Apoie o Blog!

quarta-feira, 8 de julho de 2020

How much does the weight of "Gwan"(棍) matter? - PART 1

Um dia quando ganhamos alguma coisa de alguém e não agradecemos, nossa mãe ou nosso pai, nos perguntam: "O que se diz quando alguém dá alguma coisa pra gente?". Porém, em outra oportunidade que você não vai lembrar, você fez alguma malcriação com um adulto de sua família ou não, e seu pai ou sua mãe provavelmente deu o seguinte comando: "Vai lá e pede 'desculpa' pro tio!"...  - Nesse dia, e pior: Sem saber. Você aprenderia uma coisa que mudaria sua vida para sempre: Tudo pode se resolver se você se desculpar.
Acontece que anos depois, você se deparou com uma situação e mesmo se desculpando, não ficou tudo bem. - "Ué?"- Pergunta aquele seu "eu" ainda infantilizado em seu inconsciente- "Mas a mamãe disse que se pedir desculpas tudo se resolve".  - Pronto! Agora você descobriu que esse pedido de desculpas pode ser mais elaborado para ser mais eficaz... Afinal, se ele for muito direto, pode ser que ele não seja aceito. E mais: Caso você perceba que seu pedido de desculpas, ainda que elaborado, não surtirá efeito. Você pode simplesmente sumir! Mas essa também é uma parte sua, que ainda acredita mesmo na casa dos vinte ou trinta. Que se taparmos nossos olhos com as mãos, podemos sumir como quando tínhamos dois ou três aninhos.
Quando falamos de "Kuen Faat"(拳法), tratamos de um termo tão abrangente, que prefiro me reservar à não tentar traduzi-lo , para que não limite seu escopo. Porém, posso dizer que ele também se refere à uma fase de um Sistema de Variação como o Ving Tsun, que se relaciona com o que chamamos de "mãos livres". Mais precisamente o "Siu Nim Tau", "Cham Kiu" e o "Biu Ji".
Acontece que com o passar do tempo e com nossa experiência. Percebemos em nós, uma capacidade muito grande de fazermos reposições com as mãos, caso o primeiro movimento tenha sido infrutífero. Com o tempo, os mais incautos podem até mesmo abrir mão de serem precisos ou assertivos em suas ações. Afinal, caso não tenhamos conseguido de primeira, repomos o movimento com a mão da retaguarda e assim vamos...

One day when we get something from someone and we don't thank them, our mom or dad asks us: "What does we say when someone gives something to us?". However, on another occasion that you will not remember, you did some mischief with an adult in your family or not, and your father or mother probably gave the following command: "Go there and say 'sorry' to your uncle!" .. - That day, and worse: Without knowing. You would learn one thing that would change your life forever: "Everything can be solved if you apologize."
It turns out that years later, you came across a situation and even apologizing, it was not all right. - "Huh?" - Ask that "self" still childish in your unconscious- "But mom said that if you apologize everything will be resolved". - Thats it! Now you have found that this apology can be more elaborated to be more effective ... After all, if it is too direct, it may not be accepted. And more: If you realize that your apology, even if it is elaborate, will not be effective. You can just disappear! But this is also a part of you, who still believe in yours twenties or thirties. That if we cover our eyes with our hands, we can disappear as when we were two or three years old.

When we speak of "Kuen Faat" (拳法), we are dealing with a term so broad that I prefer to reserve myself rather than trying to translate it, so that it does not limit its scope. However, I can say that it also refers to a phase of a System of Variation like Ving Tsun, which relates to what we call "free hands". More precisely "Siu Nim Tau", "Cham Kiu" and "Biu Ji".

It happens that over time and with our experience. We perceive in us a very large capacity to make replacements with our hands, in case the first movement was unsuccessful. Over time, the most unwary may even give up being accurate or assertive in their actions. After all, if we didn’t get it at first, we could corrrect the next movement with the other hand and so on…
Conversando recentemente com meu Si Fu sobre o tema(FOTO), disse ele que o peso do bastão tem um papel fundamental num processo educativo do artista marcial. Segundo ele, o "Kuen Faat"(拳法) permite uma "correção fácil", já o "Gwan Faat"(棍法) não permite uma "correção fácil". - "... Com o 'Gwan(棍)' Thiago.Não é tão fácil mudar de ideia...." - Si Fu completou dizendo que este Domínio exige um alto nível de acurácia. - "Você percebe o quanto valorizamos a 'leveza'?" - Me indagou Si Fu.
Quando não temos um sentimento de "precisão" em nossas ações, talvez façamos coisas das quais nos arrependamos ou que machuquem outras pessoas ou que causem um prejuízo à outrem. Acreditamos que poderemos corrigir facilmente nos desculpando. Mas, e se ao invés disso, mirássemos para acertar?

Talking recently with my Si Fu on the subject (PHOTO), he said that the weight of the staff plays a fundamental role in the educational process of the martial artist. According to him, "Kuen Faat" (拳法) allows to do an "easy correction", while "Gwan Faat" (棍法) does not allow us to perform an "easy correction". - "... With 'Gwan (棍)' Thiago. It is not so easy to change your mind ...." - Si Fu added saying that this Domain requires a high level of accuracy. - "Do you realize how much we value 'lightness'?" - Si Fu asked me.

When we do not have a sense of "precision" in our actions, we may do things that we regret or that hurt other people or that cause harm to others. We believe that we can easily correct it by apologizing. But what if, instead, we aim to get it right?

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quinta-feira, 2 de julho de 2020

An essay on the art of following your "Si Fu" (師父).

(Meu Si Fu sempre chama a minha atenção para não tirar "selfies". Segundo ele, são fotos muito solitárias. Nessa ocasião, ele tenta atrapalhar minha foto mostrando o tamanho da minha testa. risos)

My Si Fu always calls my attention to stop taking "selfies". According to him, those kind of photos, are very lonely ones. On this occasion, he tries to muddle my photo by showing the size of my forehead. Laughs)


