Apoie o Blog!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Si Gung's epic speech (Birthday Celebration 2017)

(Si Gung com sua Família no momento de seu discurso de aniverário)
(Si Gung and his family during his speech)

Estivemos no último dia 18 de Março em São Paulo , para a celebração do aniversário de Grão-mestre Leo Imamura, meu Si Gung.  Seu aniversário sempre foi uma data que serviu , dentre tantas coisas, para reunir à sua volta figuras de várias épocas. Porém , nessa celebração que ocorreu no Restaurante China Garden no bairro da Aclimação.  A organização, liderada mais uma vez pela Si Suk Ming Abreu,  fez algo incrível: Conseguir trazer praticantes desde os anos 80, até parentes do próprio Si Gung que tiveram papel fundamental em sua história para que chegasse onde chegou.
Cada Família Kung Fu ou praticante que se dirigiu para aquela noite de festa, viveram seus próprios processos pelo caminho até o China Garden. E assim também aconteceu com a delegação do Clã Moy Jo Lei Ou composta por: Si Fu, eu, minha esposa Vanessa , Claudio Teixeira, André Almeida e Iuri Alvarenga.
Eu poderia falar muita coisa a respeito desses momentos com meu Si Fu e a minha Família Kung Fu como sempre faço mas desta vez,  deixarei que esses momentos apareçam como fragmentos em postagens vindouras para que eu possa focar no momento mais emblemático desta viagem para mim: O discurso de Si Taai e do Si Gung. 

Como geralmente é feito, pessoas de representatividade no Grande Clã Moy Yat Sang , pegam o microfone e falam algumas palavras sobre o aniversariante , e desta vez não tinha sido diferente. Porém, quando Si Taai Vanise Imamura começou a falar, dentre o que me lembro de ter escutado, ela comentou sobre a admiração que sente pela energia de Si Gung que se mantém por 25 anos todos os dias: “...As vezes ele aparece animado e diz: Pensei em algo novo para o Programa!” – Disse Si Taai.  Ouvindo aquilo, me fez refletir um pouco sobre como levo a vida as vezes. Si Fu costuma chamar a minha atenção ao meu excesso de precaução que as vezes acaba por se tornar um olhar pessimista a respeito da vida. O que para mim é sempre um choque me ver como alguém pessimista.
Na sequência, Si Gung pegou o microfone, não lembro bem do que ele falou por inteiro, porque apenas duas partes me tocaram mais profundamente: A primeira, foi quando ele falou sobre seus filhos e no meio disso comentou: “...Outro dia estava conversando com meus filhos e percebi que eu não tenho amigos de infância...” -  Si Gung riu de sua própria fala, e o salão o acompanhou, menos eu. Refleti mais uma vez sobre minha própria vida: “Cara, onde estão meus amigos de infância também?” – Pensei.  Na verdade, pensei sobre a última vez em que estive tranquilo com um amigo de infância sem hora marcada, sem correria... Não consegui lembrar. 

Entendo das falas de meu Si Fu algo como: “ A Vida Kung Fu está dentro da vida”.  – Para se viver a “Vida Kung Fu” do jeito que vivemos, é importante estar dentro do “Mo Lam”. O “Mo Lam” , a “Floresta Marcial” , ou segundo a tradução das legendas da NETFLIX em “O Tigre e o Dragão 2” : “Mundo Marcial”. Este “Mo Lam” é uma sociedade imanente da própria sociedade, com suas próprias regras.  Por vezes me percebi imerso demasiadamente no “Mo Lam”. Si Fu falaria em algumas oportunidades sobre a necessidade de um ”Si Fu” ter uma vida rica para que se possa proporcionar diferentes tipos de experiência para um To Dai. 
Estava pensando em tudo isso, quando fui trazido de volta pela fala seguinte do Si Gung: “... Mas eu fiz grandes amigos dentro das artes marciais.”  - Eu nesse momento me senti feliz, pois me identifiquei com isso.  Pois mais do que amigos, encontrei verdadeiros irmãos.

Porém, em algum momento de seu discurso, Si Gung falou a segunda coisa mais emblemática para mim em toda aquela viagem: Um comentário sobre a fala da Si Taai:  “ Nem sempre eu acordo desse jeito que ela falou, porque da mesma forma, são 25 anos começando do zero todo mês. Todo o mês é necessário começar do zero, e como vocês sabem, eu tenho dois filhos, uma esposa, uma família para cuidar...” 
Sabe, eu acompanho meu Si Fu por 18 anos, e por uma grande parte desse período acompanhei altos e baixos de seus Mo Gun. Da mesma forma, presenciei sua tranquilidade para lidar com essas adversidades, com esses constantes "sobe e desce" de quem é profissional de artes marciais. 
Certa vez, subindo a pé a rua Venceslau com Si Gung após uma visita sua ao Méier, ao me ouvir falar que as coisas não iam bem teria dito: "...A habilidade do Mestre está em antever essas mudanças de ciclo para não ser pego de surpresa..." - Si Gung citou "Os quatro canônes do Imperador Amarelo" para que eu pudesse entender melhor esse conceito. Já em outra oportunidade, em meu aniversário de 2016, Si Fu disse para Si Suk Ursula: "... As vezes o Thiago comenta: 'Si Fu, estava lembrando outro dia de um momento em que o Mo Gun estava mal(financeiramente)... Eu me pergunto.." - Disse ele rindo para Si Suk Ursula - "... Quando não esteve?... " - Ele refletiu e concluiu em tom mais sóbrio: "... Talvez essa característica já seja parte do próprio negócio..."
André Almeida, Diretor do Núcleo Barra da Tijuca da Gestão Integrada do Clã Moy Jo Lei Ou, certa vez sentado a minha frente me disse algo como: "Si Hing, eu nunca vou abrir um Mo Gun sem ter um outro trabalho." - André me ajudava na administração do Méier na parte financeira. Procurei acalmá-lo. Vivíamos nosso momento mais difícil, e não queria que ele entendesse aquele momento em nossa história, como uma constante. 
Sentado ali, tendo ouvido aquilo de Si Gung, mesmo tendo passado por essas e muitas outras histórias sobre o dia-a-dia da administração de um Mo Gun. Ainda assim me tocou profundamente. Si Gung , assim como Si Fu, nunca deixou vazar nenhuma frustração ou desequilíbrio em momentos adversos. Ouvir de alguém , que está na extremidade oposta de sua carreira , algo tão comum a você , de forma tão franca, é algo que pode emocionar.
Em 2002 , escrevi uma carta para Si Fu em uma folha de caderno que terminava com a frase: "Obrigado por me deixar viver nesse mundo de espíritos indomáveis" . - Me lembrei dessa linha naquele momento. Hoje, me sinto feliz , por ser capaz de viver de verdade no Mo Lam. Pois, ainda que saiba que essa floresta marcial é muito mais profunda do que já adentrei. Já me vejo como parte do grupo das pessoas que conseguem recomeçar do zero... Todos os meses, todas as semanas, todos os dias, em todos os momentos... E isso meu amigo... Não tem preço.

