PRATIQUE NO RIO: 21 99636988

domingo, 16 de abril de 2017

Moy Yat´s Legacy from Brazil : The Ving Tsun Experience

(Patriarca Moy Yat e Grão-Mestre Leo Imamura por ocasião de sua última visita ao Brasil)
(Patriarch Moy Yat and Grand Master Leo Imamura during his last visit to Brazil)


A relação "Si Fu - To Dai" não é só o que aparece aqui na página. Por muitas vezes, discordei de meu Si Fu ou nos "chateamos" (por falta de palavra melhor) um com o outro. Isso também é parte, ainda que na maioria das vezes, refletindo um pouco mais, tenha chegado a conclusão de que isso acontecia por não entender tão bem o que Si Fu estava propondo nesses momentos. Por falar nisso, Si Fu tem repetido insistentemente para todos, em especial para mim, sobre sempre "aderirmos", "nos apoiarmos" e "Propormos" quando algo nos for colocado, ainda que seja oposto ao nosso pensamento original ou que discordemos.
Nos momentos em que minha falta de capacidade de entender algo que Si Fu está colocando chega a grandes proporções, ele costuma usar o exemplo do "Siu Nim Do".
"Siu Nim Do" e uma sequência de movimentos ou "lista de dispositivos de combate simbólico" (chamada comumente de forma) criada por Si Taai Gung Moy Yat na primeira metade dos anos '90. À época, poucos viram potencial no que Si Taai Gung estava apresentando...  - Si Fu costuma dizer nesta parte da história: " Sabe o que Si Gung fez? Desenvolveu o Ving Tsun Experience em cima disso."

The "Si Fu - To Dai" relationship is not only what appears here on the page. For many times, I disagreed with my Si Fu  . This is also part, although most of the time, reflecting a little more, has come to the conclusion that this happened for not understanding so well what Si Fu was proposing at those times. By the way, Si Fu has consistently repeated to everyone, especially to me, about always "to adhere", "to carry" and "Proposing" when something is put to us, even if it is opposed to our original thinking or something that we disagree.
At a time when my lack of ability to understand something that Si Fu was putting on arrives to great proportions, he often uses the example of "Siu Nim Do."
"Siu Nim Do" is a sequence of movements or "list of devices of symbolic combat" (called commonly as "form") created by Si Taai Gung Moy Yat in the first half of  '90s. At the time, few saw potential in what Si Taai Gung was presenting ... - Si Fu used to say in this part of the story: "Do you know what Si Gung did? He developed the Ving Tsun Experience from the Siu Nim Do."

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a ajuda do Mestre Leonardo Reis)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with the help of Master Leonardo Reis)

Si Gung , Grão-Mestre Leo Imamura, é uma pessoa que é muito respeitada no "Mo Lam" também por conta de sua lealdade a seu Si Fu do primeiro dia que o conheceu até hoje depois de seu falecimento.E isso inspirou as gerações que descendem dele a fazerem o mesmo, ainda que isso não seja uma regra que se aplique em todos os casos . De toda forma, ele desenvolveu baseado no "Siu Nim Do", o "Ving Tsun Experience".
O "Ving Tsun Experience" se trata de um programa que proporciona a experiência de um sistema de inteligência marcial com características do Sistema Ving Tsun, em termos de fases, modalidades e naturezas do domínio.

My Si Gung, Grand Master Leo Imamura, is a person who is highly respected in "Mo Lam" also because of his loyalty to his Si Fu from the first day he met him until his death. And that inspired the generations that  are descended from him to do the same, although this is not a rule that applies in all cases. Anyway, he developed based on "Siu Nim Do", the "Ving Tsun Experience".
The "Ving Tsun Experience" is a program that provides the experience of a martial intelligence system with characteristics of the Ving Tsun System in terms of phases, modalities and natures of the domain.

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a ajuda do discípulo Guilherme de Farias)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with the help of his second generation Disciple Guilherme de Farias)



 Sobre o "Siu Nim Do" criado por seu mentor, Si Taai Gung Moy Yat , Si Gung escreveu o seguinte certa vez: "...Pelo fato de seus movimentos terem sido estruturados a partir da ocupação da Linha Central, o Siu Nim Do caracteriza-se pela versatilidade na manifestação das diferentes naturezas do Sistema Ving Tsun. Graças a engenhosidade da arquitetura do Siu Nim Do, foi possível utilizá-lo na estruturação do Ving Tsun Experience, o que acabou constituindo numa verdadeira homenagem ao Patriarca Moy Yat (9GVT) por sua inteligência antecipatória na salvaguarda do Sistema Ving Tsun..."

On the "Siu Nim Do" created by his mentor, Si Taai Gung Moy Yat, Si Gung once wrote: "... Because its movements were structured from the occupation of the Center Line, the Siu Nim Do from The Ving Tsun System was able to be used in the structuring of the Ving Tsun Experience, which became a true tribute to the Patriarch Moy Yat (9GVT ) For his anticipatory intelligence in safeguarding the Ving Tsun System ... "

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a minha ajuda)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with my help)





Quando Patriarca Moy Yat (foto) chegou em New York, em 2 de setembro de 1973, o fato teve grande repercussão. Ainda assim o Patriarca tinha uma postura de não tentar convencer os outros sobre a importância da Vida Kung Fu, que havia aprendido através da experiência privilegiada que teve com o seu mentor, o Patriarca Ip Man.
Em entrevista para o projeto “A Bordo do Junco Vermelho” do Grande Clã Moy Yat Sang, o Professor François Jullien disse que o termo kung fu é uma noção muito implícita no pensamento chinês. Os chineses costumam ter apenas uma certa evidência dessa noção, por isso o sam faat (o que chamamos de Vida Kung Fu) tem sido um processo essencial de transmissão.
Para ele, a noção de kung fu passou a ficar evidente somente quando tomou contato com o Ocidente. Foi encontrando o pensamento ocidental que os chineses perceberam que há um implícito pedagógico e, assim, um recurso de pensamento por trás dessa noção que parecia tão natural.
Portanto, o desafio estava dado. Como evidenciar algo que é tão implícito? No contato com o Ocidente, esse processo de aprendizagem do Kung Fu, no contexto de acesso ao Sistema Ving Tsun, através do provimento progressivo da Vida Kung Fu, deveria agora receber uma denominação.