Uma vez o Renato Russo disse, que casais brigam porque quando um amigo te chama para ir num casamento em Niterói numa tarde de Sábado e você não quer, seu amigo entende. Porém, quando sua esposa te diz que haverá esse mesmo casamento e você diz que não quer ir... Provavelmente haverá uma discussão. Mas nada disse o vocalista da banda Legião Urbana, sobre a relação "Si-To"(師徒).
"Seguidor" é chamado de "To Dai"(徒弟), então "Si-To"(師徒) é como uma abreviação de "Si Fu" (師父) e "To Dai"(徒弟). Eu me considero um "To Dai"(徒弟) leal, mas o ato de seguir o "Si Fu" (師父), nem sempre será uma tarefa simples. Si Fu diz: "Gostar eu gosto de sorvete, Pereira". - Ele dizia isso apesar de só tê-lo visto tomando sorvete duas vezes: Na primeira, ele ensinava a Jade ainda criança a passar a batata frita do McDonald´s no sorvete. Na segunda oportunidade, tomamos sorvete juntos no Shopping Tijuca. 
Na primeira oportunidade, estava sentado ao lado de Si Fu e Jade, e mal conseguia olhar ele passando a batata-frita no sorvete e comendo- "Você não gosta? É bom!" - Disse ele rindo com uma batata coberta de sorvete de creme enquanto Jade comia outra. Ele me ofereceu, mas eu não consegui nem provar. Anos mais tarde, comentava com Si Fu que havia reencontrado uma antiga namorada e de como ela havia mudado. Disse Si Fu: "Você sempre foi muito 'quadrado', né Pereira?"- Comentou ele que completando depois: "Foi bom ela ter terminado com você. Ela não conseguiria descobrir quem era ela, você era muito chato. Melhorou bastante, mas ainda é bem chato". - Ouvi aquele áudio de whatsapp meio consternado, mas fazia sentido, eu era o mesmo cara que com dezesseis anos de idade, era "certinho" demais para passar a batata-frita no sorvete de creme. 
Mais de uma década depois, havia tido um desentendimento com Si Fu. Observando que a "energia" ainda estava carregada mesmo ao final, Si Fu me convidou para almoçar. Eu disse que ele se atrasaria para seu compromisso com o Fabiano Silva, ele apenas disse: "Eu sei". 
Quando o almoço acabou, acompanhei Si Fu a pé até o consultório de Fabiano. Antes porém, passamos por um quiosque do MacDonald´s que vendia sorvete.- "Vem! Vamos tomar um sorvete!" - Lembrei Si Fu que tenho alergia a lactose.- "Pode tomar, confia em mim". - E quando já estávamos na rua, Si Fu disse: "Esse sorvete não vai te fazer mal. Pode lembrar desse dia. Esse sorvete é especial". 
Naquele dia, eu teria uma série de compromissos, mas de fato não passei mal. Nem no dia seguinte. Seguir um "Si Fu" (師父) não é fácil. E me pergunto agora, o que poderia ter sido diferente em minha vida, se tivesse aceitado também, a batata-frita com sorvete em 2001...

The legendary brazilian singer Renato Russo once said that couples fight because when a friend asks you to go to a wedding in another city on a Saturday afternoon and you don't want to, your friend understands. However, when your wife tells you that there will be this same wedding and you say you don't want to go ... There will probably be an argument. But the vocalist of the rock band Legião Urbana said nothing about the "Si-To" (師徒) relationship.
A "Follower" is called "To Dai" (徒弟), so "Si-To" (師徒) is an abbreviation of "Si Fu" (師父) and "To Dai" (徒弟). I consider myself a loyal "To Dai" (徒弟), but the act of following "Si Fu" (師父) will not always be a simple task. Si Fu says: "I like ice cream, Pereira". - He said that even though I only saw him eating ice cream twice: In the first, he taught his daughter Jade as a child to pass McDonald's fries on ice cream. At the second opportunity, we had ice cream together at Tijuca Mall.
At the first opportunity, I was sitting next to Si Fu and Jade, and I could barely look at him passing the french fries on the ice cream and eating- "Don't you like it? It's tasty!" - He said laughing with a potato covered in ice cream while Jade ate another one. He offered it to me, but I couldn't even taste that. Years later, I commented to Si Fu that I had met an former girlfriend and how she had changed. Si Fu said: "You were always a very 'narrow-minded', right Pereira?" - He commented that after completing: "It was good that she broke up with you. She couldn't find out who she was staying by your side. You were a very boring person. You improved a lot, but you are still pretty boring ". - I heard that WhatsApp audio a little dismayed, but it made sense, I was the same guy who when I was sixteen years old, I was too "narrow-minded" to pass the french fries on the ice cream.
More than a decade later, I had a disagreement with Si Fu. Noting that the "energy" was still charged even at the end, Si Fu invited me to lunch. I said he would be late for his appointment with Fabiano Silva, he just said: "I know".
When lunch was over, I accompanied Si Fu on foot to Fabiano's office. Before, however, we passed a MacDonald´s kiosk that sold ice cream.- "Come on! Let's have some ice cream!" - I reminded Si Fu that I am allergic to lactose.- "Take it, trust me". - And when we were already on the street, Si Fu said: "This ice cream will not make you sick. You will remember this very day. This ice cream is special".
On that day, I would have a series of commitments, but in fact I was not sick. Not the next day either. Following a "Si Fu" (師父) is not easy. And I wonder now, what could have been different in my life, if I had also accepted the french fries with ice cream in 2001 ...



The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatççei.myvt@gmail.com

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Another essay on "JING MA"(戰馬)

Quando falamos de "Ma"(馬) nos referimos à tudo aquilo que nos sustenta.Então quando se começa a prática do Ving Tsun, é como quando Si Fu chamou-me a atenção, para pessoas que apesar de estarem usando boas roupas e as mesmas não lhe caem bem: "A pessoa precisa se apropriar da roupa". O mesmo acontece quando nos é apresentado um primeiro "Ma Bo"(馬步): Nosso corpo não entende o que está acontecendo, por conta da posição ser exótica ao nosso cotidiano, dessa forma é comum sentir dores ao final da prática e nas semanas seguintes. Finalmente chega o momento em que nos "apropriamos da base" (Jaat Ma 紮馬).
Mais tarde, vamos nos deparar com um desdobramento do primeiro "Ma Bo"(馬步) chamado "Sei Ping Taai Ma"(四平太馬). Acontece que ao se chegar à esse ponto no Sistema Ving Tsun, vamos trabalhar o que chamamos de "Componente Associado" chamado "JING CHOEI"(戰捶). Este, toma "Jing"(戰) por "Batalha". Neste caso, permitindo com que entendamos "Jing Choei"(戰捶) tanto como um "dispositivo de combate simbólico", quanto um "conceito". E neste ponto, é curioso observar como que o Tutor responsável por alguém que está tendo acesso à este "Componente Associado" irá atuar, pois será o "Jing Choei"(戰捶) que levará ao "Jing Ma"(戰馬). Então como o Tutor, vai se apoiar no potencial de situação a partir da configuração inicial em  "Sei Ping Taai Ma"(四平太馬), para que o aprendiz perceba a possibilidade de movimentação?