We were on the 18th of March in São Paulo, for a celebration of the birthday of Grand Master Leo Imamura, my Si Gung. His birthday was always a moment that served, among many things, to gather around him figures from various eras. However, in this celebration that took place in the  China Garden Restaurant in the neighborhood of Aclimação (read as "Aclimasaum"). An organization, once again led by Si Suk Ming Abreu did something incredible: To bring in practitioners since the 80s, to Si Gung's own relatives who played a key role in his story to get where he arrived.
Each Kung Fu Family or practitioner who went to that party night, lived their own processes on their way to the restaurant. And so it also happened with a delegation of Clan Moy Jo Lei Ou composed by: Si Fu, me, my wife Vanessa, Claudio Teixeira, André Almeida and Iuri Alvarenga.
I could say a lot about great things that hapnned . But I will let it for a next day ... Today I wanto to say about just one single moment....

As it isusually done,Grand Clan Moy Yat Sang's remarkable people pick up the microphone and say a few words about Si Gung, and this time it had been no different. But when  Si Taai Vanise Imamura began to speak, from what I remember hearing, she commented on her admiration for the energy of Si Gung that has been going on for 25 years every day: .She  said she usually say things like:" I thought of something new for the program! "-  Hearing that, made me reflect a little on how I lead my own life . Si Fu usually draws my attention to my over precaution that as time turns out to become a pessimistic look to life. Which for me is always a shock to see me as someone pessimistic.
Then Si Gung picked up the microphone, I can not remember what he said entirelly, because only two parts touched me more deeply: The first, when he talked about his children and in the middle of it commented: "... Another day I was talking With my children and I realized that I do not have childhood friends ... "- Si Gung laughed at his own speech, and the present people accompanied him, except me. I was again thinking about my own life: "Dude, where are my childhood friends too?" - I thought. In fact, I thought about one last time I was relaxed with a childhood friend without an appointment, not running ... I could not remember.

I understand the words from my Si Fu as: "A Kung Fu Life is within the life". - To live the "Kung Fu Life", it is important to be inside the "Mo Lam". The "Mo Lam", a "Martial Forest". This "Mo Lam" is an immanent society inside the general society. With its own rules. Sometimes I found myself immersed too much in "Mo Lam". Si Fu talked to me in some opportunities about a need for a "Si Fu" to have a rich life so that he can provide different kinds of experience for his To Dai.
I was thinking about all this, when I was brought back to the following message from Si Gung: "... But I made great friends within the martial arts." - I felt myself  happy in hearing that , because I identified with it. For more than friends, I found true brothers.

But at some point in his speech, "You can not say that was always exciting to me in during all those 25 years. Im always starting from zero every month.Every month you need to start from zero, and as you know, I have Two kids, a wife, a family to take care of ... "
You know, I've been following my Si Fu for 18 years, and for a large part of this period I've followed ups and downs of his Mo Gun. In the same way, I witnessed his tranquility to deal with the adversities, with the constant "ups and downs" of who is professional of martial arts.
Once, walking up the a street with Si Gung after a visit of his to Meier School, he said to me: "... The ability of the Master is in anticipating changes of the cycles to not be caught by surprise ... "- Si Gung after that , quoted" The Four Cannons of the Yellow Emperor "so that I could better understand this concept. On another occasion, on my birthday in 2016, Si Fu said to Si Suk Ursula:" ... Sometimes Thiago comments: 'Si Fu, I was remembering another day when the Mo Gun was bad (financially ) ...'  I wonder ... "- Said Si Fu laughing with Si Suk Ursula -" ... when was the time Mo Gun was not ... "- He reflected and concluded in a more sober tone:" maybe it is the nature of this business ... "
André Almeida, Director of the Barra da Tijuca School from the  Integrated Management of the Clan Moy Jo Lei Ou, once sitting in front of me said something like: "Si Hing, I'll never open a Mo Gun without having another job." - André used to help me in Méier School's administration on the financial area. I tried to calm him down. We were living our most difficult moment, and did not want him to understand  a single moment in our history as a constant.
Sitting there, having heard from Si Gung, even though I had gone through these and many other stories about the day-to-day running of a Mo Gun administration. Yet it touched me deeply. Si Gung, like Si Fu, never shown any frustration or imbalance in adverse moments. Listening to someone, who is at the opposite end of the journey, something so common to you, so frankly, is something that can thrill.
In 2002, I wrote a letter to Si Fu on a notebook paper that ended with the phrase: "Thank you for letting me live in this world of untamed spirits." . I remembered that line at that moment. Today, I am happy to be able to live in Mo Lam for real. Well, even though I know that this martial forest is much deeper than I have already entered. I already see myself as part of the group of people who can start over from zero ... Every month, every week, every day, at all times ... And that my friend ... It´s Priceless.


The Disciple of Master Julio Camacho 
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com




sábado, 25 de março de 2017

GRANDMASTER LEE MOY SHAN IN RIO!


Tivemos a oportunidade de receber a visitar do Grão-Mestre Lee Moy Shan no Rio de Janeiro, graças ao seu contato com meu Mestre Julio Camacho a respeito da passagem de seu cruzeiro de navio pelo Rio de Janeiro. 
A ideia inicial, era apenas um encontro com meu Mestre, este porém, vem nos falando insistentemente sobre quando uma situação se apresentar, buscarmos aderir a ela, nos apoiar em seu potencial e propor algo que traga ainda mais benefício. Desta forma, meu Mestre articulou junto de Si Gung , da Si Suk Ursula e do próprio Grão-Mestre Lee Moy Shan , uma visita ao Núcleo Copacabana, onde acontecia uma Cerimônia da Família Moy Lin Mah.... E assim, pude viver um Domingo de aprendizado...

We had an opportunity to receive the visit of Grand Master Lee Moy Shan in Rio de Janeiro, thanks to his contact with my Master Julio Camacho regarding the passage of his ship cruise through Rio de Janeiro.
The initial idea was just an meeting with my Master, but Si Fu has been telling us insistently about when a situation is shown, one must seek to adhere to it, supporting on the potential and proposing something that brings even more benefit. In this way, my Master articulated with Grand Master Lee Moy Shan, a visit to the Copacabana School, where the Moy Lin Mah Family Ceremony took place .... And so I was able to live a learning Sunday ...


A Visita de Grão-mestre Lee Moy Shan: 
Uma história em 3 partes.

The Visit of Grand Master Lee Moy Shan:
A story in 3 parts.


Você pode me chamar de saudosista, mas ainda posso lembrar com carinho de acordar nas manhãs de Domingo na casa do meu avô (foto)com a música "Luzeiro" do Almir Sater tocando na TV.  Ainda sonolento, me revirava e podia enxergar meu avô se preparando na cozinha para sair. Todo o Domingo era o mesmo ritual: Ele colocava sua melhor roupa, sempre perdia um objeto e demorava a encontrar, colocava seu boné do Mighty Ducks , bebia "um dedo" de café e saia com sua bicicleta para feira. Voltava, almoçava o que tinha comprado, bebia mais um golé de café e ia para cozinha fazer pastéis ou biscoitos de polvilho...  

You can call me nostalgic, but I can still remember lovingly waking up on Sunday mornings at my grandfather's house (photo) with the beautiful song "Luzeiro" by Almir Sater playing on TV. Still sleepy, I would turn and could see my grandfather in the kitchen ready to leave. Every Sunday was the same ritual: He would put on his best clothes, always lose an object and loose some time to find it, put on his Mighty Ducks cap, drank a "finger" of coffee, and leave with his bicycle to the fair. He would come back, eat what he had bought, drank another cup of coffee, and go to the kitchen to make pastry or biscuits with sprinkles ...
(Com Si Fu aguardando o Si Baak Gung no porto) 
(With Si Fu waiting for  Si Baak Gung in the port)

Si Fu(foto)  anos depois me falaria algo respeito de como funciona um evento no Mo Lam. Eu consigo me lembrar apenas de fragmentos: "...O evento em si, é apenas uma justificativa para o que o antecede e o que vem depois... A sintonia com o evento acontece bem antes..." - Pensando em meu avô, percebo que sua ida a feira começava bem antes de estar lá de fato, e se perdurava depois da volta...
Naquela manhã de Domingo quando entrei no carro do meu To Dai Keith Markus, sabia que aquele evento havia começado bem antes para mim...

