CHOEI 戰 捶.
Despite knowing that the knees open more than the foot in order to hold them on the floor, it is the punch that pulls the base. This in itself creates a challenging scenario, in which you cannot: Stop giving your all in the punch (After all, when we talk about a "battle punch", the idea of ​​"one punch, one death" should be present ). However, it is essential that the feet do not leave the ground when punching.
O soco também precisa ser muito mais forte, exatamente para desafiar a base('Ma' 馬). Então podemos dizer que o soco(JIN CHOEI戰捶) é tudo neste trabalho. Portanto, quando falamos de JIN CHOEI戰捶, não me refiro à estrutura, mas à função deste soco. Essa diferença, apesar de ser básica, me foi alertada por meu Si Fu alguns meses atrás. Diferenciar "função" de "estrutura", parece-me algo novo a ser estudado agora. Mesmo após vinte e um anos de prática ininterupta. 
Ademais, apesar de meu Si Fu chamar JIN CHOEI戰捶 de "Soco de Batalha", soube de oitiva que outras Linhagens usam outro ideograma para compor o nome deste soco: JIN CHOEI 箭捶. Onde "Jin"(箭) é "flecha". Então, agora é como se fosse dada ênfase ao papel da outra mão. Pois quando ela é puxada para trás e a outra vai à frente, é como se você estivesse usando um "arco e flecha". Então com este ideograma, JIN CHOEI 箭捶 passaria a ser algo como "Soco em arco e flecha".Mas é importante salientar, que nós que usamos JIN CHOEI戰捶, enquanto "soco de batalha", também valorizamos a mão que fica guardada. Afinal, sabemos que se puxá-la demais para trás, você fica "gordo" atrás do braço da frente. 

The punch also needs to be much stronger, exactly to challenge the stance ('Ma' 馬). So we can say that the punch (JIN CHOEI 戰 捶) is everything in this practice. Therefore, when we speak of JIN CHOEI 戰 捶, I am not referring to the structure, but to the function of this punch. This difference, despite being basic(even obvious), was alerted to me by my Si Fu a few months ago. Differentiating "function" from "structure", it seems to me something new to be studied now. Even after twenty one years of uninterrupted practice.
Furthermore, although my Si Fu calls JIN CHOEI 戰 捶 "Battle Punch", I heard from the hear that other Lineages use another ideogram to compose the name of this punch: JIN CHOEI 箭 捶. Where "Jin" (箭) is "arrow". So, now it's as if the other hand's role is emphasized. For when it is pulled back and the other goes ahead, it is as if you are using a "bow and arrow". So with this ideogram, JIN CHOEI 箭 捶 would become something like "Punch in a bow and arrow"(position). But it is important to point out, that we who use JIN CHOEI 戰 捶, as "battle punch", also value the hand that is kept . After all, we know that if you pull it back too far, you will become "fat" behind the front arm.
Durante a minha prática de JIN CHOEI 箭捶, percebo que não entrei na base adequadamente.

During my JIN CHOEI 箭 捶 practice, I realize that I did not enter the stance properly.



O procedimento de se "entrar em uma base" nós na Família Moy Jo Lei Ou chamamos de "Hoi Ma"(開馬). Recentemente num encontro com Si Fu chamado "Desvendando o Siu Nim Tau". Ele deu muita enfase ao "Hoi Ma"(開馬) do Siu Nim Tau(Como não poderia deixar de ser). Impressionou-me demais, como Si Fu promove a sequencia de movimentos iniciais, apoiando-se na propensão. Em alguns casos, ele parecia gerar a propensão para que o movimento a seguir, se manifestasse por si mesmo. Até mesmo por conta da base (Ma 馬) usada no 'Siu Nim Tau', gerar uma força em espiral para baixo, tudo não poderia fazer mais sentido. Então de repente, era como se Si Fu trouxesse para o visível, uma série de propensões 'escondidas' no  "Hoi Ma"(開馬) do 'Siu Nim Tau'. 
Aquelas propensões usadas por Si Fu faziam sentido de uma maneira tão incrível, que um dos participantes teve uma crise de riso. Si Fu interrompeu, para brincando perguntar, se ele estava vendo alguma sketch do divertido programa humorístico brasileiro 'Porta dos Fundos'. Na verdade, este participante estava sorrindo involuntariamente, de tão impressionado que estava. 

