Apoie o Blog!

terça-feira, 2 de abril de 2019

A LIFETIME CHI SAU: SI FU´S SECRET FOR CHI SAU.

Imagine a música "Who wants to live forever" do Queen tocando agora... Um dia frio, porém com os fortes raios de sol... Um caminho beirando um rio de águas límpidas com um chão de pedrinhas. À sua esquerda, muito verde: grama cortada, árvores frondosas e pessoas passando como se nada mais existisse no mundo... Essa era a cena à beira do Rio Limmat na Suiça naquela Terça de Março de 2019. (FOTO)
Vez ou outra meus olhos marejavam... Nunca me imaginei numa paisagem tão incrível quanto aquela. E de fato era emocionante... Então Si Fu parou, sentou-se num banco daqueles de praça diante ao incomparável Rio que corta a cidade de Zurich e disse: "Vamos fazer um pouco de Chi Sau".

Imagine the song "Who wants to live forever" by Queen playing now ... A cold day, but with the strong rays of the sun ... A path bordering a river of clear waters with a floor of pebbles. To its left, very green: cut grass, leafy trees and people passing by as if nothing else existed in the world ... This was the scene on the edge of the Limmat River in Switzerland on that Tuesday, March 2019. (PHOTO)
Occasionally my eyes were full of tears ... I never imagined myself in a landscape as incredible as that. And indeed it was exciting ... So Si Fu stopped, sat on a bench  in front of the incomparable River that cuts the city of Zurich and said: "Let's do some Chi Sau."
"...A Linha Central, na realidade é o conjunto de duas linhas perpendiculares , uma na vertical que divide o plano frontal do corpo ao meio e outro na horizontal que sai da altura do peito para a frente, indo até o alcance máximo do braço. Desta forma , temos mais do que apenas duas linhas, passamo a ter um plano e é justamente este plano que servirá de referência para todos os movimentos do praticante de Ving Tsun..." (Trecho do livro de autoria de Mestre Senior Julio Camacho , "Ving Tsun , A arte da simplicidade", 1999) 
Vulgarmente conhecido como "Chi Sau", é o componente associado do Sistema Ving Tsun mais conhecido, e muitas vezes mal interpretado. Uma de suas funções é trazer à consciência do praticante, a possibilidade de ocupação do que chamamos de "Linha Central" . Conceito que meu Si Fu descreve em trecho do seu livro acima.

"... The Central Line, is actually a set of two perpendicular lines, one vertical that divides the frontal plane of the body in half and another horizontally out from chest height to the front, going up to the maximum range of arm. Thus, we have more than just two lines, we spend to have a plan and it is precisely this plan will serve as a reference for all movements of Ving Tsun practitioner ... "( Excerpt from the book by Senior Master Julio Camacho, "Ving Tsun, the art of simplicity"-Brazil, 1999)
Commonly known as "Chi Sau". It  is the associated component from the Ving Tsun System wich is best known and often misunderstood. One of its functions is to bring the practitioner awareness of the possibility of occupation of what we call "Centerline". Concept my Si Fu describes in his book excerpt above.



Poxa, eu queria que todos em algum momento pudessem sentir o que sentia naquele momento... Ou quem sabe, algo que seja tão marcante para cada um de vocês!
As pessoas passavam e olhavam sem entender bem, e isso me deixou um pouco tímido. Além disso, precisava me concentrar para não "enrijecer" o Chi Sau e deixá-lo "Brigado". Precisava prestar atenção ao Claudio para fazer isso, mas também tinha todo o sentimento por estar ali, naquele lugar, naquele momento...

Wow, I wanted everyone at some point to feel what I felt at that moment ... Or who knows, something that is so remarkable for each one of you!
People passed by and looked at me without understanding, and that made me a bit shy. Besides, I had to concentrate so I would let my Chi Sau with brute force. I had to pay attention to Claudio to do this, but I also had the feeling that I was there, in that place, at that moment ...
Tudo começou dois dias antes, ainda no quarto do flat em Oeiras(FOTO), freguesia de Lisboa, naquela tarde de Domingo quando precisamos reajustar nossa agenda em função de termos precisado comprar uma nova passagem de avião para meu irmão Kung Fu e acertar as coisas com o até então misterioso hotel em Varsóvia.
Quando comecei lá atrás, sempre que Si Fu tocava em mim para fazer alguma demonstração, mas principalmente para me explicar qualquer coisa, pensava: "O braço dele é meio gordinho." - Aquele braço "goridnho" do Si Fu, tinha algumas características engraçadas: Ele fazia você acreditar que estava leve, de repente, enchia com uma energia precisa e assertiva. E  ele ia variando essas informações e de repente você estava na mão dele...