Si Fu (photo) years later would tell me something about how an event at Mo Lam works. I can only remember fragments: "... The event itself is only a justification for what precedes it and what comes next Then ... The tune with the event happens before it ... "- Thinking of my grandfather, I realize that when he used to go to the fair on Sundays , began before he actually was there, and would last after his return ...
That Sunday morning when I got into the car with my To Dai Keith Markus, I knew that that event had started long before for me ...


Depois de pegarmos Si Baak Gung no porto junto de sua esposa. Levamos os dois até o Núcleo Copacabana(foto). A Cerimônia já estava acontecendo, e ao entrar foi bom poder ver rostos conhecidos que não via a muito tempo e outros rostos conhecidos , os dos meus To Dai, que havia visto horas antes no Sábado..rs Naquele momento , enquanto os cumprimentava rapidamente, houve tempo de me pegar pensando em mim mesmo: Quantas e quantas vezes, amigos ou parentes não entendiam o que eu ia fazer Domingo de manhã todo arrumado ? - "Vou a uma Cerimônia!" - Eu dizia, mas isso só piorava seu entendimento.. De toda forma, me tocou observar que essa disponibilidade para acompanhar o Si Fu , está sendo passada adiante.
Porém, não foi apenas isso que me tocou quando chegamos, com a casa cheia, pude ver Si Baak Gung se emocionar ao ver o Mo Gu e principalmente a foto de seu Si Fu, Si Taai Gung Moy Yat. Fizemos uma reverência junto dele à foto. Me peguei pensando em meu próprio Si Fu naquele momento...

After we got Si Baak Gung in the port with his wife. We took them both to the Copacabana school (photo above). The Ceremony was already happening, and upon entering it was nice to be able to see familiar faces that I had not seen for a long time and other familiar faces, those of my To Dai, whom I had seen hours before on Saturday .. At that moment, as I greeted them quickly, There was time to find myself thinking about myself: How many times, friends or relatives did not understand what I was going to do during events on Sunday mornings with Kung Fu Family? - "I'm going to a Ceremony!" - I would say, but this only worsened their understanding .. Anyway, it was my turn to note that this willingness to follow Si Fu is being passed on.
However, it was not only this that touched me when we arrived, with the house full, I could see Si Baak Gung being moved to see the Mo Gu and especially the photo of his Si Fu, Si Taai Gung Moy Yat. We bowed next to him to the photo. I caught myself thinking of my own Si Fu at that moment ...

(Com Si Fu e sua filha mais nova em uma antiga residência em 2008)
(With Si Fu and Julia at one of his former houses n 2008)

Em breve teremos uma distância entre nós que jamais existiu .São 18 anos de convivência que precisarão se adaptar a uma nova realidade que já está se configurando. Apesar disso, me sinto razoavelmente satisfeito com a relação que construímos. E ao ver Si Baak Gung se emocionando naquele momento, refleti sobre o quanto é importante aproveitar esses momentos. Eles passam rápido, como agora, 18 anos anos se passaram num piscar de olhos, e precisarei me adaptar.

Soon we will have a distance between us that never existed.  18 years of relationship that will need to adapt to a new reality that is already being configured. Despite this, I feel fairly satisfied with the relationship we have built. And seeing Si Baak Gung getting emotional at that moment, I reflected on how important it is to take advantage of those moments. They pass quickly, as now, 18 years have passed in the blink of an eye, and I will need to adapt.
 O Grão-Mestre sentou-se e eu fui conduzido até o meu lugar. Havia sido convidado como "convidado de honra". Eu por alguns momentos fiquei olhando ao meu redor, e realmente o Núcleo Copacabana(foto) é uma fonte de inspiração enquanto Mo Gun para todos nós com um espaço separado por cômodos pensados pelos Líderes da Família Moy Lin Mah, que permite uma ambiência muito agradável.
Para mim em particular, esta visita serviu para repensar todo o meu planejamento em relação a mudança de imóvel do Mo Gun do Méier. Percebi como a Família Moy Lin Mah soube se adaptar tão bem ao que o bairro de Copacabana oferecia, e pensei melhor sobre a natureza do Méier. Talvez estivesse enxergando o Méier como Barra, e com isso, não estava vendo "O todo"... Foi uma grande lição.

The Grand Master sat down and I was led to my place. The Moy Lin Mah Family had been invited me as a guest of honor. I have been looking around for a few moments, and the really is that the Copacabana School (photo) is a source of inspiration as a "Mo Gun"(School) for all of us with a space separated by rooms thought by the Leaders of the Moy Lin Mah Family, which allows a very pleasant ambience .
For me in particular, this visit served to rethink all my planning regarding the relocation of the Meier School. I realized how the Moy Lin Mah Family was able to adapt so well to what the Copacabana neighborhood offered, and I thought better of the nature of Méier neighborhood. Maybe I was seeing Méier as Barra neighborhood, and with that, I was not seeing "The Whole" ... It was a great lesson.
Grão-Mestre Lee Moy Shan (foto) é uma pessoa maravilhosa. Seu carisma assim que pegou o microfone, tomou a atenção de todos rapidamente: "Vocês são muito sérios, vamos juntar mais perto!" - Disse ele em tom descontraído.
Com a tradução da To Dai Inez Viegas e da discípula Angela Carvalho , ambas da Família Moy Lin Mah, acompanhei com muita empolgação as palavras do Si baak Gung a respeito do Siu Nim Tau e dos Kuen Kuit.
Meu To Dai Renato Madeira, em seu Blog bilíngue "Discovering Ving Tsun", cita uma passagem sobre esse momento: " ...Ele contou que seu Si Fu, o Patriarca Moy Yat (1938 - 2001), falava que o Yat Ji Jung Choei (日字中拳) é um soco que vem do coração. O Grão-mestre disse que, inicialmente, entendeu que aquilo estava associado ao fato desse soco partir do centro do peito. Somente com o passar do tempo, ele compreendeu que, na verdade, aquela afirmação não se referia à forma de execução do soco, mas à vontade e energia de quem o está executando, ou seja, você deve desferir o soco com todo o seu coração. Ele acrescentou, ainda, que essa mesma postura deve ser adotada em tudo que você faz no seu cotidiano. Desde a relação com seus familiares, até sua atuação profissional, tudo deve ser feito de coração..."