The procedure of "enteringin a certain stance" we in the Moy Jo Lei Family Ou call "Hoi Ma" (開 馬). Recently in a meeting with Si Fu called "Unravelling Siu Nim Tau". He put a lot of emphasis on "Hoi Ma" (開 馬) of the Siu Nim Tau (How could it be different, right)? I was very impressed, as Si Fu promotes the sequence of initial movements, based on propensity. In some cases, it seemed to generate the propensity for the movement to follow, as it manifests itself. Even because of the base (Ma 馬) used in 'Siu Nim Tau', generating a downward spiraling force, everything couldn't make more sense. Then suddenly, it was as if Si Fu brought into the light, a series of 'hidden' propensities in the 'Hoi Ma' (開 馬) of 'Siu Nim Tau'.
Those propensities used by Si Fu made sense in such an incredible way that one of the participants had a fit of laughter. Si Fu interrupted, jokingly asking, if he was watching any sketch of the fun Brazilian humorous show 'Porta dos Fundos'. In fact, this participant was smiling involuntarily,because he was so impressed.
Preparando o  "Hoi Ma"(開馬) do 'Jin Ma" 戰馬
Preparing the  "Hoi Ma"(開馬) of the 'Jin Ma" 戰馬

Si Fu diz:"A sequencia se legitima, se um movimento der início ao outro". Ao ouvir isso nesse encontro sobre o Domínio 'Siu Nim Tau', pensei em como poderia refinar mais as propensões escondidas dentro do  "Hoi Ma"(開馬) do 'Jin Ma" (戰馬). Pensei que poderia começar por refletir, sobre todo o processo de 'inversão compensatória' que Si Fu de maneira muito perspicaz, compartilhou sobre o "Hoi Ma"(開馬) do 'Siu Nim Tau'. Ele tocou muito no ponto de tensionar e relaxar para que algumas propensões fossem criadas ou aproveitadas. Me peguei então durante o encontro, sobre como me aproveitar destas tomadas de consciência promovidas por Si Fu na última Quarta, para meu processo de redescoberta do Domínio 'Luk Dim Bun Gwan'.

Si Fu says: "The sequence is legitimate, if one movement starts the other". Hearing this at this meeting on the 'Siu Nim Tau' Domain, I thought about how I could further refine the hidden propensities within the ' "Hoi Ma"(開馬) of the 'Jin Ma" (戰馬). I thought I could start by reflecting on the whole process of 'compensatory inversion' that Si Fu very keenly shared about 'Hoi Ma' (開 馬) of 'Siu Nim Tau'. He played a lot at the point of tensioning and relaxing so that some propensities were created so I found myself then during the meeting, on how to take advantage of these awareness sessions promoted by Si Fu last Wednesday, for my process of rediscovering the Domain 'Luk Dim Bun Gwan'.

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira 'Moy Fat Lei'

terça-feira, 18 de agosto de 2020

THE SECRET OF MY 'SIU NIM TAU' 小念頭

A trilha sonora deste artigo é
( The soundtrack of this article is)
"Jade" - by João Bosco 
   
...Então você podia ver claramente o quão empolgado Si Fu estava para mostrar o vídeo a seguir no qual demonstrava o Siu Nim Tau 小念頭 mais impactante que fez recentemente. Ao longo da exibição do vídeo, por vezes olhava para a execução, mas também olhava para o Si Fu. Ele apertava os lábios como que em aprovação. Em outros momentos, levantava um pouco o queixo e o apoiava com uma de suas mãos. Existia um certo ar de orgulho em seu semblante, ou talvez de realização. Em alguns momentos parecia um entrevistado de algum programa de variedades que acabara de escalar o Everest e assistia uma vez mais os melhores momentos de sua façanha acompanhado de algum repórter. Mas não era nada disso...Não se tratava tão pouco, de algo que ele buscara conseguir por toda a sua vida e finalmente obtivera exito. Não... Era o bom e velho 'Siu Nim Tau'小念頭, aquele o qual ele obteve acesso em 1992 e que vem executando por todo este tempo... Mas afnal, o que poderia haver ainda de tão especial  para que um Mestre Senior ... Um Líder de Clã parecesse tão feliz com algo que fizera a vida toda? 