When we speak of "Ma" (馬) we refer to everything that sustains us. So when Ving Tsun practice begins, it is like when Si Fu called my attention, for people who despite wearing good clothes the same people do not suit it well: "The person needs to take ownership of the clothes". The same happens when we are presented to a first "Ma Bo" (馬步): Our body does not understand what is happenning, because the position is exotic to our daily lives, so it is common to feel pain at the end of the practice and in the weeks following. Finally the moment comes when we "take ownership of the stance" (Jaat Ma 紮馬).
Later, we will come across an unfolding of the first "Ma Bo" (馬步) called "Sei Ping Taai Ma" (四平 太 馬). It turns out that when we get to that point in the Ving Tsun System, we will work on what we call  "Associated Component" called "JING CHOEI" (戰 捶).  "Jing" (戰) could be translated as "Battle". In this case, allowing us to understand "Jing Choei" (戰 捶) both as a "symbolic combat device" and a "concept". And at this point, it is curious to observe how the Tutor responsible for someone who is having access to this "Associated Component" will work with this person, as it will be the "Jing Choei" (戰 捶) that will lead to "Jing Ma" (戰馬). So, as the Tutor, how you are going to rely on the potential of the situation from the initial configuration in "Sei Ping Taai Ma" (四平 太 馬), so that the apprentice realizes the possibility of move foward or backward?
Meu Si Fu teria dito que o "Jing Choei"(戰捶) é um "Componente Associado" quase perfeito: "Ele é simples e não tem nada sobrando". - "Mas por que é 'quase perfeito'?" - Perguntou-me ele certa vez.
Sobre isso, o Professor François Jullien apoia-se no capítulo 5 do SunJi (Sunzi) chamado ‘Sai’( 勢) em sua obra “Traité de l’efficacité”(1996): “...Duas noções se encontram assim no cerne da antiga estratégia chinesa e formam par: De um lado, a de ‘situação’ ou de ‘configuração’ ou ‘jing’( xing 形), tal como se atualiza e toma forma sob nossos olhos(enquanto relação de força); do outro e respondendo a ela, a de potencial ou ‘Sai’( Shi勢), tal qual se acha implicado nessa situação e se pode fazê-lo atuar a nosso favor...”
Importante salientar, que quando juntamos os dois ideogramas citados pelo Professor Jullien, temos “Jing Sai”( 形勢) que significa também “circunstância”.
Segundo meu Si Fu, numa "Batalha" é a "circunstância" que diz se você vai avançar ou retroceder. No início da prática do "Jing Choei"(戰捶) porém, é você que decide quando voltar.
Por isso, um tutor qualificado para intermediar o processo entre o praticante e o Sistema Ving Tsun se faz tão importante.
Desta forma, a partir de uma mobilização situacional por parte do Tutor, o praticante poderá perceber como não impor sua "vontade" ao trabalho que está sendo realizado. Mas como diz o próprio Professor Jullien, ao esposar com Kung Fu a circunstância, ela favorecerá cada vez mais uma oportunidade da qual ele pode se aproveitar(Nesse caso, a de se mover) e deixando-o assim continuamente se levar pela situação.
O próprio ato de executar o "Jing Choei"(戰捶) adequadamente, porta em si mesmo o potencial de ativar o "Jing Ma"(戰馬). Por isso, cabe ao tutor deixar o efeito implicado desenvolver-se por si mesmo, em virtude do processo iniciado.

My Si Fu would have said that "Jing Choei" (戰 捶) is an almost perfect "Associated Component": "It is simple and there is nothing left". - "But why is it 'almost perfect'?" - He asked me once.

On this, Professor François Jullien relies on chapter 5 of the SunJi (Sunzi) called 'Sai' (勢) in his work “Traité de l'efficacité” (1996): “... Two notions are thus at the heart from the ancient Chinese strategy and form a pair: On the one hand, that of 'situation' or 'configuration' or 'jing' (xing 形), as it is updated and takes shape under our eyes (as a relation of strength); of the other and responding to it, the potential or ‘Sai’ (Shi 勢), as it is involved in this situation and can be done to act in our favor ... ”
It is important to note that when we join the two ideograms cited by Professor Jullien, we have “Jing Sai” (形勢) which also means “circumstance”.
According to my Si Fu, in a "battle" is the "circumstance" that says whether you are going to move forward or backward. At the beginning of the practice of "Jing Choei" (戰 捶), you decide when to return.
For this reason, a qualified tutor to mediate the process between the practitioner and the Ving Tsun System is so important.
In this way, from a situational mobilization on the part of the Tutor, the practitioner will be able to understand how not to impose his "will" on the work that is being done. But as Professor Jullien himself says, when he espouse the circumstance with Kung Fu, it will increasingly favor an opportunity that he can take advantage of (in this case, that of moving) and thus letting him continually lead by the situation.

The very act of performing "Jing Choei" (戰 捶) properly, carries in itself the potential to activate "Jing Ma" (戰馬). Therefore, it is up to the tutor to let the effect involved develop on its own, due to the process started.



The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quarta-feira, 17 de junho de 2020

NEW VING TSUN BOOKS FROM MOY YAT LINEAGE ON THE WAY!

(Printscreen de um dos Encontros Semanais entre Grão-Mestre Leo Imamura e meu Mestre Julio Camacho. O projeto dos dois, dedica-se à produção de uma obra literária de 9 volumes. Os três primeiros volumes se chamaram "Fundamentos do Ving Tsun". Ao todos, tratarão de 36 temas fundamentais deste Sistema, que servirão também às Aulas de Fundamentação do CMJLO além de um excelente acervo público. )

Printscreen of one of the Weekly Meetings between Grand Master Leo Imamura and my Master Julio Camacho. 
Their project is dedicated to the production of a nine books.The first three volumes will be called "Fundamentals of Ving Tsun". In all of them, they will deal with 36 fundamental themes of this System, which will also serve to the Moy Jo Lei Ou Clan´s Fundamental Classes in addition to an excellent knowledge for everyone. )

Tive uma conversa bem especial com meu Mestre Julio Camacho recentemente, e mesmo passando por vários temas, me tocou o momento em que ele falou de "fatores endógenos" e "exógenos" que tem o potencial de mudaram a história do Ving Tsun.
Sobre "Fatores Endógenos" ele citou o próprio Bruce Lee, um praticante de Ving Tsun, que sozinho influenciou várias gerações de praticantes de artes marciais ajudando absurdamente a propagação do Sistema Ving Tsun pelo mundo. E ao falar dos "Fatores Exógenos" ele citou o incendio do Templo Shaolin(Siu Lam) por parte dos manchus, que possibilitou que a arte que viria a ser estruturada em um Sistema chamado Ving Tsun, saísse dos muros do Templo Shaolin.
Como não poderia deixar de ser, Si Fu citou o momento em que vivemos, como um novo fator exógeno, que poderá mudar a maneira pela qual as pessoas enxergam a prática de artes marciais a partir de agora.