When Patriarch Moy Yat (photo above) arrived in New York on September 2, 1973, the fact had great repercussion. Yet the Patriarch had a posture of not trying to convince others of the importance of Kung Fu Life, which he had learned through the privileged experience he had with his mentor, Patriarch Ip Man.
In an interview for our project "Aboard the Red Junk," Professor François Jullien said that the term "kung fu" is a very implicit notion in Chinese thought. The Chinese usually have only some evidence of this notion, so the sam faat (what we call Kung Fu Life) has been an essential process of transmission.
For him, the notion of kung fu became evident only when he came into contact with the West. It was finding Western thought that the Chinese realized that there is an implicit pedagogical and thus a resource of thought behind that notion that seemed so natural.
So the challenge was given. How to evidence something that is so implicit? In contact with the West, this process of learning Kung Fu in the context of access to the Ving Tsun System through the progressive provision of Kung Fu Life should now be given a denomination.

(Patriarca Moy Yat e sua esposa, Sra. Helen Moy no Rio, 
por ocasião da última visita do patriarca ao nosso país)


(Patriarch Moy Yat and his wife, Mrs. Helen Moy in Rio,
On the occasion of the last visit of the patriarch to our country)

Em 28 de Junho de 1997,  com a Cerimônia de Aposentadoria do Patriarca Moy Yat. A partir desta data, seus descendentes, seriam os responsáveis pelo compromisso de uma denominação que até então era uma noção muito implícita, norteada pelo exemplo vivo de seu idealizador: a Denominação Moy Yat Ving Tsun.
A Denominação Moy Yat Ving Tsun é o compromisso de provimento progressivo da Vida Kung Fu (Sam Faat) assumido pelo Patriarca Moy Yat (1938–2001) com relação aos seus descendentes, no contexto do acesso ao Sistema Ving Tsun.

On June 28, 1997, with the Patriarch Moy Yat Retirement Ceremony. From this date, his descendants would be responsible for the commitment of a denomination that until then was a very implicit notion, guided by the living example of its founder: the Moy Yat Ving Tsun Denomination.
The Moy Yat Ving Tsun Denomination is the commitment to provide progressive Kung Fu Life (Sam Faat) assumed by Patriarch Moy Yat (1938-2001) in relation to his descendants, in the context of access to the Ving Tsun System.

(Grão-Mestre Leo Imamura grava um material especial sobre o Ving Tsun Experience no Rio em estúdio cedido pelo seu descendente de terceira geração no Brasil, Renato Madeira.)

(Grand Master Leo Imamura records a special material on the Ving Tsun Experience in Rio, in studio provided by his descendant of third generation in Brazil, Renato Madeira.)


Por isso, o "Ving Tsun Experience" atua dentro da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence, como um "instrumento" dentro do Vetor Estratégico de "Reconhecimento dos Descendentes do Patriarca Moy Yat". Pois acredito ,que dentre tantos potenciais, facilita com que pouco a pouco e a seu tempo, o praticante possa se enxergar como um membro em potencial da Linhagem Moy Yat, capaz de honrar a "Denominação Moy Yat Ving Tsun".  Isso , de certa forma a meu ver, ajuda também a "proteger" o Sistema Ving Tsun .

Therefore, the Ving Tsun Experience acts within the Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence as an "instrument" within the Strategic Vector of "Recognition of the Descendants of Patriarch Moy Yat." So, I believe that, among so many potentials, it facilitates that little by little and in due time, the practitioner can see himself as a potential member of the Moy Yat Lineage, capable of honoring the "Moy Yat Ving Tsun Denomination". This, I see, helps to "protect" the Ving Tsun System as well.
(Si Fu me observa enquanto apareço refletido no espelho 
falando algumas palavras em um de meus aniversários)

(Si Fu watches me as I appear reflected in the mirror
Speaking a few words on one of my birthdays)


Ei, eu não vou mentir! Discípulos fazem muitas besteiras e  "Si Fus" tem muita paciência.  E devo dizer que é um desafio constante estar sempre conectado ao meu Si Fu , sintonizado com seus pedidos e suas ideias ainda que muitas vezes não me ocorra a razão ou as razões delas. Nesse exato momento, estou deixando muitas delas escaparem , outras tantas, estou me esforçando não só para cumprir como principalmente para entendê-las, aderindo a elas , para então me apoiar em seus potenciais e propor uma terceira coisa...
Independente do que eu faça ou deixe de fazer, entendo hoje que quando faço , era meu papel como discípulo e quando deixo de fazer, perco um tempo que não volta mais...

Hey, I'm not going to lie! Disciples mess up a lot and "Si Fus" has a lot of patience. And I must say that it is a constant challenge to always be connected to my Si Fu, tuned to his requests and his ideas although I often do not occur to me the reasons of them. At this very moment, I am letting many of them escape, many others, I am striving not only to accomplish but mainly to understand them, adhering to them, to then lean on their potentials and propose a third thing ...
Regardless of what I do or do not do, I understand today that when I do, it was my role as a disciple and when I stop doing it, I lose some time that does not come back ...



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com