...So you could see clearly how excited Si Fu was to show the following video in which he showed the most impactful Siu Nim Tau  he made recently. During the video , I sometimes looked at the execution, but I also looked at Si Fu on the small screen. He pursed his lips as if in approval. At other times, he raised his chin a little and supported it with one of his hands. There was an air of pride in his countenance, or perhaps of accomplishment. At times he looked like an interviewee from a variety show who had just climbed Everest and was once again watching the best moments of his feat accompanied by a reporter. But it was nothing like that ... It was not so little, something that he had sought to achieve throughout his life and had finally succeeded. No ... It was the good old 'Siu Nim Tau' 小 念頭, the one that he got access to in 1992 and that he has been performing for all this time ... But after all, what could be so special for a Senior Master ... Or a Clan Leader to look so happy about something he had done his whole life?
 Si Fu fala de um processo de 'aprendizado em espiral', no qual você acaba tendo contato com os 'buracos' que deixou para trás. Pois como o aprendizado do Ving Tsun não é linear, você acaba tendo contato novamente com um mesmo 'tópico' por várias e várias vezes. Sejam questões que você não não tinha Kung Fu suficiente para refinar, ou aquelas que já estavam em alto nível, mas que poderiam melhorar ainda mais. Você volta a ter contato. E cada vez que você tem contato, por estar mais amadurecido, a experiencia é completamente diferente. 
Portanto, em se tratando de Siu Nim Tau 小念頭 podemos trazer a tradução de 'Diminuir a paixão' . Tendo em vista que o 'Pathos' é inerente ao ser humano. Quanto mais nos tornamos uma pessoa alinhada, e não uma pessoa que na verdade é várias. Quanto mais nos tornamos honestos ao nos expressarmos...Relaxados...Mais o alto nível é percebido. - '....Posso dizer que esse foi um dos Siu Nim Tau 小念頭 mais honestos que fiz...' - Disse Si Fu ao fazer um pequeno preambulo do vídeo que viria a seguir ao final do primeiro Encontro 'Desvendando o Siu Nim Tau 小念頭'. 

Si Fu talks about a 'spiral learning' process, in which you end up having contact with the 'holes' you left behind. Because Ving Tsun's learning is not linear, you end up having contact with the same 'topic' again and again. Be it questions that you didn't have enough Kung Fu to refine, or those that were already at a high level, but that could improve even more. You get back in touch. And every time you have contact, because you are more mature, the experience is completely different.
Therefore, in the case of Siu Nim Tau 小 念頭 we can bring the translation of 'Decrease passion'. Bearing in mind that 'Pathos' is inherent to human beings. The more we become an aligned person, and not a person who is actually several ones. The more we become honest when expressing ourselves ... Relaxed ... The more the high level is perceived. - '.... I can say that this was one of the most honest Siu Nim Tau 小 念頭 I've ever done ...' - Si Fu said while making a small preamble of the video that would come after the end of the first Meeting 'Unraveling Siu Nim Tau 小 念頭 '.
( Mestre Julio Camacho realizando um Siu Nim Tau 小念頭 
na antiga sede mundial da MYVT em NY, EUA )

(Master Julio Camacho performing a Siu Nim Tau 小 念頭
at MYVT's former world headquarters in NY, USA)

Mas se voce quer saber o 'segredo do meu Siu Nim Tau 小念頭' , é simples...
Aprendi ele com meu Si Fu. 

But if you want to know the 'secret of my Siu Nim Tau 小 念頭', it's simple ...
I learned it from my Si Fu.

The Disciple of Master Julio Camacho 
Thiago Pereira 'Moy Fat Lei'

Kung fu Life in Moy Fat Lei Family and an important lesson from Carlos Antunes.

A trilha sonora deste artigo é:
(This article´s soundtrack is):

Una mattina - Ludovic Einaudi. 