I had a very special conversation with my Master Julio Camacho recently, and even going through various topics, it touched me the moment when he spoke of "endogenous" and "exogenous factors" that have the potential to change the history of Ving Tsun.
On "Endogenous Factors" he spoke about Bruce Lee a Ving Tsun practitioner, who alone influenced several generations of martial arts practitioners by helping  the spread of the Ving Tsun System around the world. And when talking about "Exogenous Factors" he mentioned the fire in the Shaolin Temple (Siu Lam) by the Manchus, which made it possible for the art that would be structured in a system called Ving Tsun, to come out of the walls of the Shaolin Temple.
As it could not be otherwise, Si Fu spoke about the moment in which we live, as a new exogenous factor(COVID-19), which may change the way in which people see the practice of martial arts from now on.
(Minha Si Suk Ursula Lima participa de mais um encontro semanal com meu Si Fu e Si Suk Ricardo Queiroz.
Os três tem uma proximidade bem especial, pois antes de Si Suk Ricardo e Ursula atingirem a titulação de Mestres Classe Senior dentro da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence. Muito de sua formação ocorreu sob os cuidados de Si Fu, já que Si Gung Leo Imamura residia em outro estado. 

(My Si Suk Ursula Lima participates in another weekly meeting with my Si Fu and Si Suk Ricardo Queiroz.
The three have a very special proximity, because before Si Suk Ricardo and Ursula reach the title of Senior Class Masters within Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence. Much of their training took place under Si Fu's care, since Si Gung Leo Imamura resided in another state. 


Nem todo mundo sabe, mas meu Si Fu já escreveu e produziu uma cinessérie chamada "DDD21" em 2015, ele também atua como psicólogo e tem dois livros de sua autoria: "Tao do Surf - Zen e a Arte de Pegar Onda" e "A arte da simplicidade"(Sobre o Sistema Ving Tsun).
Si Fu , e em seu atual momento de vida, decidiu-se por redesenhar-se como profissional ao formalizar cada vez mais a ideia de atuar como um autor de livros sobre Kung Fu.

Not everyone knows, but my Si Fu already wrote and produced a TV series called "DDD21" in 2015, he also works as a psychologist and has two books of his own: "Tao of the Surf - Zen and the Art of Surf" and " The art of simplicity "(About the Ving Tsun System).
Si Fu  in his current life, he decided to redesign himself as a professional writer  writing books about Kung Fu.
(A iniciativa dessa escrita entre esses pares, partiu do Mestre Ricardo Queiroz. Além de Mestre de Ving Tsun, é um academico renomado, e propôs uma série de livros sobre a perspectiva de Mestres de Kung Fu sobre temas do cotidiano. O nome dessa série será "O Kung Fu & ....." . Sendo o primeiro volume  : "O Kung Fu & o Medo". Particularmente, estou extremamente animado com esses livros. Afinal, depois que Si Fu se formou em Psicologia no início dos anos 2010. A partir de sua atuação profissional e seus compartilhamentos comigo, muitas pontuações interessantes sob nosso comportamento diante de certos aspectos chegaram até mim. Por isso, quero ver como os três trabalharão em conjunto com seus saberes à respeito de cada tema).

(The initiative of this writing among these peers, came from Master Ricardo Queiroz. In addition to Master de Ving Tsun, he is a renowned academic, and proposed a series of books on the perspective of Kung Fu Masters on everyday topics. The name of this series will be "The Kung Fu & .....". The first volume will be: "The Kung Fu & The Fear". I am particularly excited about these books. After all, after Si Fu graduated in Psychology in the early 2010s. From his professional performance and his sharing with me, many interesting talks on our behavior in relation to certain aspects touched me. So, I want to see how the three will work together with their knowledge about each theme).

Quem conhece Si Fu sabe, que uma de suas principais características, é a de buscar uma constante integração entre as pessoas. Portanto, nessa sua trajetória de autor, ele não pretende percorre-la sozinho. Muito pelo contrário, contará com a participação de uma geração acima (seu próprio Si Fu, o Grã-Mestre Leo Imamura), dois de seus pares(Mestre Ricardo Queiroz e Mestra Ursula Lima), e um descendente que sou.

Anyone who knows Si Fu knows that one of its main characteristics is to seek constant integration between people. Therefore, in his career as an author, he does not intend to travel it alone. On the contrary, he will have the participation of a generation above (its own Si Fu, Grandmaster Leo Imamura), two of his peers (Master Ricardo Queiroz and Master Ursula Lima), and a descendant that its me.
(Em 1990, ganhei um concurso literário na escola com meu livro de vinte páginas chamado "O Retalhinho Isaac". Era a história das aventuras de um retalho de pano judeu que ganhava vida. Trinta anos depois, me senti muito honrado com o convite de meu Mestre Julio Camacho, para escrevermos juntos três livros sobre um tema muito caro aos praticantes de artes marciais chinesas. em breve, mais informações. Segundo Si Fu, este convite me foi feito, devido as quase duas décadas em que invisto escrevendo nessa página que já mudou de nome três vezes, mas que manteve sua essência em tratar da Vida Kung Fu de forma leve e romântica.  )

(In 1990, I won a literary contest at school with my twenty-page book called " Isaac, the little piece of fabric". It was the story of the adventures of a Jewish piece of fabric that came to life. Thirty years later, I felt very honored with the invitation of my Master Julio Camacho, to write together three books on a very special topic to Chinese martial arts practitioners. More information soon.ccording to Si Fu, this invitation was made to me, due to the almost two decades that I invest writing on this page that has already changed its name three times, but that has kept its essence in dealing with Kung Fu Life in a light and romantic way.)

Então me foi possível tomar contato com a conduta visionária de Si Fu nessa conversa de mais de uma hora. São encontros semanais que tenho com ele para a produção desse livro em conjunto. Da mesma forma, ele tem se encontrado semanalmente com meu Si Gung e meus Si Suk, para falar das outras obras que estão sendo produzidas com cada um deles.
Portanto, acredito que nos próximos nove anos, teremos muito material de qualidade em português e inglês chegando até à casa das pessoas, por meio de livros sobre o Sistema Ving Tsun e o Kung Fu. Aguardem.

So it was possible for me to make contact with Si Fu's visionary conduct in this conversation of over an hour. I have weekly meetings with him to produce this book together. Likewise, he has been meeting weekly with my Si Gung and my Si Suk, to talk about the other works that are being produced with each of them.
So, I believe that in the next nine years, we will have a lot of quality material in english and portugueese coming to people's homes, through books on the Ving Tsun System and Kung Fu. Wait for more news!






