Apoie o Blog!

terça-feira, 30 de julho de 2019

Maintaining a love relationship using Kung Fu. (Mantendo um relacionamento amoroso usando Kung Fu)

No dia do meu aniversário de 2010(FOTO), sentia um misto de emoções muito fortes: Ouvia palavras poderosas de pessoas queridas à meu respeito. Àquelas palavras que mal acreditamos que sejam direcionadas a gente. No mesmo instante, sabia que meu relacionamento de tantos e tantos anos com minha companheira se desfazia.... Mas foram só alguns poucos meses depois desta foto, que Si Fu me diria as seguintes palavras: "Pereira, nós nascemos sozinhos e morremos sozinhos. Nesse meio tempo,encontramos pessoas dispostas a formar uma aliança conosco."- Disse Si Fu. Que prosseguiu: "...Nesse meio tempo, temos a ilusão de que as pessoas 'são nossas', e não aceitamos o fato de que elas podem ir embora. E mais do que isso: Elas tem esse direito... "
Nesta mesma conversa, Si Fu me apresentou pela primeira vez, seu entendimento do que ele chamou de "três verdades do budismo chinês": "... Pereira, você sabe quais são as 'três verdades do budismo chinês'?" - Respondi que não. Ele teria dito: "... O sofrimento, a impermanência e a insubstancialidade das coisas."


On my 2010 birthday (PHOTO), I felt a mixture of very strong emotions: I heard powerful words from dear people about me. Those words we hardly believe are directed at us. At the same moment, I knew that my relationship of so many years with my partner was falling apart .... But it was only a few months after this photo above that Si Fu would say the following words: "Pereira, we were born alone and will die alone. In the meantime, we meet people willing to form an alliance with us. "- Si Fu said. He went on: "... In the meantime, we have the illusion that people are 'ours', and we do not accept the fact that they can leave. And more than that: They have this right ..."
In the same conversation, Si Fu introduced me for the first time, his understanding of what he called the "three truths of Chinese Buddhism": "... Pereira, do you know what are the 'three truths of Chinese Buddhism'?" - I said no. He would have said, "... the suffering, impermanence and insubstantiality of things."
Anos antes desta conversa, quando Si Fu visitou a Unidade Méier pela primeira vez(FOTO), lá no fundo estava o querido Thiaguinho Thiers vestindo um casaco azul. Ele, de fato, foi meu primeiro aluno de todos os tempos. Tinha seus sete aninhos, e eu me esforçava para dar o meu melhor.
No dia em que descobri pelo rapaz da recepção da escola de dança de que a avó de Thiago ligou e comunicou que ele decidira parar de praticar, me senti a pessoa mais incompetente do mundo...
Lembro de sentar nos degraus que ligavam a cozinha desativada ao pátio e ficar olhando pro chão por um tempo. Buscava entender o que tinha feito de errado. Coube à Si Fu, mais tarde, me fazer entender que este tipo de coisa seria uma constante nos anos seguintes... Ainda assim, esse foi um sentimento de "perda" bem forte em minha carreira...

 Years before this conversation, when Si Fu first visited Méier Studio (PHOTO), in the background was dear Thiaguinho Thiers wearing a blue jacket. He was, in fact, my first student of all time. He was seven years old, and I worked hard to do my best.
The day I found out from the dance school secretary guy that Thiago's grandmother called and told him that Thiago had decided to stop practicing, I felt like the most incompetent person in the world ...
I remember sitting on the steps that connected the disabled kitchen to the backyard and staring at the floor for a while. I was trying to understand what I had done wrong. It was up to Si Fu later to make me understand that this kind of thing would be a constant over the next few years ... Still, that was a very strong feeling of "loss" in my career ...
Quando Si Fu fez sua segunda visita à antiga sede do Núcleo Méier na Rua Medina(FOTO), pude presenciar pela primeira vez, uma nova interpretação sua para "Siu Nim Tau"(小念頭). Ele traduziu como "Pouca vontade".
Si Fu não fala coisas vazias, pois dois anos depois, numa Cerimônia na qual seu To Dai Clayton Quintino acessaria um outro nível. Si Fu disse à Clayton que ele era livre para se afastar quando e se quisesse. Si Fu disse, que a relação deveria suportar possíveis afastamentos.
Aquela fala de Si Fu me marcou muito, pois já fazia um ano que eu manipulava de todas as formas para que Clayton permanecesse praticando. Achava que estava ajudando ele fazendo isso, mas na verdade, não lhe dei a chance de ir quando precisou.
Não é necessário pensar, para sabermos que nosso "excesso de vontade", prejudica nossas ações fazendo com que nos tornemos manipuladores.