Grand Master Lee Moy Shan (photo above) is a wonderful person. His charisma as he picked up the microphone, caught everyone's attention quickly: "You guys are very serious, let's get closer!" -  He said in a casual tone.
With the translation by the To Dai Inez Viegas and the disciple Angela Carvalho, both from the Moy Lin Mah Family, I followed with great excitement the words of the Si baak Gung regarding Siu Nim Tau and Kuen Kuit.
My To Dai Renato Madeira, in his bilingual Blog "Discovering Ving Tsun", cites a passage about this moment: "... He said that his Si Fu, Patriarch Moy Yat (1938 - 2001), said that the Yat Ji Jung Choei (日 字 中 拳) is a punch that comes from the heart. The Grand Master said that, initially, he understood that this was associated with the fact that this punch comes from the center of the chest. Only with the passing of time he realized that, in fact, that statement did not refer to the execution of the punch, but to the will and energy of whoever is executing it, that is, you must strike the punch with all your heart . He added that this same attitude must be adopted in everything you do in your daily life. From the relationship with your family, to your professional activity, everything must be done with heart. ... "

(Aqui recebo um afetuoso abraço do Si Baak Gung Lee Moy Shan)
(A warm hug of Si Baak Gung in me.)

Suas palavras me tocaram profundamente, porém, tão importante quanto, foi poder observar como um Grão-Mestre se portava, um Si Hing do meu Si Gung. Ele pôde cativar a todos , inclusive a mim, variando de temas profundos e falas descontraídas como quando explicou sobre como se usar "Hau Ma" com a esposa.rs E foi muito bom ver a generosidade com a qual compartilhou muito mais do que precisava conosco.

His words touched me deeply, but as important as it was to be able to observe how a Grand Master behaved, a Si Hing from my Si Gung,  was able to captivate everyone, including me, ranging from deep themes and relaxed speeches such as when he explained how to use "Hau Ma" with one´s wife. And it was great to see the generosity with which he shared much more than he needed with us .
Sua esposa(foto), também me chamou a atenção por todo o carinho com que recebia os cumprimentos de todos e por estar sintonizada com tudo que seu marido(foto) dizia. Mostrando que além de casados, ela realmente o conhece.
Si Baak Gung dedicou um tempo para agradecer aos líderes da Família Moy Lin Mah por recebê-lo e ao meu Si Fu.
Acompanhamos o casal até o porto onde nos despedimos. E me senti muito lisonjeado por ele me conhecer através do Blog : "Quando você escreve, você coloca o coração lá". -  Me tocou saber disso por se tratar de alguém que já trabalhava com Kung Fu quando meus pais ainda estavam se conhecendo.

His wife (photo above), also called my attention for all the affection with which she received the greetings from everyone and for being in tune with everything that his husband said. Showing that besides being married, she really knows him.
Si Baak Gung took time to thank the leaders of the Moy Lin Mah Family for welcoming him and also to my Si Fu.
We accompanied the couple to the port where we said goodbye. And I was very flattered that he knew me through this Blog: "When you write, you put your heart there." - He said. It touched me a lot because he is someone who was already working with Kung Fu when my parents were still getting to know each other.


(O carismático Si Baak Gung Lee Moy Shan )
(The charismatic Si Baak Gung Lee Moy Shan)

Sem dúvidas, um Domingo especial.

A very special Sunday...


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quinta-feira, 23 de março de 2017

Moy Yat Sang Clan´s Chinese New Year 2017 celebration

(Si Fu acende o incenso para reverenciar os ancestrais do Ving Tsun na abertura do ano do Galo). 
(Si Fu lit the incense to revere the ancestors of Ving Tsun at the opening of the year of the Rooster)

Havíamos feito uma longa viagem de ônibus até São Paulo, gastamos um bom tempo esperando um UBER, fizemos o Check in no Hotel após tomarmos café da manhã lá mesmo. E após algumas tentativas de passar nossas roupas super amassadas  e a do Si Fu, pegamos outro Uber até a "Casa dos Discípulos" no Brooklyn paulista.
Para Clayton e André era a primeira vez que adentravam o local, para mim, estava sendo bom retornar com Si Fu depois de tantas viagens e aventuras juntos que passaram por ali.

We had a long bus ride to São Paulo State, spent a lot of time waiting for a UBER, checked in at the Hotel after a breakfast there. And then a few attempts to iront the overdressed clothes, we took another Uber to the "House of Disciples" in Brooklyn.
For Clayton and Andre it was the first time they entered the place, for me it was being a good return with Si Fu. After  so many trips and adventures that we passed by there together.
(Si Gung prepara a mesa ancestral) 
(Si Gung prepares the ancestral table)


O chamado "Ano Novo Chinês" , é celebrado pelo nosso Grande Clã Moy Yat Sang sempre começando pela reverência aos ancestrais após alguns dias de cuidado com o Mo Gun e com a própria mesa ancestral.Pois uma das ideias por detrás desse rito, é que possamos encerrar pendências de forma a começar o novo ciclo apoiando-se em sua natureza de renovação.

The so-called "Chinese New Year" is celebrated by our Grand Clan Moy Yat Sang always beginning with reverence for the ancestors after a few days of caution with the Mo Gun and with the own ancestral table.For one of the ideas behind this rite is that We can close pending issues in order to begin the new cycle by relying on its renewal nature.
Si Gung , enquanto Líder do Grande Clã , é o primeiro a reverenciar aos ancestrais. Então, do mais antigo para o mais novo depois dele fazem o mesmo. Se torna importante entender a preservação do legado e da memória daqueles que trouxeram o Ving Tsun até nós apesar de inúmeras adversidades .
Na foto, vemos Si Fu fazendo a reverência.

Si Gung, as Leader of the Great Clan, is the first to revere the ancestors. Then, from the oldest to the youngest after him do the same. It becomes important to understand the preservation of the legacy and memory of those who brought the Ving Tsun to us despite innumerable adversities.
In the photo, we see Si Fu bowing.

(Num momento de felicidade durante o brinde)
(During the toast I pose to the photographer)

Mais tarde naquele mesmo dia, nos reunimos no melhor restaurante de comida cantonesa do Brasil na Aclimação , chamado "China Garden" nas palavras do próprio Si Gung em mensagem enviada aos Mestres da MYVTMI: "... A melhor comida cantonesa do Brasil, comida que me lembra  demais meus momentos com o Patriarca Moy Yat..." .

Later that same day, we met at the best Cantonese restaurant in Brazil in the Aclimação (you read "Aclyh-masaum")neighborhood, called "China Garden" in the words of Si Gung himself in a message sent to the Masters of MYVTMI: "... The best Cantonese food in Brazil, food Who reminds me so much of my moments with Patriarch Moy Yat ... ".
O jantar foi organizado principalmente pela Si Suk Ming Abreu , que aparece ao centro na divertida foto acima, que conta ainda com Si Suk Paul Liu, Si Baak Natan ao fundo e eu a direita.

The dinner was mainly organized by Si Suk Ming Abreu, who appears in the middle, in the fun picture above, which still features Si Suk Paul Liu, Si Baak Natan in the background and I the right.
(Si Gung aparece entre sua esposa, Si Taai Vanise Imamura e 
sua mãe, chamada carinhosamente de Dona Eda. )

(Si Gung appears between his wife, Si Taai Vanise Imamura and
His mother, affectionately named Dona Eda. )

Os pratos não só estavam deliciosos, mas toda a arrumação das mesas foi exemplar!Não somente a decoração das mesmas, mas seu posicionamento no salão . Os pratos não vinham todos de uma vez, estavam chegando numa ordem adequada e em um timing apropriado. Foi muito importante chegar ao restaurante para ajudar a Si Suk na arrumação e descobrir que tudo já estava pronto. Graças ao Kung Fu dos garçons e responsáveis.
Si Suk Ming , além de cuidar de toda a logística e da escolha dos pratos e da orientação dos garçons, como também compartilhou com todos algumas orientações sobre a cultura chinesa nesse tipo de evento.