The Disicple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quarta-feira, 10 de junho de 2020

An essay on new possibilities for "Siu Nim Tau (小 念頭)

Quando traduzimos um termo ou expressão do idioma chinês ou de algum de seus dialetos. Perdemos o potencial de seu entendimento. Isso também se aplica ao termo "Siu Nim Tau"(小念頭). 
"Siu Nim Tau"(小念頭) à primeira vista, não parece ser um termo relacionado ao círculo marcial(Mo Lam). Talvez seja por isso, que a busca por sua melhor tradução, desperte tanto interesse. 
Muitos entendem "Siu Nim Tau" (小念頭) como "Pequena Ideia do Início" e param por aí. Observe que quando falamos de "Pequeno" como tradução para "Siu"(小), temos uma palavra que porta um sentido de comparação. Já quando tratamos "Nim"(念) por "ideia", estamos falando de algo que não se materializou ainda. Ou seja, nesse tipo de lógica, temos uma tradução que aponta para o futuro. 
Por fim, traduz-se comumente "Tau"(頭) por "início", já que de fato, a tradução literal para este ideograma seria "cabeça". E é pela "cabeça", segundo o Pensamento Clássico Chinês, por onde se começa o corpo humano. Daí a ideia de "Início" para "Tau"(頭).
Porém, outra maneira de se entender o termo "Siu Nim Tau"(小念頭) seria tomar o "Siu"(小) como "Embrionário". Nesse caso,a tradução como "embrionário", diferente de quando traduzimos como "pequeno(a)", não guarda nenhuma relação visível com seu estado final. 
Já o "Nim"(念), poderemos entender como "Pensamento ou Conclusão". Observe que cada vez que praticamos, a quantidade de "pensamentos" e de "conclusões", será bem maior do que a de "ideias". Portanto, esta lógica de tradução aponta para o "Presente". Por fim, podemos tomar "Tau"(頭) como "Principal". 
A terceira proposição, trata "Siu"(小) de "Siu Nim Tau"(小 念頭) como "Insignificante". Neste caso, entendemos a importância de não precisarmos atribuir "significado" à tudo o que estamos fazendo. Então o "insignificante" traz uma percepção de "neutralidade". 
Já o "Nim"(念) podemos tomar como "lembrança", e nesse caso, vemos claramente uma tendência apontando para o "passado". E "Tau"(頭) como "Mais importante".  Essa última proposta de "Mais importante", fala do que nós atribuímos ao Siu Nim Tau(小 念頭) como um todo. 

When we translate a term or expression from the Chinese language or any of its dialects. We have lost of the potential of its understanding. This also applies to the term "Siu Nim Tau" (小 念頭).
"Siu Nim Tau" (小 念頭) at first glance, does not seem to be a term related to the martial arts circles (Mo Lam). Perhaps that is why the search for the best translation arouses such interest.
Many understand "Siu Nim Tau" (小 念頭) as "Little Idea of ​​the Beginning" and stop there. Note that when we speak of "Small" as a translation for "Siu" (小), we have a word that carries a sense of comparison. When we call "Nim" (念) by "idea", we are talking about something that has not yet materialized. In other words, in this type of logic, we have a translation that points to the future.
Finally, "Tau" (頭) is commonly translated as "beginning", since in fact, the literal translation for this ideogram would be "head". And it is through the "head", according to the Chinese Classical Thought, where the human body begins. Hence the idea of ​​"Beginning" for "Tau" (頭).
However, another way of understanding the term "Siu Nim Tau" (小 念頭) would be to take "Siu" (小) as "Embryonic". In this case, the translation as "embryonic", unlike when we translate as "small ", has no visible relationship with its final state.
As for "Nim" (念), we can understand it as "Thought or Conclusion". Note that each time we practice, the amount of "thoughts" and "conclusions" will be much bigger than that of "ideas". Therefore, this translation logic points to the "Present". Finally, we can take "Tau" (頭) as "Main".
The third proposition, treats "Siu" (小)as "Insignificant". In this case, we understand the importance of not having to assign "meaning" to everything we are doing. So the "insignificant" brings a perception of "neutrality".

"Nim" (念), on the other hand, can be taken as "remembrance", in which case we clearly see a trend pointing to the "past". And "Tau" (頭) as "Most important". This last "Most important" proposal speaks of what we attribute to Siu Nim Tau (小 念頭) as a whole.
Um dia, chegou o momento de entender a razão pela qual ouvia dizer que cada vez que você faz o "Siu Nim Tau"(小 念頭) deveria ser uma experiência única. É que você me via ali, diante dos meus primeiros "To Dai", recebendo-os em minha Família Kung Fu(FOTO). E naquela ocasião, demonstrava o "Siu Nim Tau"(小 念頭) publicamente mais uma vez. Porém, foi a primeira na condição de "Si Fu". 
Era o mesmo "Siu Nim Tau"(小 念頭) que vinha fazendo desde 1999, mas se você me perguntasse, eu diria que era diferente. Si Fu diz: "Não importa se você está fazendo 'Siu Nim Tau' no chão, no cimento ou na areia...Não importa a superfície...'Siu Nim Tau' é 'Siu Nim Tau'..." 
"...Pois só aquilo que aceita a mudança pode permanecer verdadeiramente imóvel sem ser atingido. Se for suficientemente grande para incluir todas as mudanças, nunca poderá ser mudado..." (The Spirit of Zen - Alan W. Watts, 1936 - John Murray Publishers)

One day, it was time to understand why I heard that every time you do "Siu Nim Tau" (小 念頭) it should be a unique experience. You saw me there, in front of my first "To Dai", receiving them in my Kung Fu Family (PHOTO). And on that occasion, I demonstrated "Siu Nim Tau" (小 念頭) publicly once again. However, it was the first in the condition of "Si Fu".
It was the same "Siu Nim Tau" (小 念頭) I had been doing since 1999, but if you asked me, I would say it was different. Si Fu says: "It doesn't matter if you're doing 'Siu Nim Tau' on the ground, on cement or in the sand ... No matter what surface ... 'Siu Nim Tau' is 'Siu Nim Tau' ..."

"... For only that which accepts change can remain truly immobile without being reached. If one is large enough to include all changes, it can never be changed ..." (The Spirit of Zen - Alan W. Watts, 1936 - John Murray Publishers)



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

terça-feira, 9 de junho de 2020

AN ESSAY ON "JING MA"(戰馬) FROM THE LUK DIM BUN GWAN DOMAIN

"...Essencialmente, a experiência 'Zen' é uma experiência súbita, e é inúmeras vezes descrito como uma reviravolta da mente, assim como os pratos de uma balança se desequilibram quando num deles se coloca material suficiente para a contrabalançar o peso do outro. É, pois, uma experiência que ocorre após um esforço longo e concentrado para descobrir o significado do Zen.Sua causa imediata pode ser o fato mais trivial, ao passo que seu efeito tem sido descrito pelos mestres zen da maneira mais surpreendente..." (The Spirit Of Zen, 1936 - Allan W. Watts - John Murray Publishers).
Chamamos de "Momento Oportuno" no Grande Clã Moy Yat Sang, àquele momento em que ocorre a tomada de consciência. Pois apesar de termos nosso horário agendado(que chamamos de "Momento Programado"), não necessariamente essa tomada de consciência se dará nesse mesmo dia.