When Si Fu made his second visit to the former Méier School headquarters on Medina Street (PHOTO), I was able to witness for the first time a new interpretation of his for "Siu Nim Tau" ( 念頭). He translated it as "Little desire".
Si Fu does not speak empty things,  two years later, in a Ceremony in which his To Dai Clayton Quintino would access another level. Si Fu told Clayton that he was free to walk away whenever and if he wanted to. Si Fu said that the relationship should withstand possible departures. That talk about Si Fu struck me a lot, since it had been a year since I had manipulated it all the way to keep Clayton practicing. I thought I was helping him by doing this, but I didn't really give him a chance to go when he needed to.
It is not necessary to think, to know that our "excessive desire" impairs our actions by making us manipulative.
(Si Fu me abraça em meu aniversário em 2013)
(Si Fu hugs me in my birthday celebration in 2013)

Então, algum tempo depois, perguntado por Si Fu sobre como andava um relacionamento que vivia na época, respondi que a pessoa era um pouco ciumenta. Si Fu me disse que me explicaria sua visão à respeito de ciúme contando "a história da vaquinha". (risos). - "Já te contei a história da vaquinha?" - Perguntou Si Fu empolgado. Eu disse que não. - "Pereira , imagina que você tem uma vaquinha. Como você faz para não perder ela?". - Eu estava rindo, mas respondi que usaria uma cerca. Si Fu disse: "Isso é o que todo mundo faz. Quer saber o que eu faria?"- Respondi que sim. Si Fu prosseguiu:"Eu não faria cercas, deixaria a vaquinha completamente solta. Se ela quisesse ir embora ela poderia ir, mas ela mesmo assim não iria." - Fiquei em silêncio e Si Fu completou: "Por causa da qualidade do meu pasto".

Then, some time later, asked by Si Fu about how was a relationship I was living at the time, I replied that the person was a little jealous. Si Fu told me that he would explain his vision of jealousy to me by telling "the story of the little cow." (laughs). - "Did I tell you the story of the lil' cow?" Asked Si Fu excitedly. I said "no". - "Pereira, imagine that you have a cow. How do you not to lose it?". - I was laughing, but I said I'd use a fence. Si Fu said: "That's what everyone does. Want to know what I would do?" - I said "yes". Si Fu went on: "I wouldn't make fences, I'd let the cow completely loose. If she wanted to leave she could go, but she wouldn't go anyway." - I was silent and Si Fu added: "Because of the quality of my pasture."
(Com Si Fu no final do ano de 2013)
(With Si Fu in the end of the year of 2013)

Si Fu então completou, agora sério, com uma fala que nunca mais esqueci: "Pereira, o que acontece se você tentar guardar água no bolso?"- Ele ficou por um momento em silêncio, mas respondeu: "Ela molha seu bolso. Se você tentar fechar a mão pra não deixar a agua sair, ela escapa entre os dedos." - Ele fez uma pausa e disse: "Lembra! A melhor forma para manter a água, é deixar a mão aberta."
Parecia tão óbvio deixar a agua na palma da mão com ela aberta, mas dentro daquele contexto me sentia ouvindo algo único.

Si Fu then added, now seriously, with a line I never forgot: "Pereira, what happens if you try to keep water in your pocket?" - I remained silent and he answered: "It will make your pocket all wet". - Then he continued: "If you try to close your hand so as not to let the water out, it escapes between your fingers. "- He paused and said:" Remember! The best way to keep water is to keep your hand open. "
It seemed so obvious to leave the water in the open palm, but within that context I felt myself hearing something unique.

(Com Si Fu, Julia and Jade no Restaurante Passione em 2013)
(With Si Fu, Julia and Jade at Passione Restaurant in 2013)


Si Fu ainda me falaria nos anos seguintes sobre as pessoas terem uma falsa ilusão de controle. E pensando agora no que ele me disse em 2011, muito do que nos acomete vem do fato de acharmos que as coisas são pra sempre, que elas se manterão da mesma forma e que ao tentarmos não sofrer, acabamos sofrendo.
Sendo assim, ter "Pouca vontade"["Siu Nim Tau"(小念頭)] se faz fundamental.

Si Fu would still tell me in the next few years about people having a false illusion of control. And now thinking about what he said to me in 2011, much of what comes to us comes from the fact that we think things are forever, that they will stay the same and that when we try not to suffer, we end up suffering.
Therefore, having "Little desire" ["Siu Nim Tau" (小 念頭)] is essential.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com