Apoie o Blog!

domingo, 20 de outubro de 2019

Grand Master Leo Imamura's inspiring words about professionalism and leadership.

Era para ser uma tarde de muito aprendizado sobre Siu Nim Tau no Núcleo Freguesia, Mo Gun da Família Moy Fei Lap, Família Kung Fu esta liderada pelo Mestre Felipe Soares. Acontece que com poucos minutos de seminário, fui surpreendido por palavras fortes e inspiradoras de Grão Mestre Leo Imamura(Foto) sobre o que é e como é, ser um profissional de artes marciais.
À todo o momento vivemos transições ininterruptas, e como a maioria dessas transformações são "micro-transformações", acabamos por não perceber quando elas ocorrem. Por outras vezes, podemos sentir que elas estão acontecendo. E me percebo num momento de transição como Si Fu muito forte. E talvez por isso, essas palavras tenham me tocado tanto...

It was supose to be an afternoon of much learning about Siu Nim Tau in the MYVT Freguesia School , Mo Gun of the Moy Fei Lap Family, Kung Fu Family wich is led by Master Felipe Soares. It turns out that with just a few minutes of seminar, I was surprised by Grand Master Leo Imamura's strong and inspiring words (Photo) about what it is and how to be a martial arts professional.
We experience uninterrupted transitions all the time, and since most of these transformations are "micro-transformations," we do not realize when they occur. At other times we may feel that they are happening. And I find myself in a very strong moment of transition as a Si Fu . And maybe that's why those words touched me so much ...
Si Gung falou da importância de nos dedicarmos a entender com afinco o que estamos fazendo e qual nosso papel social. Fez comentários sobre a mesa ancestral, e como a relação com a "eficiência invisível" dessa ancestralidade, pode nos ajudar a aprender como nos entendermos melhor com o "não aparente" - "Um líder, precisa ser capaz de sentir as coisas no ar..." - Disse ele.
Si Gung também fez comentários sobre a fraqueza que carregamos quando em primeiro lugar, escolhemos sempre "negar". E como a relação "Si Fu-To Dai" é importante nesse aspecto - "...Quando alguém nos diz algo, primeiro nós negamos para depois ouvirmos...O Si Fu é a pessoa que você elegeu para ser a única que você não vai negar primeiro. Você primeiro vai ouvir e só depois negar...Se for o caso..."

Si Gung spoke of the importance of working hard to understand what we are doing and what our social role is. He commented on the ancestral table, and how the relationship to the "invisible efficiency" of this ancestry can help us learn how to better understand ourselves with the "not apparent" - "A leader needs to be able to feel things in the air. .." - He said.
Si Gung also commented on the weakness we carry when we first choose to "deny" first. And since the relationship "Si Fu-To Dai" is important in this respect - "... When someone tells us something, we first deny it and then listen ... A Si Fu is a person you have chosen to be the only one you will not deny first. You will first listen and only then deny ... If it is needed to ... "
Mas o que me tocou de verdade, ainda estava por vir: Si Gung em determinado momento, começou a compartilhar com os presentes de maneira muito forte e assertiva, sobre sua visão a respeito do profissional de artes marciais: "...Recentemente tive a oportunidade de falar sobre 'profissionalismo nas artes marciais' no Núcleo Copacabana. Foi muito importante falar sobre isso, porque as pessoas querem trabalhar com artes marciais, mas não estão preparadas de verdade. Ser profissional de artes marciais é ser um guerreiro..." - Ele disse aquilo, com o tom de voz de quem viveu aquelas palavras: "... Não existe a possibilidade de ser um profissional de artes marciais, sem antes ser um guerreiroTem pessoas que se a conta não fecha não dormem...A pessoa tem tanto medo que não consegue nem dormir..." - Continuou. - "...Eu trabalho com artes marciais a mais tempo, mas levando em consideração o tempo que estou na Família, são trinta anos...Trinta e um anos, agora, como profissional...E sabe como começa o meu mês? " - Ele fez um gesto indicando um número com a mão direita e riu, parecendo notar a surpresa em alguns dos olhares: "...Mas não tem problema, eu vou aos poucos..."

But what really touched me was yet to come: Si Gung at one point began to share with those present very strongly and assertively about his view of the martial arts professional: "... I recently had the opportunity to talk about 'professionalism in martial arts' at the MYVT Copacabana School. It was very important to talk about it, because people want to work with martial arts, but they're not really prepared. Being a martial arts professional is being a warrior ... " - He said that, with the tone of the voice of those who lived those words: "... There is no possibility of being a martial arts professional without being a warrior. There are people who if in the end of the month, is not able to pay the bills , can not even sleep ... The person is so afraid that can not even sleep .. . ... "- Continued. - "... I've been working with martial arts ....considering the time I'm joined the Family, it's thirty years ago ... Thirty-one years as a professional ... And you know how my month starts ? "- He gestured to a number with his right hand and laughed, seeming to notice the surprise in some of the eyes:" ... But no problem, I'm going slowly ... "
Si Gung encerrou sua fala, comentando sobre a importância de nos perguntarmos se "temos estomago" para exercer essa função.
Àquelas foram palavras que me tocaram, e junto de outras mais que ouvi nas primeiras horas de Seminário, me fizeram refletir muito não somente sobre o trabalho que venho realizando. Mas principalmente, sobre a maneira pela qual realizo esse trabalho.
"...Você paga o jantar para o Si Fu, porque da mesa toda, ele é o único que está prestando atenção em tudo, para ser capaz de prover a Vida Kung Fu. Agora, se o Si Fu está ali só para comer, ele tem que dividir a conta também.." - Disse Si Gung.

Si Gung ended his speech by commenting on the importance of asking ourselves if "we have the stomach" to perform this function.
Those were words that touched me, and along with others I heard in the early hours of the Seminar, they made me reflect a lot not only on the work I have been doing. But mostly, about the way I do this work.
"... You pay dinner for your Si Fu, because of the whole table, he is the one who is paying attention to everything, to be able to provide Kung Fu Life. Now, if Si Fu is just there to eat , he has to pay the bill too .. "- Said Si Gung.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvT@gmail.com