"... Essentially, the 'Zen' experience is a sudden experience, and it is repeatedly described as a turn of the mind, just as the plates on a scale become unbalanced when enough material is placed in one of them to counterbalance the weight It is, therefore, an experience that occurs after a long and concentrated effort to discover the meaning of Zen. Its immediate cause may be the most trivial fact, whereas its effect has been described by Zen masters in the most surprising way ... "(The Spirit Of Zen, 1936 - Allan W. Watts - John Murray Publishers).
We call it the "Moment of Opportunity" in the Grand Clan Moy Yat Sang, that moment when awareness comes. Because even though we have our scheduled practice time (which we call "Scheduled Moment"), this awareness will not necessarily take place that same day.
Recebi o acesso ao Domínio Luk Dim Bun Gwaan em 10 de Março de 2007, junto de meu irmão Kung Fu Vladimir Anchieta(Foto). Poucas horas depois, já na Segunda-feira, estaríamos novamente diante de Si Fu que nos orientava para nosso primeiro Momento Programado de Luk Dim Bun Gwaan. Ele nos apresentou um novo posicionamento corporal chamado "Sei Ping Taai Ma".
Naquele primeiro momento, só me tocou a "anatomia" do trabalho. A posição era tão diferente e incomoda, que não dava para pensar em mais muita coisa. Si Fu diz: "...Quando se pratica no Domínio Luk Dim Bun Gwaan, o 'Kung Fu' deve estar presente..."  - Segundo ele, esse "Kung Fu" não é esperado apenas do tutorado, mas do tutor também.

 I received access to the Luk Dim Bun Gwaan Domain on March 10, 2007, together with my Kung Fu brother Vladimir Anchieta (Photo). A few hours later, already on Monday, we would be facing Si Fu again, who was guiding us to our first Scheduled Moment of Luk Dim Bun Gwaan. He introduced us to a new body positioning called "Sei Ping Taai Ma".
In that first moment, only the "anatomy" of the work impacted me. The position was so different and uncomfortable, I couldn't think of much else. Si Fu says: "... When practicing in the Luk Dim Bun Gwaan Domain, 'Kung Fu' must be present ..." - According to him, this "Kung Fu" is not only expected from the student, but also from the tutor .
As práticas do "Jing Ma" com Vlad seguiam-se nos lugares mais variados. Até mesmo numa das antigas residências de Si Fu(como vemos nas fotos). Por um encontro do destino, geralmente era o Si Suk Diego o assistente de Si Fu nessas oportunidades. Acontece, que o "Jing Ma" possuí um espírito próprio, pois o "Jin"(戰) de "Jing Ma"(戰馬), significa "Batalha". Então agora estamos pegando aquela mesma configuração inicial chamada "Sei Ping Taai Ma" e atrelando à ela uma função.
Si Fu diz, que precisamos olhar um mesmo estudo através de três conceitos distintos: "Anatomia", "Função" e "contexto". - "...É como o 'Ding Jeang' e o 'Noi Mun Jeang'... " - Nesse exemplo, apesar de estarmos falando do dispositivo da "palma"(Jeang), o contexto em que ela é trabalhada, também afeta sua função. Então entendi que podemos trabalhar o "Jing Ma"(戰馬) sem estarmos necessariamente em "Sei Ping Taai Ma". Ainda que Si Fu diga acreditar que o "Sei Ping Taai Ma", tenha a anatomia mais adequada ao melhor aproveitamento.

The practices of "Jing Ma" with Vlad followed in the most varied places. Even in one of Si Fu's old residences (as we see in the photos). For a meeting of fate, Si Suk Diego was usually Si Fu's assistant in these opportunities. It turns out, that the "Jing Ma" has a spirit of its own, because the "Jin" (戰) of "Jing Ma" (戰馬), means "Battle". So now we are taking that same initial configuration called "Sei Ping Taai Ma" and attaching a function to it.
Si Fu says, that we need to look at the same study through three different concepts: "Anatomy", "Function" and "context". - "... It's like 'Ding Jeang' and 'Noi Mun Jeang' ..." - In this example, although we are talking about the "palm" device (Jeang), the context in which it is worked, also affects its function. So I understood that we can work on "Jing Ma" (戰馬) without necessarily being on "Sei Ping Taai Ma". Although Si Fu says he believes that "Sei Ping Taai Ma", has the most adequate anatomy for the best use.
(Encontro remoto com Si Fu por Skype nesta semana)
(This week´s Skype videocall with Si Fu)

"Sei Ping Taai Ma"(四平太馬) é uma base na qual com os joelhos abertos, você forma quatro pontos somando-se os dois pés. - "Se você descer demais o quadril ou subir demais. Você cria um quinto angulo.." - Alertou Si Fu.
Apenas mais de uma década depois, tomei consciência de que o "Sei Ping Taai Ma"(四平太馬), tão penoso para mim por conta do meu joelho, poderia ter sido melhor praticado. Por vezes, amplificamos limitações e elaboramos ou polimos nossas justificativas ao ponto de serem impenetráveis. Desta forma, não só não praticamos (primeiro passo para que um dia seja possível entender a estrutura interna de um Domínio), como também não permitimos que sejamos trabalhados por outrem.
Acredito que esse seja um uso indevido do potencial da relação discipular que é para toda a vida. Como ela é para toda a vida, deixamos sempre para depois. Mas esse "depois" pode não chegar... - "...Hoje estamos aqui conversando, quando você pensou que ficaríamos quatro meses sem nos ver? Acredito que voltaremos a nos ver. Talvez não. Talvez eu morra, talvez você morra e um dos dois seguirá essa história sozinho..." - Disse Si Fu.

"Sei Ping Taai Ma" (四平 太 馬) is a base on which with your knees open, you form four points by adding the two feet . - "If you lower your hips too much or go too high. You create a fifth angle .." - Warned Si Fu.
Just over a decade later, I became aware that the "Sei Ping Taai Ma" (四平 太 馬), so painful for me because of my injured knee, could have been better practiced. Sometimes we amplify limitations and elaborate or polish our justifications to the point that they are impenetrable. In this way, not only do we not practice (first step so that one day it is possible to understand the internal structure of a Domain), but we also do not allow us to be worked on by someone else.
I believe that this is a misuse of the potential of the discipleship relationship that is for life. As it is for life, we always leave it for later. But this "later moment" may not arrive ... - "... Today we are here talking, when did you think we would be without seeing each other for four months? I believe we will see each other again. Maybe not. Maybe I will die, maybe you will die and one of the two of us will follow this story alone ... " - Said Si Fu.



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

sábado, 30 de maio de 2020

GRANDMASTER LEO IMAMURA ON TRIP MAGAZINE



Ja fazia um tempo que eu queria postar esse artigo do Si Gung que saiu na revista TRIP ha um certo tempo, mas sempre esquecia.
Agora finalmente esta no ar!

Para quem não leu aproveite!

