PRATIQUE NO RIO: 21 99636988

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

"Kei Pou"(旗袍) the chinese dress for women

(A co-líder do Grande Clã Moy Yat Sang , Sra Vanise Imamura, 
usando um vestido chines ou "Kei Pou"(旗袍).)
(The Co-leader of Grand Clan Moy Yat Sang, Mrs. Vanise Imamura, 
wearing a Chinese dress or "Kei Pou"(旗袍).)

Em Marços de 2015, quando Si Taai Vanise Imamura pegou o microfone para falar algumas palavras em função do aniversário de seu marido, Si Gung Leo Imamura. Dentre as primeiras coisas que falou, ela se referiu a estar bem feliz em ver todos os presentes, dentre os quais pessoas que ela conhece a mais de duas décadas como Si Fu, tão bem vestidos. Ela brincou sobre como eram as coisas no início da Família Moy Yat Sang no Brasil.

In March of 2015, when Si Taai Vanise Imamura took the microphone to speak a few words due to the anniversary of her husband, Si Gung Leo Imamura. Among the first things she spoke about, she referred to being very happy to see everyone present, among whom she met more than two decades before as Si Fu, so well dressed. She joked about how things were at the beginning of the Moy Yat Sang Family in Brazil.


Si Gung inovou em vários aspectos do Kung Fu no Brasil. Dos mais exóticos aos mais óbvios. Dentro do que se encontra no segundo grupo, o grupo das coisas óbvias, está a maneira adequada de se vestir.  Como podemos ver nessa foto tão marcante de Si Taai Vanise, Si Taai Po Helen e Si Gung, por ocasião da celebração do aniversário da matriarca da Linhagem Moy Yat em Brasília.

Si Gung innovated in various aspects of Kung Fu in Brazil. From the most exotic to the most obvious. Within what lies in the second group, the group of things obvious, is the proper way of dressing. As we can see in this very striking photo of Si Taai Vanise, Si Taai Po Helen and Si Gung, on the occasion of the birthday celebration of the matriarch of the Moy Yat Lineage in Brasilia.
Si Fu ao longo das décadas foi se aprofundando mais e mais no que se diz respeito a entender a vestimenta mais adequada a uma determinada ocasião. Porém, este conhecimento, não veio de uma "aula teórica" dada por Si Gung em algum momento do passado, e sim, a montante. Pois como escreve Anne Cheng, a famosa sinóloga francesa em sua obra-prima "A história do Pensamento Chinês" (Histoire de la penseé chinoise, Paris, 1997) : "...A primeira orientação , ilustrada eminentemente na tradição confuciana , interessa-se prioritariamente pela passagem efetiva entre conhecimento e ação, passagem esta entendida em termos chineses de relação entre o latente e sua manifestação visível, ao passo que a tradição taoizante, que representa a principal alternativa, privilegia e cultiva o aquém - ou o a-montante- do visível..."

Si Fu over the decades has been getting deeper and deeper in what concerns to understand the dress more appropriate to a certain occasion. However, this knowledge did not come from a "theoretical class" given by Si Gung at some point in the past, but rather upstream. As Anne Cheng writes, the famous French synlogist, in her masterpiece "The History of Chinese Thought" (Histoire de la pensee chinoise, Paris, 1997): "... The first orientation, eminently illustrated in the Confucian tradition, the passage is to understood in Chinese terms as the relation between the latent and its visible manifestation, whereas the Taoist tradition, which represents the main alternative, privileges and cultivates the underworld - or the upstream - of the visible ... "
(Minha To Dai Caroline Archanjo, veste um "Kei Pou"(旗袍), enquanto recebe de seu Si Gung, um pin do Grande Clã Moy Yat Sang no dia em que foi admitida na Família Kung Fu Moy Fat Lei do Clã Moy Jo Lei Ou)

(My To Dai Caroline Archanjo, wears a "Kei Pou" (旗袍), while receiving from her Si Gung, a pin of the Grand Clan Moy Yat Sang the day she was admitted into the Kung Fu Family Moy Fat Lei of the Clan Moy Jo Lei Ou)

Quando se tratam de artes marciais chinesas, muito se fica confuso no que diz respeito a vestimenta correta. Trajes usados para a prática são confundidos com vestimentas formais, e nos casos das mulheres, não é difícil ver uma vestimenta com motivos inapropriados para uma determinada ocasião.