(Café Zoro numa tarde de Sexta)
(Café Zoro on a Friday afternoon)

A Família Moy Fat Lei tem uma tradição muito especial relacionada ao café. Beber café era algo que eu não apreciava tanto, até a primeira metade da década passada. Porém após uma conversa bem especial sobre o tema com meu Si Fu que acabou virando um artigo que você pode conferir AQUI. Eu e meus To Dai, passamos a ter os momentos para apreciar café, como momentos oportunos para provimento de ‘Vida-Kung Fu’.

The Moy Fat Lei Family has a very special tradition related to coffee. Drinking coffee was something I didn't enjoy so much, until the first half of the past decade. But after a very special conversation on the topic with my Si Fu that ended up becoming an article that you can check HERE. Me and my To Dai, we now have the moments to enjoy coffee, as opportune moments to provide ‘Kung Fu Life’.
(Convite formal a Thalles Cunha para iniciar o processo discipular)
(Formal invitation to Thalles Cunha to start the discipleship process)

                No dia do convite para ‘Baai Si’ de Thalles Cunha, ele acabou por encontrar uma filial do nosso ‘Café’ preferido no bairro do Méier que é o ‘Café Zoro’. Essa filial que abre aos Sábados pela manhã bem cedo, permite que comecemos nossas manhãs tomando café juntos, num local acolhedor e sem pressa de desocuparmos as mesas. Como acontecia na padaria.

                Com o advento da pandemia, após a quarentena a filial do Imperator, encerrou suas atividades. Desta forma, passamos a frequentar mais esta filial que fica num subsolo bem reservado da via principal do bairro.

On the day of Thalles Cunha's formal invitation to ‘Baai Si’ Ceremony, he ended up finding a branch of our favorite ‘Café’ in the Méier neighborhood which is ‘Café Zoro’. This branch, which opens on Saturdays early in the morning, allows us to start our mornings having coffee together, in a cozy place and in no hurry to vacate the tables. As it happened in the bakery.
With the advent of the pandemic, after the quarantine the Imperator branch of Cafe Zoro, ended its activities. In this way, we started to frequent more this branch that is in a well reserved basement of the main street of the neighborhood.


 
(Manhãs de Sábado no Café Zoro)
(Saturday mornings at Café Zoro)

Um ponto importante do local, é que já somos conhecidos. O gerente me chama de ‘Mestre’ e honestamente, não sei se ele perguntou a alguém do que nosso grupo se tratava ou se intuiu. Porém, independente de como ele me chama, o tratamento que recebemos é sempre excelente. E ser conhecido no local que você frequenta, faz toda a diferença, pois os responsáveis pelo estabelecimento já sabem do que você gosta e de como funciona a dinâmica do grupo. Então, conseguimos tratar de diferentes assuntos, sem ser incomodados. Ou seja, é uma ambiência muito favorável no coração do Méier, para a “Vida Kung Fu”.

An important point of the place is that we are already known. The manager calls me ‘Master’ and honestly, I don’t know if he asked someone what our group was about or intuited. However, regardless of what he calls me, the treatment we receive is always excellent. And being known in the place where you go, makes all the difference, because those responsible for the establishment already know what you like and how the dynamics of the group work. So, we managed to deal with different subjects, without being disturbed. In other words, it is a very favorable environment in the heart of Méier wild neighborhood, for “Kung Fu Life”.

(Jantares com os discípulos no Japinha Carioca)
(Dinners with disciples at Japinha Carioca japanese restaurant)

                Outro local em que temos o mesmo acolhimento, é o nosso querido “Japinha Carioca”(FOTO). Uma vez por semana, vou ao restaurante sozinho e fico apreciando uma dose do meu Sake preferido, refletindo sobre a semana que passou. Quando chegava, os garçons perguntavam: “Hoje o senhor está sozinho? ”. Com o tempo, essa pergunta não foi mais feita, o próprio staff já sabe que tem dias que vou com um ou dois alunos, com um grupo ou sozinho. E o próprio Sake que é servido, não transborda o recipiente, pois prefiro que não seja assim.

Another place where we have the same welcome, is our beloved “Japinha Carioca” (PHOTO) a japanese restaurant. Once a week, I go to the restaurant alone and enjoy a dose of my favorite Sake, reflecting on the past week. When I started to do that, the waiters asked: “Are you alone today, sir? ”. Over time, this question was no longer asked, the staff themselves already know that there are days when I go with one or two students, with a group or alone. And the Sake that is served does not overflow the container, because I prefer it not to be so.