Has been some time since I decided to put this article of TRIP MAGAZINE about Moy Yat Ving Tsun on line, but I've always forgotten. Now finally you can read this.
I hope you like it!



(para visualizar a pagina, clique sobre a foto)
(to take a better look on the image, click on it)
The intro of the article says: "CORPORAL LANGUAGE: This man is Leo Imamura, Master of Ving Tsun. What? Ving Tsun, one of the techiniques that is part of the Kung Fu. Ving Tsun: the fight to not have to fight. Ving Tsun: The art that takes from the simple effort a basis for mental and physical health. Ving Tsun, nice to meet you!"

By Pyr Marcondes
photos Marcelo Naddeo

Foi porque o corpo da mulher não aguenta porrada como o do homem que uma chinesa chamada Yim Ving Tsun desenvolveu, cerca de 400 anos atrás, um sistema de combate marcial de alta excelência, em que a grande porrada é deixar quieto. A maior vitória que você pode impor ao seu inimigo é não combater com ele.

O sistema ganhou o nome da sua fundadora e o Ving Tsun se disseminou, primeiro na China, depois no mundo, como a arte da feminilização da guerra. Mais que isso, como um poderoso recurso para o desenvolvimento humano. Seu mais famoso praticante foi Bruce Lee (ver box), mas um de seus mais relevantes difusores contemporâneos, referência internacional, é um palmeirense — Leo Imamura, um brasileiro descendente de japoneses, que prega que “nosso corpo somos nós. Nossa experiência de mundo se dá através dele. Tire-nos os cinco sentidos e o mundo desaparece diante de nós”. Justo.

Mestre Leo Imamura foi morar em Nova York nos anos 80 para aprender do grão-mestre Moy Yat, responsável pela introdução do Ving Tsun de alta excelência no Ocidente, tudo o que sabe hoje. De volta ao Brasil, montou uma das maiores comunidades internacionais de Ving Tsun, a Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence, com unidades em várias cidades brasileiras, além de Buenos Aires e Miami (wwwl.myvt.com.br).

De seu tutor, recebeu o título de mestre sênior — só existem 13 no mundo — dessa especialidade do kung fu, que, mesmo tendo nascido como técnica de guerra, não prega a luta. As aulas são individuais, podendo ter até três orientadores por aluno. O contato físico é obviamente inevitável, pois o sistema usa da força do outro praticante, ou ao do inimigo, a seu favor.

Mestre Leo tem bode dos exageros praticados hoje nas academias em nome da cultura do corpo e da falta total de uso da mente e da emoção em certas técnicas ocidentais de trabalho corporal. “Todas essas técnicas ensinam que, se repetirmos intensamente determinados movimentos e modelos, atingiremos a perfeição. Mas nem sempre é assim. O Zico perdeu o pênalti na Copa do México, diante da França, não porque seu corpo não estivesse altamente treinado para bater pênaltis, mas pela sua emoção naquele momento. Outro exemplo. O gesto para andar sobre uma tábua de madeira de 100 metros de comprimento colocada no chão é o mesmo que para atravessá-la sobre um precipício, a centenas de metros de altura. No entanto, a primeira você atravessa fácil, a segunda, provavelmente, nunca. Uma vez mais, essa dificuldade é emocional.”
E complementa: “Os movimentos do nosso corpo reproduzem o dinamismo do Universo, que não é repetitivo. Assim, um movimento nunca é igual a outro. Prefiro a lógica oriental, que relaciona o corpo com o fluxo natural das coisas, em permanente mutação. O Ving Tsun é sistematizado não através de modelos fixos, mas através da variação, que incorpora a mudança como princípio. É a busca do desenvolvimento humano, integrando mente e corpo, através de ajustes à dinâmica permanente do Universo”.


It was because the woman's body can not take the beating like a Chinese man that a girl named Yim Ving Tsun has developed over 400 years ago, a system of martial combat of high excellence that the great beating movement is leaving quiet.
The greatest victory that you can impose to your enemy is not fighting with him. The system got its name from its founder and ving tsun spread, first in China, then around the world, as the art of feminization of the war. More than that, as a powerful resource for human development. His most famous practitioner is Bruce Lee (see box), but one of its most important contemporary broadcasters, an international benchmark, is a Palmeiras soccer team afficyioned - Leo Imamura, a Brazilian of Japanese descent, who preaches that "our bodies are us. Our experience of the world is through it. Get from us the five senses and the world disappears in front of us." Just.

Master Leo Imamura moved to New York in the 80`s to learn from Grand Master Moy Yat, responsible for introducing the ving tsun of high excellence in the West, everything he knows today. Back in Brazil, set up one of the largest international communities of ving tsun, the Moy Yat Ving Martial Intelligence, with branches in several Brazilian cities, as well as Buenos Aires and Miami (www.myvt.com.br).
From his Master received the title of senior master - there are only 13 in the world - expertise that kung fu, that even having been born as a technique of war, does not preach the fight. Classes are individual and can have up to three instructors per student.
Physical contact is obviously inevitable, because the system uses the strength of the other practitioner, or the enemy in his favor. Mestre Leo dont like the exaggerations in gyms today on behalf of the culture of the body and overall lack of use in mind and emotion in certain Western techniques of body work.

"All of these techniques teach that if we repeat certain movements closely and models, we will reach perfection. But not always. Zico missed a penalty in the World Cup in Mexico against France, not because his body had not been trained in kick a ball during a penalty, but by his emotion at that moment. Another example. The gesture to walk on a wooden plank of 100 feet long placed on the floor is like to cross it on a cliff hundreds of feet high. However, first you go easy, the second, probably never. Again, this difficulty is emotional. "And adds:" The movements of our body reproduce the dynamics of the universe, which is not repetitive. Thus, a movement is never equal to another. I prefer the oriental logic, which links the body with the natural flow of things, constantly changing. The ving tsun is not systematic across models fixed, but by the change, which incorporates the change as a principle. It is the pursuit of human development, integrating mind and body, through adjustments to the ongoing dynamics of the Universe.