The dishes were not only delicious, but the whole table arrangement was exemplary! Not only the decorations of the tables, but their placement in the hall. The plates did not come all at once, they were coming in a proper order and timing. It was very important to get to the restaurant to help Si Suk in the arrangement of the tables and find that everything was already ready. Thanks to the Kung Fu of the waiters and those in charge.
Si Suk Ming, in addition to taking care of all the logistics and the choice of dishes and the guidance of the waiters, as well as shared with some of us ,Chinese culture guidelines in this type of event.

 (Apesar das inúmeras vezes que esivemos juntos em bons restaurantes , também "tentei matar" Si Fu outras tantas, com comidas nem um pouco saudáveis como nesse lanche com ele e Si Suk Diego no primeiro Núcleo na Barra em 2005)

(Despite the countless times we dinner together in good restaurants, I also "tried to kill" Si Fu as many, with not even healthy foods as in the photo above with him and Si Suk Diego 
in the first Barra School in 2005)

 Em muitas oportunidades em restaurantes com Si Fu, ouvi dele sobre o bom Kung Fu de um garçom ou a falta do mesmo em algum outro. Nestas ocasiões, ele costumava citar o exemplo de um restaurante chinês tradicional que uma Família Kung Fu frequente e que o garçom nem mesmo precise esperar o pedido, pois já sabe o que o Si Fu gosta de comer ou beber. O chá, que sempre é servido nestes locais ainda que não tenha sido pedido, é o básico. 
Por outro lado, Si Fu costuma apontar quando o garçom quer ser útil e acaba atrapalhando a fluidez da conversa à mesa con interrupções. Por isso, sabemos que pode-se trabalhar com Kung Fu em qualquer ambiente. Entendemos assim, que podemos viver a vida com arte independente de nosso segmento.

On many occasions in restaurants with Si Fu, I heard from him about the good Kung Fu of one waiter or the lack of it in some other. On these occasions, he used to cite the example of a traditional Chinese restaurant that a Kung Fu Family goes there and that the waiter does not even have to wait for the request, because he already knows what Si Fu likes to eat or drink. The tea, which is always served in these places even though it has not been ordered, is the basics.
On the other hand, Si Fu usually points out when the waiter wants to be useful and ends up disturbing the flow of the conversation of the table with interruptions. So we know that you can work with Kung Fu in any environment. We understand that we can live life with art independent of our segment.



 (Foto oficial do ano novo chinês).
(Official Photo of the chinese new year)


 Sem duvidas, foi um evento muito especial! Pude conhecer melhor Si Suk's que não tinha muito contato como o Si Suk Clayton Teixeira que compartilhou muita coisa bacana comigo a respeito de sua vida profissional que me ajudou a refletir mais sobre a minha própria condução da minha vida profissional. Pude passar um tempo com Si Suk Marcelo Abreu ao final bem divertido e muito mais!
Sem dúvidas, o ano começa bem...

 Without a doubt, it was a very special event! I got to know Si Suk better than I did not have much contact like Si Suk Clayton Teixeira who shared a lot of nice things with me about his professional life that helped me think more about my own conducting of my professional life. I was able to spend some time with Si Suk Marcelo Abreu at the end and had very much fun!

Without doubt, the year starts well ...




The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

domingo, 12 de março de 2017

10 years in Moy Jo Lei Ou Family


(Foto com Si Fu em um de meus aniversários)
(Photo with Si Fu during one of my birthdays)

No dia 10 de Março de 2007 eu ingressei na Família Moy Jo Lei Ou que é liderada pelo Mestre Julio Camacho (foto), que desde então, passou a ser meu Si Fu.
Devido ao antigo "Blog do Pereira", muitas pessoas puderam acompanhar todo o meu desenvolvimento nos últimos dez anos, de várias partes do mundo . Através dos artigos, testemunharam também a minha relação com meu Si Fu.Enganam-se aqueles que pensam que eu sou o único discípulo. Si Fu têm muitos outros, que viveram e vivem muitas aventuras com ele da mesma forma. Também , estão enganados quem pensa que a "Vida Kung Fu" é só momentos ruins ou só momentos bons. Pois como na vida, está tudo entrelaçado, e é essa relação de dualidade da vida que a torna rica...

On March 10, 2007, I joined the Moy Jo Lei Ou Family (photo), which is lead by Master Julio Camacho, who became a Si Fu.
Due to the old "Blog do Pereira", many people have been able to follow all my development in the last ten years, from various parts of the world. Through the articles, people coul know better about my relationship with my Si Fu. But I am not the only disciple . Si Fu has many others, who live and lived many adventures with him in the same way. Also, they are mistaken that they think that a "Kung Fu Life" are just tough moments or good times. Because as in our daily life, everything is intertwined, and it is this relationship of duality of life that makes it rich ...


Rio de Janeiro, 10 de Março de 2007
Rio, March , 10 .  2007
 

(Em primeiro plano estou eu um pouco nervoso com a Cerimônia que mudaria minha trajetória no Ving Tsun. Ao fundo, a jovem Jade,filha mais velha de Si Fu, segurando uma mensagem de sua mãe aos presentes naquela Cerimônia que ela leu super bem ao microfone.)

 (In the foreground I am a bit nervous about the Ceremony that would change my path in Ving Tsun. In the background, there is Jade, Si Fu's eldest daughter, holding a message from her mother to those present at that Ceremony that she read very well on the microphone.)

 

Tinha comprado meu primeiro MP3 azul com apenas 250 MB e cabiam cerca de 60 músicas nele. O céu era o limite! Sempre estava ouvindo "Umbrella" e "What I´ve Done" naquele aparelho... E nessa época de progresso tecnológico, ao menos para mim, compareci a XVII Cerimônia Tradicional de nossa Família, na qual eu ingressaria na Família Moy Jo Lei Ou.
A Cerimônia ocorrera na casa de uma irmã Kung Fu chamada Xenia D'avila , que dois mês depois faria Baai Si junto comigo.

I had bought my first blue MP3 with only 250 MB and could fit about 60 songs in it. The sky was the limit! I was always listening  "Umbrella" and "What I've Done" songs in that device ... And in this era of technological progress, at least for me, I attended the XVII Traditional Ceremony of our Family, in which I would join the Moy Jo Lei Ou Family .
The ceremony took place at the house of a Kung Fu sister called Xenia D'avila, who two months later would do Baai Si together with me.

(Ao lado de minha Gaai Saiu Yan, Mestra Ursula Lima, Líder da Família Moy Lin Mah)
(With my Gaai Siu Yan, Master Ursula Lima, leader of Moy Lin Mah Family)

Eu havia tomado essa decisão de ingressar na Família Moy Jo Lei Ou, pois desde 1999 como membro da Família Moy Yat Sang, me via com um sentimento cada vez maior pela figura do Mestre Julio Camacho, que era com quem de fato convivia no dia a dia e que me transmitia não só o Sistema Ving Tsun, mas principalmente, ensinamentos e lições que mudariam minha vida para sempre...
Foi graças ao meu Si Hing , Mestre Leonardo Reis, que essa possibilidade foi aberta. Pois foi ele que com persistência conseguiu ser o primeiro membro  a fazer esse caminho, abrindo uma trilha para tantos outros.
Graças  a esse movimento, me senti como "Rocketeer" com um foguete nas costas a partir dali, tudo passou a se encaixar. Fui "abraçado" por irmãos Kung Fu como Paula Gama e outras pessoas a quem tinha maior deferência como a Mestra Ursula, pude ter uma relação muito mais profunda de respeito, por estar agora numa geração abaixo.

