Apoie o Blog!

terça-feira, 9 de julho de 2019

THE VING TSUN MEMORIAL DAY: MASTER JULIO CAMACHO WAY

Tenho vivido dias ferozes e também mágicos recentemente. Apesar dos desafios do dia a dia, é bom me debruçar na mureta do segundo pavimento do Mo Gun com tudo apagado e observar a chuva cair na rua de paralelepípedos onde estamos situados. E na última Quinta-feira não foi diferente!
Temos um abiente no Núcleo Méier chamado "Valorização de Vida Kung", ele é gerenciado pela Direção do Núcleo e está voltado para a realização de instrumentos que tenham o "Provimento Orientado de Vida Kung Fu" por vetor estratégico. Quem coordena este ambiente, é o meu discípulo Luiz Grativol, e graças a sua energia contagiante, as pessoas têm se envolvido cada vez mais nesse tipo de momento.

I have lived fierce and magical days recently. Despite the day-to-day challenges, it is good to lean on the wall of the second floor of the Mo Gun with everything turned off and watch the rain fall on the cobblestone street where we are located. And last Thursday was no different!
We have a seat at the Méier School called "Valorization of Kung Life", it is managed by the School Direction and is aimed at the realization of instruments that have the "Oriented Kung Fu Life Providing" by strategic vector. The person who coordinates this area is my disciple Luiz Grativol, and thanks to his contagious energy, people have been increasingly involved in this type of moment.
(Com Cayo em Angra dos Reis)
(With Cayo in Angra dos Reis city) 

Pouca gente sabe, mas sou formado em Biologia e ainda atuo como profissional dessa área nos momentos em que não estão havendo atividades com a Família Kung Fu. Aprendi com meu Si Fu porém, a importância de abrir a vida aos discípulos para que nos apoiemos em qualquer situação em potencial, para o provimento de Vida Kung Fu.
Por isso, neste último dia 04 de Julho, convidei meu discípulo Cayo Cesar (Diretor do Núcleo Méier), a me acompanhar até Angra dos Reis para um compromisso que eu tinha. Foram sete horas juntos e nos foi possível nos conhecermos melhor.

Few people know, but I have a degree in Biology and I still work as a professional in this area at times when there are no activities with the Kung Fu Family. I learned with my Si Fu, however, the importance of opening my life to the disciples so that we can rely on any potential situation, for the provision of Kung Fu Life.
That is why, on this last 4th of July, I invited my disciple Cayo Cesar (Director of the Méier School) to accompany me to Angra dos Reis city for an appointment I had. It was seven hours together and it was possible for us to get to know each other better.
Para o "Dia Memorial do Ving Tsun", a Família decidiu que falaríamos sobre a vida do Patriarca Ip Man. E esse é um tema que eu também gosto muito de falar à respeito. Por isso, montei uma apresentação em slides, comparando fotos da vida real com cenas dos filmes à respeito do Patriarca. Além disso, levei alguns materiais que me foram dados por Si Gung em Outubro de 2010 na Casa dos Discípulos.

For the "Ving Tsun Memorial Day," the Family decided that we would talk about the life of Patriarch Ip Man. And that is a topic I also love to talk about. So I set up a slide show, comparing real-life pictures with the movies ones about the Patriarch. In addition, I took some materials that were given to me by Si Gung in October 2010 in the House of Disciples.


(Si Gung faz um discurso quando minha Família KF completou 1 ano)
(Si Gung made a speech when my Kung Fu Family was 1 year)

Em 2002, Si Gung deu uma palestra no antigo Núcleo jacarepaguá e ele teria dito algo que me marcara para sempre: Ele disse, que para se falar em público e manter a atenção da audiência, o orador não pode manter o mesmo tom de voz, seguir o mesmo ritmo com as palavras, etc... Era importante que de vez em quando, o orador pudesse quebrar a expectativa da audiência, trazendo sua atenção de volta - "Por isso eu brinco e faço piada de vez em quando, porque isso faz vocês olharem para mim novamente." - São as palavras dele que me lembro.

In 2002, Si Gung gave a lecture at the former  Jacarepaguá School and he would have said something that had marked me forever: He said that to speak in public and keep the audience's attention, the speaker can not keep the same tone of voice, follow the same rhythm with words, etc ... It was important that from time to time, the speaker could break the expectation of the audience, bringing their attention back - "So I play and joke once in a while because make you look at me again. " "It's his words I remember.
(Quebrar a expectativa com sorrisos)
(Break the expectation of the audience with smiles)

Desde que comecei a atuar profissionalmente, mantive isso em mente e acredito que é possível sim, treinar esse tipo de processo de oratória. Você monta uma apresentação cativante, e conectar com o público. Se você começar a falar e falar, e se desconectar da audiência, você a perde. Não totalmente, não de uma vez, mas um por um...