NA VIDA REAL...
Tudo isso é bonito mas inútil, se não puder ser prático. Que valor teria, afinal, uma arte marcial que, num mundo violento, prega a não-violência?
Parte da resposta pode estar num conceito inédito, mesmo dentro do ving tsun, criado por mestre Leo, que recebeu o nome de inteligência marcial. Traduzindo: capacidade de utilização da inteligência estratégica, a partir da experiência do combate simbólico, para potencializar a eficiência das ações pessoais. Mais importante que a técnica é desenvolver a percepção de antecipar a ação do adversário, e, para isso, é preciso aceitar o movimento do outro e integrá-lo ao seu próprio corpo até que passam a ser um só. A ponte usada para unir os corpos leva o nome de “Kiu”.
O ving tsun refina as pessoas, desenvolvendo sua capacidade de interpretar, coerentemente, a sempre dinâmica realidade, tornando-as mais equilibradas, seguras e preparadas para a vida contemporânea. Junto à família, aos amigos ou no ambiente profissional competitivo moderno. Ou, como o próprio mestre prefere situar, “nos primórdios da humanidade, o corpo entrava em stress diante do perigo de um bicho que corria na floresta atrás de você. Era um conjunto de atividades fisiológicas, como maior liberação de adrenalina, aumento da capacidade pulmonar, diminuição dos movimentos peristálticos, contração dos músculos do esfíncter para não liberar fezes... Tudo preparando o corpo para a melhoria de sua atividade física, numa situação extrema. Na vida moderna, você passa pela mesma síndrome, não diante do bicho, mas do chefe, do saldo negativo do banco, dos desafios da concorrência de mercado”. E então, mestre, não dá no mesmo? “Não. Há bilhões de anos, você corria feito um louco do bicho e queimava as toxinas produzidas pelo stress. Hoje, elas ficam lá, armazenadas, te envenenando. Isso provoca um estado negativo de alteração, típico da sociedade contemporânea. Daí você ver as pessoas ‘adrenadas’, irritadas etc., totalmente fora do seu eixo original.”
“Prefiro a lógica oriental que relaciona o corpo com o fluxo natural das coisas, em permanente mutação”


IN REAL LIFE ...
All this is pretty but useless, if not practical. What value would have, after all, a martial art that, in a violent world, preaches non-violence? Part of the answer may be a new concept, even within the ving tsun, created by Master Leo, who was named as martial intelligence . Translation: the ability to use strategic intelligence from the experience of symbolic combat , to maximize the effectiveness of personal actions. More important than the technique is to develop the perception to anticipate the action of the opponent, and for this you have to accept the movement of the other and integrate it into his body until it become one. The bridge used to link the bodies carries the name of "Kiu".
The ving tsun refines people, developing their ability to interpret consistently, the ever dynamic reality, making them more balanced, secure and prepared for life today. Next to family, friends or the modern competitive business environment.
Or, as the master himself prefers place, "in the beggining of humanity, the body went into stress on the danger of an animal that ran into the forest behind you. It was a set of physiological activities, such as increased release of adrenaline, increased lung capacity, decreased peristalsis, contraction of the sphincter muscles not to release stool ...
All of preparing the body for the improvement of their physical activity, in an extreme situation. In modern life, you go through the same syndrome, not before the animal, but in front of your boss or the negative balance of the bank account, the challenges of market competition. "
But master, is not all the same?
"No. Billions of years ago, you ran like a crazy animal and burning the toxins produced by stress. Today, they are there, stored, poisoning you. This causes a negative state of change, typical of contemporary society. Then you see `adrenal' people , so angry., Totally out of their original axis. " "I prefer the logic that links the eastern body with the natural flow of things, constantly changing"

The tex on the page says: " BRUCE LEE,KUNG FU AND PHYSICAL: Bruce Lee was the most famous Ving Tsun practitioner in West.You can say that he was a kung fu master.But notice that Kung Fu is a term that claims all the chinese martial arts, also Ving Tsun. And it means something very interesting:A capacity to effort without physical force. The image that cinema did about Bruce Lee as a strong man, made de people think that his techniques were linked with physical strengh.
Bruce had to create new forms to train Ving Tsun cause in US he didnt have friends to practice with him.
In fact, Ving Tsun dont care about physical strengh to be practice . It understands that sweat is to make unecessary effort and build up your body is to make ir suffer without even reaching a better results as a human been.Sometimes you reach something totally different."



Para esse cenário adverso, mestre Leo sugere: “O corpo é a mais aperfeiçoada ferramenta que a natureza deu para aprendermos sobre a vida. O ving tsun atua nele. A técnica do combate simbólico, idealizada pelo ving tsun, propicia o uso do corpo de uma forma emblemática. Eleva você a um estado alterado de percepção que nenhuma outra técnica corporal atinge. Permite lampejos do que chamamos de experiências significativas. Essas experiências, ao contrário do que se possa supor, não são profundas, mas rasas. Colocam-nos diante das nossas essências básicas mais viscerais. Desde o dia em que o médico deu um tapinha no seu bumbum, na maternidade, você passou a desenvolver camadas e mais camadas que encobrem sua consciência. Sua verdadeira essência está atrás de todas elas. Um dos papéis do ving tsun é tirá-las uma a uma, para que você esteja em contato com seu eixo original permanentemente. É assim que algo que não é luta, mas que se utiliza de técnicas virtuais do combate marcial, conduz você ao mais raso de você mesmo, elevando-o como ser humano. Estamos em contato direto com nosso corpo 24 horas por dia. Por que não usá-lo para uma tomada de consciência de quem realmente somos?”.
O iniciante não precisa de nenhum conhecimento especial para se lançar à prática do ving tsun. O curso possui seis grandes etapas e dura até nove anos. Com o tempo, o praticante é levado a usar de sua intuição para desenvolver movimentos próprios, dentro de uma orientação. A independência é um dos objetivos dessa arte tão suave quanto madura. Boa viagem.

To this adverse scenario, master Leo suggests: "The body is the most refined tool that nature has gave us to learn about life. The ving tsun acts on it. The technique of symbolic fighting, created by the ving tsun, allows the use of the body in a emblematic way . Raises you an altered state of perception that no other body technique achieves. Allows glimpses of what we call meaningful experiences. These experiments, contrary to what people would assume, are not deep, but shallow. They put us in front of our basic essences more visceral. Since the day that the doctor slapped your butt in the hospital, you started to develop layers and layers that cover your consciousness. Its true essence is behind them all. One of the roles of ving tsun is take them one by one, so that you are in touch with their original axle permanently. That's something that is not fight, but that uses techniques of virtual martial combat,that leads you to the shallowest of yourself, taking it as a human being. We are in direct contact with our body 24 hours a day. Why not use it for an awareness of who we really are? ".
The beginner does not need any special knowledge to launch the practice of ving tsun. The course has six main stages and lasts up to nine years. Over time, the practitioner is led to use his intuition to develop proper motions within a guideline. Independence is one of the goals of this art as soft as ripe. Bon voyage.




AVISO DE LIVE : "O QUE É KUNG FU?"
LIVE w/ GM LEO: "WHAT IS KUNG FU?"

Grão Mestre Leo Imamura vai participar de uma live na próxima Sexta as 20:30h (horário de Brasília). Esta live será promovida pelo grupo "Kung Fu Brasil". Para participar, basta se inscrever no evento, que é gratuito, neste link: CLIQUE AQUI 


Grandmaster Leo Imamura will participate in a live next Friday at 20: 30h (Brasília time). This live will be promoted by the facebook group "Kung Fu Brasil". To participate, simply register for the event, which is free, at this link: CLICK HERE


THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com