Apoie o Blog!

sábado, 5 de outubro de 2019

TAKING SI FU AND SI MO FOR A WALK AT COPACABANA FORTRESS

Era uma Sexta agitada, que finalizava uma semana infernal... Era como se por um mês, o meu mundo tivesse virado uma máquina de lavar. Naquele dia, não deveria ser possível encontrar-me com Si Fu e Si Mo, mas a força da relação me levou a fazer uma série de ajustes para estar com os dois por conta de um convite de Si Fu. Pois enquanto aguardávamos a chegada de Si Gung Leo Imamura ao Rio de Janeiro, Si Mo levaria Si Fu para conhecer o Forte de Copacabana.
Não sei ao certo por quantas horas ficamos sentados nesse banco olhando o mar. Dentre tantas coisas que conversamos, avaliamos as perfomances de diferentes praticantes de Stand-Up Paddle que praticavam esse esporte ali à nossa frente. Si Fu também me pediu para explicar porque gosto tanto do personagem "Rambo", e após assistir junto comigo um episódio do meu programa de Youtube "Cultura Kung Fu", fez algumas considerações .

It was a busy Friday, ending an infernal week ... It was as if for a month my world had become a washing machine. That day it should not be possible to meet Si Fu and Si Mo, but the strength of the relationship led me to make a series of adjustments to be with both of them on Si Fu's invitation. For while we waited for Si Gung Leo Imamura to arrive in Rio de Janeiro, Si Mo would take Si Fu to visit Copacabana Fortress. 
I am not sure how many hours we sat on this bench watching the sea. Among so many things we talked about, we evaluated the performances of different Stand-Up Paddle practitioners who practiced this sport in front of us. Si Fu also asked me to explain why I like the character "Rambo" so much, and after watching with me an episode of my Youtube show "Kung Fu Culture", made some considerations.
Ao longo da minha vida, muitas pessoas dos meus círculos de amigos, não entenderam, questionaram, ou me colocaram contra a parede. Por conta da minha dedicação à relação "Si Fu-To Dai". Bem, acredito que você que está lendo, possa se perguntar também de vez em quando, o que um passeio a pé pelo Forte de Copacabana, pode lhe ajudar em termos técnicos por exemplo...
Para continuar respondendo a essa pergunta, quero compartilhar minha visão sobre o trabalho
do Professor Peimin Ni da Grand Valley University do Havaí.

Throughout my life, many people in my circles of friends have not understood, or questioned, or placed me against the wall. Because of my dedication to the "Si Fu-To Dai" relationship. Well, I believe that you who are reading, may also wonder from time to time, what a walking tour at Copacabana Fortress can help you in technical terms for example ...
To continue answering this question, I want to share my insight into the work of Professor Peimin Ni of Hawaii's Grand Valley University.

Meu interesse sobre a sua pesquisa adveio, da descoberta de seu trabalho pelo meu Si Gung Leo Imamura. Pois sua visão a respeito dos clássicos chineses como obras que fazem parte do que ele chama de Instrução Kung Fu, lhe despertaram a curiosidade.
Ainda que essa abordagem não seja a única (autores como François Jullien apresentaram proposta
semelhante) achei interessante apresentar o olhar do Doutor Ni, pois o seu trabalho ganhou
grande repercussão quando escreveu o artigo “Kung Fu for Philosophers” no New York Times.
Segundo o Professor Peimin Ni, durante as Dinastias Song e Ming, da China, o termo "kung fu"
era amplamente empregado pelos confucianos, taoístas e budistas como a arte de viver a vida
em geral e todos eles consideravam seus ensinamentos como diferentes escolas de kung fu.

My interest in his research came from the discovery of his work by my Si Gung Leo Imamura. For his view of the Chinese classics as works that are part of what he calls the Kung Fu Instruction aroused Si Gung´s curiosity.
Although this approach is not the only one (authors such as François Jullien put forward a similar proposal) I found it interesting to present Doctor Ni's vision, because his work gained great repercussion when he wrote the article “Kung Fu for Philosophers” in the New York Times.
According to Professor Peimin Ni, during the Song and Ming Dynasties of China, the term "kung fu" was widely used by Confucian, Taoist, and Buddhist as the art of living life in general, and they all considered their teachings to be different schools of Kung Fu. 
(Si Fu e Si Mo, escolhendo a refeição no Menu)
(Si Fu and Si Mo, choosing what they gonna eat from the Menu)

Assim, a essência do Kung Fu, pode ser encontrada em várias artes e orientações sobre como cultivar a pessoa e sua vida. Essa talvez seja a ênfase do Dr. Ni com relação ao termo "Kung Fu". Já que, em sua pesquisa, são elencados os seguintes empregos para essa noção:
(1) esforços dispendidos em algo,
(2) modos apropriados de realizar esforços (empregando tempo) ou instruções particulares
sobre como realizar esforços, isso é também o sentido no qual nós podemos falar sobre kung
fu como uma forma de arte,
(3) incorporação das habilidades resultantes destes esforços, e
(4) os propósitos das habilidades alcançadas.
Para ele, o kung fu permite perceber a união do homem à ação de uma maneira que a ação
humana não é tratada meramente como um resultado de escolhas racionais ou procedimentos
técnicos, mas como resultado do cultivo humano. Ele chamou esse conhecimento de "Perspectiva Kung Fu".

Thus, the essence of Kung Fu can be found in various arts and guidelines on how to cultivate the person and their life. This may be Dr. Ni's emphasis on the term "Kung Fu." Since, in his research, the following uses are listed for this notion:
(1) efforts expended on something,
(2) Appropriate ways of making efforts (employing time) or particular instructions on how to make efforts, this is also the sense in which we can speak of kung fu as an art form,
(3) incorporation of the skills resulting from these efforts, and
(4) the purposes of the skills achieved.
For him, kung fu allows one to perceive the union of man with action in a way that human action is not treated merely as a result of rational choices or technical procedures, but as a result of human cultivation. He called this knowledge "Kung Fu Perspective".
Como meu Si Fu por mais de vinte cinco anos, tem a "Vida Kung Fu" como meio de acesso ao Sistema Ving Tsun. Ele resume todo esse conceito, numa única frase: "Thiago, a vida pode ser simples".

Like my Si Fu for over twenty five years, he has "Kung Fu Life" as a means of access to the Ving Tsun System. He sums up this whole concept in one sentence: "Thiago, life can be simple."


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com