Since I started working professionally, I kept this in mind and I believe that it is possible, yes, to train this kind of oratory process. You assemble a catchy presentation, and connect with the audience. If you start talking and talking, and disconnecting from the audience, you lose them. Not totally, not once, but one by one ...
Na cena do filme "O ùltimo Samurai"(Last Samurai,2003) com Tom Cruise, ele se vê cercado por um número considerável de adversários no arco final do filme. Naquele momento, Tom Cruise relaxa, e começa a entender todo àquele grupo, como um corpo único. Por isso, ao primeiro movimento do primeiro adversário, ele golpeia e desdobra seus golpes em um por um, como se fossem membros de um mesmo corpo lhe atacando.

In the 2003, the movie "Last Samurai" with Tom Cruise, he finds himself surrounded by a considerable number of opponents in the final arc of the film. At that moment, Tom Cruise relaxes, and begins to understand everyone in that group, as a single body. Therefore, at the first movement of the first adversary, he strikes and unfolds his blows one by one, as if they were members of the same body attacking him.
Então acho que dá para encarar uma audiência como um adversário único e conectar com ela de forma a sentir e perceber cada momento de forma a não perder a pontr com a mesma.
Apesar de todos esses "Insights", ainda me vejo num nível muito básico de condução deste tipo de processo.

So I think we can face an audience as a unique adversary and connect with it in order to feel and perceive each moment so as not to lose the bridge with it.
Despite all these Insights, I still see myself at a very basic level of conducting this kind of process.
(Com Si Fu no Ano novo chinês de 2006)
(With Si Fu and Family celebrating the chinese new year in 200¨)

Digo isso, pois o bom da Vida Kung Fu, é que você pode se inspirar em cenários que você viveu junto do seu Si Fu. Por muitas vezes, vi Si Fu promover o mesmo tipo de encontro interativo e divertido, utilizando-se das antigas TV´s de 29 polegadas conectadas a torres de computador com alguma versão de Windows do início dos anos 2000.

I say this, because the good thing about Kung Fu Life is that you can be inspired by scenarios that you lived with your own Si Fu. For many times, I have seen Si Fu promote the same kind of interactive and entertaining meeting, using the old 29-inch TVs connected to computer towers with some version of Windows from the early 2000s.
Houve porém, uma mudança muito sutil na forma pela qual Si Fu conduz esse tipo de encontro que promove a Vida Kung Fu. Eu não consegui, mesmo estando tão perto nos últimos anos, entender o que mudou. Simplesmente, não consigo imaginar ele se utilizando de recursos como TV, Flip-Chart, etc... Parece que tudo é muito honesto e natural, e as pessoas saem encantadas.
Lembro que no momento da foto acima, era o primeiro "Kung Fu à mesa" de nosso Clã. Si Fu simplesmente perguntou sobre o que falávamos, e se apoiando no assunto, desdobrou todo o restante. Eu prestei muita atenção em como ele estava fazendo ... Mas meu erro foi tentar desvendar a técnica, por isso não aprendi como fazê-lo.

There was, however, a very subtle change in the way Si Fu conducts this kind of encounter that promotes Kung Fu Life. I have not been able to, even though I have been so close to him in recent years, to understand what has changed. Simply, I can not imagine him using features like TV, Flip-Chart, etc ... It seems that everything was suddenly very honest and natural, and people are still delighted.
I remember that at the time of the photo above, it was the first "Kung Fu at the table" of our Clan. Si Fu simply asked what we were talking about, and leaning on the subject, he unfolded everything else. I paid close attention to how he was doing ... But my mistake was to try to unravel the technique, so I did not learn how to do it.
Pensando na maneira do Si Fu de fazer as coisas, percebo quantos "Movimentos" a mais fiz nesse "Dia Memorial do Ving Tsun" de minha Família. eu tinha: Uma Tv, Recortes de revistas, um flip-chart, um mapa de Foshan, uma apresentação de slides de 49 slides. (risos). Enquanto isso, Si Fu senta-se em sua poltrona e apenas conversa. Acredito que se fosse uma luta, é como se eu precisasse usar vários golpes enquanto Si Fu resolveria com um único.

Thinking about Si Fu's way of doing things, I realize how many more "Movements" I made on this "Ving Tsun Memorial Day" of my Family. I had: A Tv, Clippings from magazines, a flip chart, a map of Foshan, a slide show of 49 slides. (laughs). Meanwhile, Si Fu would sit in his armchair and just talk. I think if it was a fight, it's as if I needed to use several blows while Si Fu would deal with a single one.
(Com Si Fu em Paris, 2017)
(With Si Fu in paris, 2017)

Então, na última Quinta-feira, percebi que ainda tenho um longo caminho pela frente nessa estrada como Si Fu. Espero entender esse sutil refinamento do meu Si Fu o quanto antes, para que minha Família não seja refém das minhas limitações. Afinal, também daí, o "Fat"(法) do meu "Nome Kung Fu".

So last Thursday, I realized that I still have a long way to go on this road like Si Fu. I hope to understand this subtle refinement of my Si Fu as soon as possible, so that my Family will not be held back by my limitations. After all, also from there, the "Fat" (法) of my "Kung Fu Name"comes.



The Disciple of Master Julio Camacho,
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com