When it comes to Chinese martial arts, a lot of people gets confused with regard to correct dressing protocol. Costumes worn for practice are confused with formal dress, and in the case of women, it is not difficult to see a garment with motives inappropriate for a particular occasion.

chèungsàam é a pronuncia em cantonês para:
chèungsàam is the pronunciation for: 

長(chèung) - "longo" (long)
衫(sàam) - "Vestido". (dress)

Essa é a pronuncia em cantonês para o termo no dialeto de ShangHai "zǎnze"(长衫) , que contrasta com o termo chángshān(长衫) em mandarim, que se refere a uma vestimenta exclusivamente masculina enquanto Kei Pou (QiPao旗袍) seria o equivalente feminino.  Acontece , que esta vestimenta de origem Manchu, foi usada pela primeira vez por mulheres "Han"(汉) por estudantes de ShangHai.
Além disso, quando alfaiates de ShangHai fugiram para Hong Kong depois da Revolução Comunista passaram a usar chèungsàam tanto para vestes masculinas quanto para femininas, e Kei Pou( Qi Pao 旗袍) seria um termo mais formal.

This pronunciation is the cantonese version for the shanghainese "zǎnze"(长衫) , wich contrast with the mandarin chángshān(长衫), that is a term only for male clothes and QiPao(旗袍) for female clothes. But this dress , wich came from Manchuria, was used for the first time by "Han"(汉) women trough shanghainese students.  Besides, ShangHai tailors fled to Hong Kong after Comunists Revolution in Continental China, and start to use chèungsàam for men and women. And QiPao[Kei Po](旗袍) became a more formal term.


(Helena C Ribeiro ao lado de seus irmãos Kung Fu Vitor e Angela,todos To Dai da minha Si Suk Ursula Lima.  Usa um Kei Pou( Qi Pao 旗袍) por ocasião do aniversário da Matriarca da Linhagem Moy Yat em Brasilia )

(Helena C Ribeiro along with herKung Fu brothers Vitor and Angela, all To Dai of my Si Suk Ursula Lima. She uses a Kei Pou (Qi Pao 旗袍) on the occasion of the birthday of the Moy Yat Lineage Matriarch in Brasilia)

Ao longo dos anos, esta vestimenta Manchu sofreu alterações, onde nos anos 30 se tornou mais justa ao corpo, seguindo padrões ocidentais da época. Nos anos 40 se tornou finalmente a vestimenta padrão das mulheres chinesas em ocasiões especiais ao redor do mundo.

Over the years, this Manchu dress garment, where in the thirties became more fair to the body, following western patterns of the time. In the 1940s they finally become a standard pattern of Chinese women on special occasions around the world.

(Si Fu recebe Hung Baau de Carol Archanjo , por ocasião de sua entrada na Família Moy Fat Lei e consequente entrada no Clã Moy Jo Lei Ou, Ao lado dele, Si Gung, Líder do Grande Clã Moy Yat Sang. A data em questão, marcava não somente o primeiro ano da Família Moy Fat Lei, mas também do Clã Moy Jo Lei Ou e Grande Clã Moy Yat Sang.)

(Si Fu receives Hung Baau from Carol Archanjo on the occasion of her entry into the Moy Fat Lei Family and consequent entry into the Clan Moy Jo Lei Ou, next to him isSi Gung, Leader of the Grand Clan Moy Yat Sang The date in question, marked not only the first year of the Moy Fat Lei Family, but also the Clan Moy Jo Lei Ou and Grand Clan Moy Yat Sang first year as clan and Grand Clan.)

Ainda não sou capaz de ter um entendimento tão vasto como o de Si Fu sobre as mais diferentes vestimentas para as mais diferentes ocasiões. Porém, o simples fato de se conviver com alguém assim, faz com que você de alguma forma se incomode com o "Inadequado" ainda que não saiba bem a razão. Por isso, mais uma vez citando Anne Cheng [ "A história do Pensamento Chinês" (Histoire de la penseé chinoise, Paris, 1997)] : "... Trata-se de aprender, não para os outros, mas junto aos outos. Tudo proporciona ocasião para aprender, já que se aprende sobretudo no intercâmbio..." 
Nos analectos de Confúcio lê-se : "O Mestre diz: Quando se passeia, mesmo que só a três, cada um está seguro de encontrar no outro um mestre, considerando o que há de bom para imitá-lo e o que há de mau para corrigi-lo em si mesmo "(VII,21)

I am not yet able to have an understanding as vast as that of Si Fu on the most different garments for the most different occasions. But the simple fact of living with someone like that makes you somehow uncomfortable with the "Inadequate" even if you do not know the reason well. Hence, again quoting Anne Cheng: "... It is about learning, not for others, but with others. Everything provides an opportunity to learn, since one learns especially in the exchange ... "
In the analects of Confucius one reads: "The Master says: When one walks, even if only three, each is sure to find in the other a master, considering what is good to imitate him and what is bad to correct him in himself "(VII, 21)
(Nesta ilustração, observamos diferentes tipos de "Kei Pou"(旗袍), aqui transliterados pela pronúncia em mandarim como "QiPao" (pronuncia-se "TchiI-Páo")