It all started two days earlier, still in the room of the flat in Oeiras (FOTO), a district of Lisbon, that Sunday afternoon when we need to readjust our schedule because we had to buy a new plane ticket for my brother Kung Fu and get things right with the then mysterious hotel in Warsaw.
When I started my practice back there in the end of the 90´s, whenever Si Fu touched me to do some demonstration, but mainly to explain anything, I thought, "His arm is kind of chubby."- Si Fu's  arm had some funny features:He would make you believe his arms were light, suddenly filled with a precise and assertive energy. And he was varying this information and suddenly you were in his hand ...
Dezenove anos depois do meu primeiro Chi Sau, lá estavamos nós dois naquele quarto em Portugal. Si Fu estava completamente relaxado, eu por outro lado, tensionava, mesmo sem querer... E aí era quando Si Fu ocupava de fato o meio. Parecia que eu estava aprendendo Chi Sau naquele dia... Os mesmos braços gordinhos, a mesma energia que "não dá pra pegar"...

No Capítulo 5 de "Sun Zi" (ou Sun Tzu) encontramos o trecho:  " ...A capacidade de por em movimento o adversário , para manipulá-lo , consiste em conferir à situação uma "configuração" tal que o inimigo seja depois obrigado a segui-la. Para que ele siga, é preciso que veja de fato nisso uma vantagem, e é esta vantagem que lhe armo, aparentemente em meu detrenimento, mas o que conta, em realidade, é que ele segue, tornando-se dependente..."

Nineteen years after my first Chi Sau, we were both in that room in Portugal. Si Fu was completely relaxed, I on the other hand, I was tense, even unintentionally ... And that was when Si Fu actually occupied the middle. It seemed that I was learning Chi Sau that day ... The same arms, the same energy  ...

In Chapter 5 of "Sun Zi" (or Sun Tzu) we find the passage: "... The ability to set  the opponentin motion, to manipulate him, is to give the situation a" Configuration "such that the enemy is after obliged to follow it. for him to follow, he needs to see in fact it as an advantage, and it is this advantage that whe made for him, apparently trough our loss, but what counts, in fact, it is that he follows, becoming dependent..."



Talvez pelo momento, talvez pelo contexto, talvez pelo momento intimista... Si Fu levantou-se e demonstrou em nós, explicando o que vinha fazendo conosco desde cedo, sobre o segredo de seu Chi Sau...

Maybe for the moment, perhaps for the context, perhaps for the intimate moment ... Si Fu stood up and demonstrated in us, explaining what he had been doing with us since early, about the secret of his Chi Sau ...

Existe uma lenda no Clã Moy Jo Lei Ou, de que para ser um Mestre, é preciso pintar um Mo Gun oito vezes. As obras de um Mo Gun são grandes eventos em que a Família toda participa, se propondo a fazer coisas que nunca fizeram. E os Mo Gun, tem a cara do Líder da Família que ali está alocada...
Os Mo Gun de Si Fu no início, tinham muito mais coisas penduradas e à mostra, como vemos nessa foto logo depois de ter sido titulado em 2003. Conforme os anos foram passando...

There is a legend in the Moy Jo Lei Ou Clan, that to be a Master, one must paint a Mo Gun eight times. The works of a Mo Gun are great events in which the whole Family participates, proposing to do things they have never done. And the Mo Gun, looks like the Family Leader who is there ...
Si Fu's Mo Gun at the beginning, had many more things hanging and on display, as we see in this photo shortly after having been titled in 2003. As the years went by ...
Si Fu desenvolveu uma habilidade muito grande de preencher espaços de forma sutil e refinada, como vemos nessa foto de Janeiro de 2018 no Mo Gun atual da Família Moy Jo Lei Ou.
Por isso, por muitas vezes Si Fu me disse: "Você tem tendência a acumular coisas. Você precisa aprender a preencher com o vazio."