I had made this decision to join the Moy Jo Lei Ou Family,because since 1999 as a member of the Moy Yat Sang Family, I had start a growing feeling for the figure of Master Julio Camacho, who was with whom I actually lived on the day to day and that not only transmitted to me the Ving Tsun System, but mainly, teachings and lessons that would change my life forever ...
It was thanks to my Si Hing, Master Leonardo Reis, that this possibility was opened. Because he was the one who with persistence managed to be the first member to make this way, opening a trail for so many others.
Thanks to this movement, I felt like "Rocketeer" with a rocket in the back from there, everything came to fit. I was "embraced" by Kung Fu brothers like Paula Gama and other people to whom I had the greatest deference as Master Ursula, I could have a much deeper relation of respect, for being now in a generation below.



Naquela Cerimônia, também ingressou na Família Moy Jo Lei Ou
Vladimir Anchieta(foto), e juntos também fomos excepcionalmente autorizados
a acessar os estudos do Domínio "Luk Dim Bun Gwaan". 



At that Ceremony, also joined the Moy Jo Lei Ou Family, Vladimir Anchieta (photo), and together we were also exceptionally allowed to access the studies of the "Luk Dim Bun Gwaan" Domain.

Entrar numa Família Kung Fu para mim, diz respeito a um sentimento difícil de colocar em palavras. Não se trata apenas de um grupo de pessoas tão próximas que se tratam como Família. Pois vejo hoje se tratar  de uma Família de fato.
Entrar para a Família Moy Jo Lei Ou, mudou minha vida para sempre. Esse ato simbólico me possibilitou viver uma vida que eu chamaria de "épica". Não por conta de grandes feitos ou grandes momentos, somente, mas principalmente daquele detalhe da relação ou de uma vivência que passaria despercebido se não fosse o Si Fu ou a sua memória para me deixar atento a isso.

Getting into a Kung Fu Family for me is about a feeling hard to put into words. It is not just a group of people so close that they treat themselves as Family. I see today that it is a Family indeed.
Entering into the Moy Jo Lei Ou Family ,  has changed my life forever. This symbolic act enabled me to live a life I would call "epic." Not because of great feats or great moments, only, but mainly of that detail of the relationship or an experience that would go unnoticed if it were not because of Si Fu or his memory inside me to keep me aware of it.

(Eu e Vladimir apresentamos o "Da Hung Jong" na Cerimônia de Acesso ao 
Domínio Luk Dim Bun Gwaan. Sem dúvidas, de todas as trapalhadas que promovi em minhas Cerimônias, esse "Da Hung Jong" está na lista! rs)

(I and Vladimir presented our  "Da Hung Jong" during the Ceremony.Of course, of all the hassles I promoted in my Ceremonies, this "Da Hung Jong" is on the list! lol)


Por vezes citei uma fala atribuída à Si Taai Gung Moy Yat , na qual ele teria dito : "Não importa quantos Hung Baau você entregue ao seu Si Fu, você nunca vai conseguir pagar o que ele fez por você." -   Talvez não haja frase que expresse melhor esse sentimento de gratidão. Pois quando na vida você descobrir que seus "maiores inimigos" não são passíveis de serem golpeados com mãos e pés por se tratarem de uma demissão, de falta de dinheiro, de uma decepção, de uma perda, etc... Nessa hora , você entende por completo essa frase.

Sometimes I quoted a speech attributed to Si Taai Gung Moy Yat, in which he would have said, "No matter how many Hung Baau you would give to your Si Fu, you will never be able to pay what he did for you." "Perhaps there is no phrase that best expresses this feeling of gratitude. For when in life you discover that your "greatest enemies" are not liable to be hit with hands and feet because they are a dismissal, a lack of money, a disappointment, a loss, etc ... At that time, you understands that phrase completely.
(Eu, minha Si Suk Ursula e meu Si fu)
(Si Fu, Si Suk Ursula and I)


Posso lembrar da primeira vez que Si Fu me olhou rindo e perguntou se eu já  tinha pensado mal dele. Respondi que não e quase me sentindo ultrajado por tal pergunta. Mais tarde, em conversa com ele sobre um processo em que estou à frente, pude ouvir algo como: "Pereira, sabe qual a verdade? Você não tem condições de estar nessa posição. Você não serve para isso..." - Si Fu fez uma pausa, e nos olhamos fixamente sozinhos no Mo Gun. Ele prosseguiu: "... Mas você também não tinha a menor condição de chegar aonde você chegou, e por acaso, hoje você é inclusive Si Fu..." - Disse sorrindo e indagou: "Pensa bem: Tenta lembrar de você dez anos atrás. Quais eram as suas chances reais de ser um Si Fu hoje? " - Eu sorri involuntariamente, e também involuntariamente me peguei respondendo "É". - "Por isso Pereira ..." - Disse Si Fu - "Que eu acho que você apesar de não ter condições hoje, pode vir a ter. Porque em vários outros momentos, você não só achou que não tinha, como ao longo dos anos tentou me convencer disso... " - Si Fu parou, e pareceu lembrar de algumas dessas passagens e completou: "...Você não sabe quantas vezes você quase que me pediu para desistir de você... Mas hoje estamos aqui, com você Si Fu. Então, se esforce mais."

 I can remember the first time Si Fu looked at me laughing and asked if I had ever thought bad of him. I replied that I did not nearly feel it! I said that almost outraged by such a question. Years later, in conversation with him about a process in which I am leading, I could hear something like: "Pereira, you know the truth? You can not be in that position"- He paused, and stared at me while we were at the Mo Gun alone. He went on: "... But you also had no condition whatsoever to get where you arrived, and look at this: today you are a Si Fu ..." - Said smiling and asked, "Think honestly: Try to remember about yourself ten years ago what were your real chances of being a Si Fu today? "  - I smiled involuntarily, and also involuntarily caught myself responding" Yeah. "-  "That's why Pereira ..." - Said Si Fu - "That I think that although you do not have conditions today, you may come to have.Because at various other times, you not only did not think you had, but a lot of times tried to convince me of this ... " - Si Fu stopped, and seemed to remember some of these passages and completed:" ... You do not know how many times you almost asked me to give you up ... But today we are here, with you as a Si Fu. So, try harder on this subject. "


 (Preparando a foto "Si- To" no dia em que me titulei Mestre 
e fui autorizado a começar uma Família Kung Fu)

(Preparing the "Si-To" photo in the day when I became a Master) 


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quarta-feira, 8 de março de 2017

Master Julio Camacho's Ving Tsun touches hearts at an University.

(Na foto , observo meu Si Fu demonstrar Ving Tsun para um JudoKa 2º dan
 duranre módulo administrado por ele na Universidade São Caetano do Sul)
(In the photo, I watch my Si Fu demonstrate Ving Tsun for a 2nd dan JudoKa
Duranre module administered by him at the São Caetano do Sul University)

No mês de Fevereiro, meu Mestre Julio Camacho coordenou um módulo da disciplina "História e Filosofia das Artes Marciais" da Universidade São Caetano do Sul a convite de seu próprio Mestre: Grão-mestre Leo Imamura .
As aulas acontecem aos Sábados e Domingos, e naquela manhã, estiveram presentes um praticante de Judo segundo Dan e um faixa-peta de Jiu Jitsu que coordena aulas num dos batalhões da PM de São Paulo.