 

              (Com meu irmão Kung Fu Carlos Antunes na rua do Mo Gun de minha Família Kung Fu)
(With my Kung Fu Brother Carlos Antunes in the street of my Kung Fu Family´s Mo Gun)

  Esses acontecimentos me trazem à memória, a saudade dos momentos que vivi com meu Si Fu e com o Carlos Antunes no “Benkei da loirinha” na Barra da Tijuca. Ela já sabia tudo que o Si Fu gostava e já nos conhecia. Assim como a Dona do estabelecimento, que nunca soube que rebatizamos seu restaurante de “Benkei da lorinha”(risos).  Em outra oportunidade, almoçando com Carlos Antunes no Centro da cidade, tive uma “aula” de como um discípulo pode ser diferenciado: Carlos Antunes estava já a seis meses educando o guardador de carros a sempre deixar uma vaga reservada para ele, e educando o garçom a entregar “água com gás e limãozinho espremido” (uma das bebidas oficiais do Si Fu). Como descobri isso? Ao ver Carlos receber a água com limão espremido, disse inocentemente: “Ué? Você passou a gostar também? ” – A resposta de Carlos foi: “Não Si Hing. Estou pedindo isso a seis meses, para que quando o Si fu vier almoçar comigo, o garçom traga sem eu precisar pedir”.

Lembro-me de ouvir aquela fala consternado. Naqueles tempos, eu demandava muito tempo e paciência de meu Si fu, por conta de um problema que atravessei por três longos anos. E mesmo assim, nunca me passaria pela cabeça este nível de cuidado. Ao contar para Si Fu durante um almoço no restaurante “Tio Frank”(Zona Oeste do Rio) num Sábado no início da tarde. Pude perceberi em seu olhar que ele havia ficado impressionado também.

These events bring to mind, the longing for the moments I lived with my Si Fu and Carlos Antunes at the  “Benkei" in Barra da Tijuca in the mid 2000's. The waitress already knew everything Si Fu liked and already knew us. Just like the owner of the establishment, who never knew we renamed her restaurant as “Blondie´s Benkei” (laughs) in refference of the waitress. On another occasion, having lunch with Carlos Antunes in the city , I had a “lesson” on how a disciple can be distinguished: Carlos Antunes had already been educating the car keeper for six months to always leave a place reserved for him, and educating the waiter delivering “sparkling water and squeezed lemon” (one of Si Fu's official drinks). How did I find out? When he saw Carlos receiving the water with squeezed lemon, I asked innocently: “Hey? Did you start to like it too? ”- Carlos' reply was:“ No Si Hing. I've been asking this for six months, so that when Si fu comes to lunch with me, the waiter will bring it without me having to ask ”.

I remember hearing that speech very schocked. In those days, I demanded a lot of time and patience from my Si fu, due to a problem that I went through for three long years. And yet, this level of care would never cross my mind. When telling Si Fu during a lunch at the restaurant “Tio Frank” (West Zone of Rio) on a Saturday in the early afternoon. I could tell in his eyes that he was impressed too.

 

(Café numa Sexta-feira com a presença da minha irmã Kung FU Carmen Maris)    
(Friday evenning with the presence of my Kung Fu Sis Carmen Maris)           

Talvez seja difícil para quem é de fora do “Círculo Marcial”(Mo Lam) ou de fora da Linhagem Moy Yat, entender do que se trata este texto. Porém, em resumo ele fala sobre uma atenção a nível marcial que deve estar presente em mesas ocupadas por artistas marciais. Se possível, a atenção à nível marcial, pode estar presente também no “staff” do estabelecimento. Mas com certeza, deve estar presente entre os ocupantes da tal mesa.

It may be difficult for anyone outside the “Martial Arts Circles” (Mo Lam) or outside the Moy Yat Lineage to understand what this text is about. However, in short, it is about attention at a martial level that must be present at tables occupied by martial artists. If possible, attention at the martial level, can also be present in the "staff" of the restaurant. But surely, it must be present among the occupants of that table.


The Disciple of Master Julio Camacho,
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com