(In this illustration, we see different types of "Kei Pou" (旗袍), here transliterated by the pronunciation in Mandarin as "QiPao" (pronounced "TchiI-Pao")

Observe que em alguns dos modelos, uma pulseira está presente. Este acessório é muito comum não só para mulheres, mas também para homens , apenas com outros formatos. Essas pulseiras costumam ser de jade, a pedra nacional da China . 
Segundo a Professora de Cultura Chinesa da PUC-Rio Wei Oh Lin , em conversa com meu Si Fu que pude presenciar em 2008. A jade tem como função, proteger seu portador de possíveis acidentes: "...Minha filha não acreditava nisso. Ela vive na Alemanha, algo iria acontecer com ela, mas a pulseira de jade que dei quebrou primeiro sem motivo aparente algum. Depois ela passou a acreditar. Por isso é bom usar jade..." - Relatou a professora.

Note that on some of the models, a wristband is present. This accessory is very common not only for women, but also for men, only with other formats. These bracelets are usually made of jade, the national stone of China.
According to the Chinese Culture Professor of PUC-Rio Wei Oh Lin, in conversation with my Si Fu that I was able to witness in 2008. The purpose of jade is to protect its wearer from possible accidents: "... My daughter did not believe in that. she used to live in Germany, something was going to happen to her, but the jade bracelet I gave broke for the first time for no apparent reason.Then she came to believe it, so it's good to wear jade ... "- Reported the teacher.

(Podemos viver por viver, ou vivermos com arte. Segundo Si Gung, não se é possível ensinar Kung Fu, pode-se apenas aprender Kung Fu. Mas afinal, qual a razão de aprender?)

(We can live by living, or living with art. According to Si Gung, it is not possible to teach Kung Fu, one can only learn Kung Fu, but what is the reason for learning?)

Segundo o pensamento clássico chinês, aprender é portanto, tornar-se "homem de bem" ou ainda "aprender é aprender a fazer de si um ser humano." E segundo a sinóloga Anne Cheng, não há expressão melhor do que esta para dizer que ser humano é uma coisa que se aprende. Ou seja, nossa humanidade (aqui descrita como nossa capacidade de se conectar) não é um dado, é é construída e tecida nos intercâmbios entre as pessoas e na busca de uma harmonia comum. Toda a história humana bem como nossa experiência individual estão aí para nos confrontar com a evidência de que nunca somos humanos o bastante, e que nunca acabaremos de tornar-nos mais humanos. 

According to classical Chinese thinking, learning is therefore becoming a "good man" or "learning is learning to make oneself a human being." And according to the synlogist Anne Cheng, there is no better expression than this to say that being human is something you learn. That is, our humanity (here described as our ability to connect) is not a given, is built and woven in the interchanges between people and in the pursuit of a common harmony. All of human history as well as our individual experience are there to confront us with the evidence that we are never human enough, and that we will never end up becoming more human.
(Si Fu e sua companheira Marcia Moura no antigo Mo Gun da Família Moy Jo Lei Ou , por ocasião do café da manhã organizado por ela em homenagem ao seu aniversário no início deste mês)

(Si Fu and his girlfriend Marcia Moura in the former Mo Gun of Family Moy Jo Lei Ou, on the occasion of the breakfast organized by her in honor of his birthday earlier this month)

Talvez você se pergunte sobre o que isso tudo tem a ver com a luta . Não sou eu a melhor pessoa a explicar isso. Nem sei se deveria. O que posso dizer, é que Si Fu talvez em sua busca por um aprofundamento em cada tema a que se dedica, prefere não ficar na superficialidade ou no senso-comum. Porque , se pensarmos sobre luta, aquele movimento inadequado, e que destoa , talvez seja o mínimo necessário para você morrer. Aquele gesto inadequado , quando você precisa passar o celular para o bandido e que destoa . Talvez seja o mínimo necessário para você morrer. Por fim, aquela roupa, que você veste com pressa, e não pensa muito a respeito, talvez seja o mínimo necessário, para você destoar. E quando você destoa, você perde a conexão, e quando você perde a conexão, você perde a humanidade.

Maybe you wonder what this all has to do with the fight. I'm not the best person to explain that. I do not even know if I should. What I can say is that Si Fu perhaps in his quest for a deepening undesrtanding in each subject that he dedicates, prefers not to be in the superficiality or the common sense. Because if we think about fighting, that inadequate movement, and that it distorts, may be the least necessary for you to die. That inappropriate gesture, when you need to move the cell phone to the bad guy and that distune. Maybe it's the least you need to die. Finally, that dress, which you wear in a hurry, and does not think much about it, may be the least necessary, for you to distune. And when you distune, you lose the connection, and when you lose the connection, you lose humanity.

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com