In February, my Master Julio Camacho coordinated a module from the discipline "History and Philosophy of the Martial Arts" of the University of São Caetano do Sul in Sao Paulo,Brazil. It was possible, trough an invitation from his own Master: Grand Master Leo Imamura.
As classes take place on Saturdays and Sundays, and in that morning, were present  a Judo practitioner second Dan(poto above) and a Jiu Jitsu black belt (photo below in the background) who coordinates classes in one of the battalions of the São Paulo Military Police
(Ajudando Si Fu numa demonstração, observados por um dos alunos)
(Helping Si Fu in a demonstration, observed by one of the students)

Naquela ocasião, senti que de alguma forma os alunos que eram praticantes experientes em outras artes marciais, não deram muito crédito num primeiro momento. Porém, Si Fu consegue ser bem assertivo corporalmente quando quer, inclusive com os próprios alunos dessa pós-graduação em artes marciais. Desta forma, rapidamente todos eles ficaram impressionados, e foi possível ouvir o comentário: "Mano, 'cês parece um polvo ! Sempre tem uma mão vindo!". Outro ponto interessante, eram os sorrisos involuntários quando a audiência presenciava uma demonstração do Si Fu.

At that time, I felt that somehow the students who were experienced practitioners in other martial arts did not give much credit at first. However, Si Fu can be very assertive bodily whenever he wants, including with the students of this postgraduate discipline of martial arts. In this way, all of them were quickly impressed, and it was possible to hear the comment: "Bro, he looks like an octopus! There's always a hand coming! " - Another interesting point was the involuntary smiles when the audience watched a demonstration by Si Fu.
Si Gung (foto) também estava presente, afinal, ele é o titular dessa disciplina já por muitos anos. Ele apenas ficou ali, observando o trabalho que estava sendo feito. Ele havia aberto com a proposta, de que os alunos pudessem enxergar aspectos filosóficos das suas artes na prática.
Entendi estar presenciando por parte de Grão Mestre Leo Imamura, provimento de Vida Kung Fu para o Mestre Domenico (que também coordenou um módulo) e para o meu próprio Mestre Julio Camacho.

Si Gung (photo) was also present, after all, he has been the professor of this discipline for many years. He just stood there, watching the work being done. He had opened with the theme for the day, that the students could see philosophical aspects of their arts in practice.
I understood to be witnessing on the part of Grand Master Leo Imamura, the provision of Kung Fu Life for Master Domenico (who also coordinated a module) and for my own Mestre Julio Camacho.

 Em 16 de Junho de 2007, quase 10 anos atrás, promovi um workshop de Ving Tsun sozinho pela primeira vez(foto). Na audiência, tínhamos praticantes de Kendo, Tai Chi, Xing Yi e Judo. O evento ocorreu num espaço público no Rio de Janeiro numa tarde de Sábado. Por isso, curiosos também se aproximaram para assistir.
Na época escrevi em postagem do antigo "Blog do Pereira" sobre este episódio : "...Por incrível que pareça, eu não me sentia nervoso. Talvez tenha parecido, mas não me sentia. O que eu tinha em mente de verdade, era o fato de ter uma missão a cumprir. Para com o Si Fu, o Si Gung, o Mo Gun, meus irmãos Kung Fu ali presentes, em fim.. com todos..."  - Mas não foi tão simples, acontece, que por ser naturalmente tímido, eu me aproprio do compromisso que assumi, e tirando forças da memória do meu Si Fu a cada fala, a cada gesto, eu consigo levar este tipo de processo à frente. Quando acaba, me sinto feliz, e sempre lembro do que Si Fu falou certa vez: "...Thiago, quando desistimos de algo na metade, nos traz certo alívio. Mas não tem sentimento melhor, do que quando chegamos ao final e sabemos que demos tudo que podíamos..." - Então eu sei que não poderia ter feito diferente.

 On June 16, 2007, almost 10 years ago, I promoted a Ving Tsun workshop alone for the first time (photo above). At the hearing, we had practitioners of Kendo, Tai Chi, Xing Yi and Judo. The event took place in a public space in Rio de Janeiro on a Saturday afternoon. That's why curious ordinary people also came to watch.
At the time, I wrote on  the old "Blog do Pereira" about this episode: "... As incredible as it may sound, I did not feel nervous,what I had in my heart was the commitment to Si Fu, Si Gung, Mo Gun, my Kung Fu brothers and sisters present there, I mean...with all ... "- But it was not so simple, it happens, that because I m naturally shy and insecure, so I take ownership of the commitment I have made, and drawing strength from the memory of my Si Fu to every speech, with every gesture, I can bring this kind of process forward. When I finish, I get exhausted, but I always remember what Si Fu once said: "... Thiago, when we give up something in the middle, brings us some relief. But it has no better feeling than when we reach the end and we know That we gave everything we could ... " - So I find out that could not be different.

 Observar Si Fu(foto) ministrar um módulo desta pós-graduação na faculdade naquele Domingo foi muito enriquecedor. Tentei imaginar o que se passava na cabeça dele: "Será que estava nervoso?" - Bom, se estava não parecia, pois Si Fu é uma pessoa muito cativante e rapidamente os alunos estavam sorrindo a cada tentativa mal sucedida de tocá-lo.

Watching Si Fu (photo) ministering a module of this post-graduation discipline in college that Sunday was very enriching. I tried to imagine what was going on in his mind: "Was he nervous?" - Well, if he was not looked like, Si Fu is a very captivating person and quickly the students were smiling at every unsuccessful attempt to touch him.
(Si Fu com seu To Dai  e Diretor do Núcleo Méier da Moy Yat Ving Tsun , Clayton Meireles sorriem)
(Si Fu and his student and Director of MYVT Meier School, Clayton Meireles smiling)

Hoje, acredito nesse sorriso. Para mim, já faz um tempo,que não tem maior recompensa dentro da minha carreira como Si Fu, do que quando um To Dai ou Si Dai sorriem por conta de algo inesperado que acabaram de descobrir ou perceber. Naquele momento, naquele pequeno momento. De alguma forma, eu sei que toquei o coração da pessoa. E naquele Domingo, foi bom testemunhar Si Fu tocar o coração de todos.

Today, I believe in  smiles. For me, it's been a while since, when there's no greater reward in my career as a Si Fu, than when a To Dai or Si Dai smiles at something unexpected that he has just discovered or realized. In that moment, in that little moment. Somehow, I know I touched the heart of the person. And that Sunday, it was good to witness Si Fu touch everyone's heart.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com


sexta-feira, 3 de março de 2017

How did I learn the "Luk Dim Bun Gwaan"

(Sala 129 do antigo Mo Gun na Barra. Na sala com o piso branco, 
eu aprendi a sequência de "seis pontos e meio" com o bastão.)

(Room 129 of the old Mo Gun in Barra. In the room with the white floor, 
I learned the sequence of "six and a half points" with the Gwaan.)