Si Fu has developed a very large ability to fill spaces in a subtle and refined way, as we see in this photo of January 2018 in the current Mo Gun of the Moy Jo Lei Ou Family.
So often Si Fu tells me:"You have a tendency to accumulate things. You have to learn to fill with emptiness."
Percebi então que é esse mesmo preenchimento com o vazio, que Si Fu usa em todos os aspectos de sua liderança: Quando ele se retira por tempo suficiente da Direção do Núcleo Barra desde 2012 de forma com que novas lideranças possam surgir como: Guilherme de Farias, Thiago Silva, Carlos Antunes, André Guerra, Iuri e Clayton e por fim, Andre e Guuilherme novamente. Isso também é preencher com o vazio. É não tentar forçar, manipular, arquitetar... É aderir, apoiar e só depois propor..

I realized then that it is this same fill with the emptiness that Si Fu uses in all aspects of his leadership: When he move out long ago from the Direction of the Barra School since 2012 so that new leadership can emerge as: Guilherme de Farias , Thiago Silva, Carlos Antunes, André Guerra, Iuri and Clayton and, finally, Andre and Guilherme again. This is also filling with emptiness. It is not trying to force, manipulate, architect ... Is to join, support and only then propose ..
Em Luxemburgo,alguns dias depois, numa manhã fria e com muito vento pelas ruas desertas da capital do último Ducado do planeta. Praticamos Chi Sau na rua mais uma vez. Dentro de mim, ainda que muitas pessoas parassem, batessem fotos, filmassem e comentassem, já conseguia apagar a presença de todas elas e não ficava mais tão tímido. Me esforçava para colocar em prática a lição aprendida com Si Fu sobre o seu Chi Sau naquele quarto em Oeiras... Mas era difícil... O próprio ato de buscar fazê-lo, me afastava ainda mais do que queria... Na foto acima por exemplo nas ruas de Luxemburgo, abro a Linha Central e meu irmão Kung fu parte para o ataque.

In Luxembourg, a few days later, on a cold, windy morning through the deserted streets of the capital of the last Duchy of the planet. We practiced Chi Sau on the street one more time. Inside me, although many people stopped, photographed, filmed and commented, I could erase the presence of all of them and I was not so shy anymore. I struggled to put into practice the lesson learned from Si Fu about his Chi Sau in that room in Oeiras ... But it was difficult ... The very act of seeking to do so distanced me even more of what I wanted so much ... In the photo above for example in the streets of Luxembourg, I open the Center Line and my brother Kung fu go for the attack.
A vida parece ter uma poesia escondida em cada momento. Sempre que ouvia "Who wants to live forever" do Queen, pensava: "Ei! A música do Highlander!" - Mas hoje quando a ouço, penso em momentos como essa à beira do Rio Limmat na Suiça. Como diz um trecho da letra: "Não existe tempo para nós, não existe um lugar para nós. O que é essa coisa que constrói nossos sonhos, e ainda assim nos escapa?" - E é exatamente por não termos tempo, que momentos como esses, quando vistos de forma colorida e intensa, se tornam únicos.
E se eu consegui ou não colocar em prática o segredo do Chi Sau de Si Fu... Bem... Isso não importa, o que fica, é o Chi Sau de uma vida: à beira do Rio Limmat, com meu Si Fu e meu irmão Kung Fu.

Life seems to have poetry hidden in every moment. Whenever I used to listen to Queen's "Who wants to live forever", I would thought, "Hey, Highlander's soundtrack!" - But today as I listen to it, I think of times like this on the edge of the Limmat River in Switzerland. As one excerpt says: "There is no time for us, there is no place for us. What is this thing that builds our dreams , and yet slips away from us? " - And it is precisely because we do not have time, that moments like these, when seen in a colorful and intense way, become unique.
And if I succeeded or failed to put into practice the secret of Si Fu's Chi Sau ... Well ... It does not matter, what remains, is the Chi Sau of a lifetime: on the edge of the Limmat River, with my Si Fu and my Kung Fu brother.

THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com