Quando entrei no ônibus da antiga linha 755 não me faltava ar. Eu vestia uma blusa antiga minha de lã e ainda assim não estava suado. A cobradora sorrindo enquanto recebia meu dinheiro me perguntou: "Você não fuma né?" - Achei a pergunta estranha, e dentro de minha timidez usual apenas balancei a cabeça negativamente. Ela prosseguiu: "É que eu vi você correndo tão leve e ainda alcançou o ônibus! " - Abri um sorriso e passei pela roleta. Mas meu sorriso não era por conta do comentário, e sim, porque eu também me sentira leve.
Aquela corrida para pegar o ônibus foi inesquecível! Era como se não houvesse mais gravidade e eu quicasse ao invés de correr. Minhas pernas pareciam de papel. Sentei então no banco do ônibus, e recostado na janela naquele primeiro semestre de 2008, refleti sobre meu dia.

When I got on the bus on the old line 755,  I was not short on air. I wore an old wool sweater and still was not sweaty. The bus exchanger smiling while receiving my money asked me, "You do not smoke, do you?" -I found the question odd, and in my usual shyness I just shook my head negative. She went on: "I saw you running so light and still hit the bus!" -  I smiled and went through the ticket gate. But my smile was not because of the comment, but because I had felt light too.
That sprint to catch the bus was unforgettable! It was like there was no more gravity and I did not run instead. My legs felt like paper. I then sat on the seat of the bus, and leaning on the window that first half of 2008, I reflected on my day.

How did I learn the "Luk Dim Bun Gwaan"

(Si Fu posa com sua filha Jade em sua antiga residência na Estrada do Pau-Ferro em Jacarepaguá)
(Si Fu poses with his daughter Jade in his former residence on the Pau-Ferro Road in Jacarepaguá)

Até ali o ano estava sendo uma droga! E com um problema que na época era do tamanho do mundo, liguei para Si Fu e o convidei para almoçar. Era um feriado, mas mesmo assim ele aceitou. Esse convite tinha muito mais a ver com meu desejo de ouvir uma palavra sobre o que fazer do que por qualquer outro motivo. 
Fui até sua antiga residência em Jacarepaguá(foto) e chegando mais cedo do que o combinado, aguardei no Hall. Si Fu desceu exatamente no horário combinado, ainda que eu tivesse interfonado vinte minutos antes. Ele me cumprimentou, e quando entrei em sua antiga Zafira, ele comentou enquanto a manobrava: "Pereira, quando marcamos um horário com alguém, é importante respeitar esse horário. Que horas eu desci?" - Indagou ele e eu respondi- "Pois é! Quando você chega atrasado, você atrapalha, quando você não aparece e não se posiciona, você atrapalha, mas quando você chega cedo você também atrapalha." - Eu ainda demoraria anos para ajustar isso.

So far, the year was sucking! And with a problem that was the size of the world at the time, I called Si Fu and invited him to lunch. It was a holiday, but even so he accepted. This invitation had more to do with my desire to hear a word about what to do than for any other reason.
I went to his old residence in Jacarepaguá (photo) and arriving earlier than the combined, I waited in the Main Hall. Si Fu came down at exactly time, even though I had been in the room twenty minutes before. He greeted me, and when I entered his former car, he said to me as he maneuvered it: "Pereira, when we make an appointment with someone, is it important to respect the right time. Because when you arrive late, you make trouble, when you do not show up and do not position yourself, you make trouble, but when you arrive early you make trouble too" - It would take years for me to adjust that.
(Praticando o Luk Dim Bun Gwaan)
(Practicing the Luk Dim Bun Gwaan)

Diferente de outros Domínios do Sistema, o "Luk Dim Bun Gwaan" de nossa Linhagem, tem sua breve sequência apresentada ao final, depois dos Componentes  Associados (chamados em outras linhagens de "exercícios").  Dentro do "Luk Din Bun Gwaan" , algo bem emblemático é a prática do "Biu Gwaan". 
Sabe, quando tentamos golpear alguém com as mãos e não conseguimos , temos sempre a oportunidade de tentar novamente com a outra mão. Mas quando se tem um bastão com esse comprimento e se executa o "Biu Gwaan", é bom que você acerte, pois caso contrário, você "Morre".

Unlike other System Domains, the "Luk Dim Bun Gwaan" of our Lineage, has its brief sequence presented at the end, after Associated Components (called  "exercise" in other lineages). Inside the "Luk Din Bun Gwaan", something very emblematic is the practice of "Biu Gwaan".
You know, when we try to hit someone with our bare hands and we can not, we always have the opportunity to try again with the other hand. But when you have a stick with this length and you execute the "Biu Gwaan", it is good that you hit it, otherwise you "die"

Aqui uma filmagem antiga do celular do Mestre Diego Guadelupe, de quando aprendia o "Biu Gwaan"

Below, an old footage from the cell phone of Mster Diego Guadelupe, from the time I was learning the "Biu Gwaan".


 
(Uma foto amigável com Si Fu após uma prática de Luk Dim Bun Gwaan coordenada por ele. ) 
(A friendly photo with Si Fu after a practice of Luk Dim Bun Gwaan coordinated by him.)

Naquele dia, não ouvi palavras de apoio de Si Fu durante o almoço. Ouvi o que tinha de ser dito. E de tudo que ouvi lembro de um exemplo que ele me deu. Algo como: "Thiago, é como se você tivesse um pincel, tinta e um papel em mãos. Você sujou o papel, não tem mais como limpar, não tem mais como apagar, não tem mais como fazer de novo."

That day I did not hear Si Fu's words of support during lunch. I heard what had to be said. And from everything I heard I remember an example he gave me. Something like: "Thiago, it's like you had a paintbrush, ink and a paper in your hands. You've messed up the paper, you do not have a way to clean anymore, there's no way to erase, you can not do it again."
Quando fomos para o Mo Gun depois do almoço(foto), Si Fu pediu que eu pegasse um bastão. E nessa sala da foto ele começou a executar o "Luk Dim Bun Gwaan" sem nada dizer. Meu coração acelerou, e eu que estava cabisbaixo, senti toda a vibração das artes marciais que sempre me encantou! Então meus problemas sumiram e eu só tinha olhos para aquela inesquecível e histórica execução em Abril de 2008: "Viu tudo?" - Respondi que sim . - "Então faz para eu ver". Ao terminar de executar qualquer porcaria que saiu naquele momento, Si Fu apenas avisou que estaria na outra sala trabalhando e pediu que eu continuasse. 

When we went to the Mo Gun after lunch (photo), Si Fu asked me to take a Gwaan. And in this room of the photo he began to perform "Luk Dim Bun Gwaan" without saying anything. My heart was beating fast, and I, who was downcast, felt all the vibration of the martial arts that always enchanted me! So my problems were gone and I only had eyes for that unforgettable and historic execution in April 2008: "Did you see everything?" - I said yes.- "Then do it for me to see."-  When I finished executing any crap that came out at that moment with the Gwaan, Si Fu only warned that he would be in the other room working and asked me to continue.
Quando percebi que "já não tinha mais pernas", fui até a outra sala e apenas avisei Si Fu que precisava ir já que era meu horário. Ele fez sua pergunta característica da época: "E aí? Deu para aproveitar?" - Sorri e respondi que sim. Ao sair de lá , estava com o coração em chamas, e quando pisei na calçada, vi que um ônibus da linha 755 passava...

When I realized that "I had no legs anymore," I went to the other room and just told Si Fu that I had to go since it was my time also. He asked his characteristic question of the time: "So what? Did you enjoy it?" - I smiled and said yes. When I left, my heart was on fire, and as I stepped onto the sidewalk, I saw a bus of the 755 line passing by ...

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com